segunda-feira, novembro 13, 2006


JOSÉ SÓCRATES
NEM QUE SEJA POR MAIS UM VOTO


José Sócrates comprometeu-se a aprovar a despenalização do aborto caso o "sim triunfe" em referendo, independentemente do resultado da consulta ser vinculativo ou não.

Na sua alocução de encerramento do XV Congresso do Partido Socialista, Sócrates disse: "vou ser o mais claro possível nesta matéria. A posição do PS só pode ser uma: só aprovaremos a lei se o sim tiver mais votos do que o não"

Para o líder socialista e primeiro-ministro "bastará um voto" a mais do sim do que do não para se aprovar a nova lei de despenalização do aborto, mas advertiu que "é preciso esse voto".
Para o líder socialista "bastará um voto" a mais do Sim para a Lei ser aprovada.

O Referendo realizado em 28 de Junho de 1998 o Não ganhou com 50.07 % dos votos contra 48.28 % do Sim. Contudo, os resultados não foram vinculativos por, e tal como diz a Lei, a abstenção te sido superior a cinquenta por cento (68.11 %).
Pelo andar da carruagem, desta vez, para que o resultado seja vinculativo já não é necessário que mais de 50 % dos eleitores vá às urnas. Basta um voto a mais.

Por aqui se vê que, isto dos Referendos, é feito a belo prazer de quem manda na política.
E não me venham com essa de quem “manda na política” são os eleitores. Se isso fosse verdade não se alterava, agora, as regras do jogo dos Referendos.
Em 1998 não houve um voto a mais do Não sobre o Sim. Foram 48.624 votos.
(Não 1.356.754 e o Sim 1.308.130).
MA

Comentários: Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]