sexta-feira, maio 11, 2007


O MEDIATISMO NO CASO MADELEINE E OS MEIOS ENVOLVIDOS

O caso de Madeleine McCann, a criança inglesa desaparecida num empreendimento turístico no Algarve, continua a ser a noticia do dia.
Os meios policiais envolvidos são impressionantes. Todas as forças policiais foram mobilizadas nas buscas assim como bombeiros, Cruz Vermelha e populares.
As críticas vindas, especialmente, da comunicação de língua inglesa tornam-se incompreensíveis especialmente se tivermos em conta que, actualmente, mais de 70.000 desaparecimentos de crianças são os dados estatísticos oficiais em terras de sua majestade.
As informações prestadas pela Policia Judiciária Portuguesa são aquelas que lhes são possíveis perante as leis Nacionais, o que parece pouco interessar aos média de língua inglesa. Querem mais “histórias” para publicar e poderem vender noticias para alimentar os seus leitores ou telespectadores.

Mas, o que hoje me trás aqui não é escrever sobre o andamento das investigações mas sim sobre a importância que se dá aos meios envolvidos com mais de 400 pessoas entre forças policiais e outros.
Apoio totalmente todo o esforço no envolvimento para se descobrir o paradeiro da criança inglesa desaparecida mas só realço o seguinte:
-No site do SOS Criança consta que só no ano de 2006 o Instituto abriu 31 novos processos de crianças desaparecidas sendo 19 do sexo feminino e 12 do masculino.
A questão coloca-se: -Quais os meios humanos envolvidos em todos estes processos ?
Isto, sem falarmos nos restantes que estão na posse das instituições policiais.
Lembremo-nos, por exemplo, no caso “Joana” ou do “Pedro” onde os meios envolvidos foram, e são, muito menores.
A questão é bastante pertinente. A enorme mobilização policial – e muito bem ! – no caso da criança inglesa é resultante de ser inglesa; da presença dos média das principais cadeias noticiosas mundiais; das pressões do governo de sua majestade, ou por se tratar de uma criança oriunda de pais com posses monetárias, como tudo indica ser os de Madeleine McCann. ?
È só ver os valores das ofertas em dinheiro para quem der informações credíveis sobre o paradeiro da criança inglesa desaparecida.

Não estou a acusar qualquer interesse, menos correcto, das forças intervenientes neste caso. Os meios envolvidos são ordens superiores; são ordens que vêm de cima. A questão que coloco é porque não se procede da mesma forma em todos os casos de crianças desaparecidas em Portugal.
Porquê ????
Porque são pobres ? Porque não possuem o mediatismo deste caso ? Ou porque o que está em causa são os interesses turísticos do Algarve e as receitas daí provenientes, muito especialmente da comunidade inglesa ?
Porque não foi mobilizado o mesmo número de intervenientes no caso “Joana” ocorrido, também, em terras algarvias ?
Porque a “Joana” era pobre e, ainda por cima, portuguesa? Porque o seu desaparecimento nada teve a ver com a máquina do turismo algarvio ?
São estas questões que aqui deixo.
Manuel Abrantes

Comentários:
E fazem todo o sentido. Vou reler.
 
a tv so da este caso para esconder a politica em portugal . mas depois deste caso ja temos ai outro tao importante como este , o 13 de maio ! depois do 13 de maio vira novamente este rapto . e por ai fora . estamos fartos de nos atirarem areia para os olhos !
 
ate posso concordar com o excesso de mediatismo mas tenho de concordar que talvez esse mediatismo possa trazer a maddie para casa!

Em portugal soms tentados a desistir de tudo até de nós proprios!

Vamos ajudar a recuperar esta pequenita é o minimo que podemos fazer!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]