domingo, junho 10, 2007


10 DE JUNHO
DIA DE PORTUGAL DE CAMÕES E DAS MEDALHA


O Presidente da República condecorou 37 personalidades. Por coincidência, ou não, cinco fizerem parte activa da sua campanha à presidência.

São mais umas dezenas de condecorados para somar a uma lista de milhares.
Mário Soares condecorou 2.448 personalidades, Ramalho Eanes distribuiu 1.952, Jorge Sampaio ultrapassou as 2.000.

Não coloco em causa a notoriedade de alguns dos condecorados nem a pertinência e a oportunidade do acto, o que coloco em causa é o número de condecorações. Penso – é a minha opinião – que estamos a banalizar a importância de uma condecoração.

Uma condecoração é o reconhecimento de um País por acções e comportamentos de pessoas ou instituições. Não sei – dando apenas este exemplo - a razão de uma condecoração ao humorista (???) Herman José que, julgo, condecorado nos mandatos de Mário Soares. Só se foi pela “arte” de dizer asneiras porcas.
Isto, já para não falar na condecoração da estilista Fátima Lopes, assim como Augustos, Tenente e outros. Qual o trabalho relevante para a comunidade que tiveram, e têm, este tipo de gente ? Só se foi pela notoriedade obtida nas revistas da chamada imprensa “cor de rosa”.
Ou, ainda, o grupo irlandês de rock U2. Isto já para não falar na activista Isabel do Carmo das Brigadas Revolucionárias que esteve presa entre 1978 e 1982, acusada de “acções armadas”.
Condecorar a torto e a direito só leva a um pensamento : - Medalhas para amigos.


Mas não é só sobre as medalha que quero, hoje, escrever.

10 de Junho – Dia de Portugal de Camões e das Comunidades.

È um dia importante demais para se resumir a umas almoçaradas ou jantaradas oficiais. Nem os desfiles militares conseguem dar um cunho da importância necessária ao dia.
O Dia de Portugal é uma velha tradição, que no decorrer dos anos, se tornou na banalidade das coisas velhas e caducas.
Nenhum presidente soube imprimir, neste dia, o seu verdadeiro sentido. Tudo não passou, e continua a passar, de um mero cumprimento protocolar.
È preciso comemorar – e pronto! – temos de comemorar com qualquer coisa, nem que se resuma a medalhar uns tantos indivíduos.

Também serve para as senhoras apresentarem, nos actos oficiais, os novos modelos de vestuário produzidos pelos estilistas da moda e aromatizar as festas com perfumes do mesmo naipe.

No Dia de Portugal, o Portugal real fica para depois. Camões, é só para figurar nalguns cartazes promocionais dos eventos – e, quando figura…- e as comunidades que se lixem e fiquem lá sossegadinhos e quietos nos seus países de acolhimento, porque isto é festa para outro tipo de gente.

Pronto!
Desde que a democracia passou a ter cheiro de channel (nem sei se é assim que se escreve) a populaça que vá para a praia ou passear para os centros comerciais se chover nesse dia.

Portugal é uma coisa que a gente grita quando joga e selecção (se ganhar…), o Camões é um chato zarolho como eu e as comunidades – essas – que enviem para cá o dinheirinho e que votem nos senhores doutores para as presidências.
Pronto! Fica assim…
Manuel Abrantes

Nota: as medalhas da foto não são medalhas oficiais. Isto, pelo muito respeito que nutro pelas condecorações Nacionais

Comentários:
Bom dia, boa semana, abraços,
 
ola. se calhar os U2 ja promoveram acçoes humanitarias pela paz, ambiente e questoes sociais como o HIV.
talvez isso seja mais importante que ser alguem como tu, rabinho sentado ao computador a fazer a 'revoluçao nacionalista'.. por amor de deus. pq é fixe ? cultiva-te um pouco.
sim se calhar os u2 mereceram mesmo a medalha... ora bolas!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]