segunda-feira, junho 04, 2007


FECHAM ESCOLAS, MATERNIDADES, SERVIÇOS DE SAÚDE, TRIBUNAIS
MAS VAMOS ABRIR SALAS DE CHUTO



O candidato do CDS-PP à Câmara de Lisboa, Telmo Correia, desafiou Fernando Negrão, candidato do PSD, a esclarecer a sua posição sobre a instalação de salas de injecção assistidas (salas de chuto) em bairros residenciais.

Tudo isto porque nas listas do PSD à Câmara de Lisboa está Sérgio Lipari, ex-vereador de Carmona Rodrigues, que propôs a instalação destas salas de injecção assistidas na Quinta do Lavrado, na freguesia de São João, e no bairro do Charquinho, onde funcionam gabinetes de apoio aos toxicodependentes.

As instalações destas aberrações. que dão por nome de “salas de chuto”, foram aprovadas em reunião de câmara com os votos favoráveis do PSD, PS e Bloco de Esquerda, a abstenção do PCP e os votos contra do CDS-PP.

O candidato centrista considera, a título de exemplo, a instalação de uma sala de injecção assistida num local como o Bairro do Charquinho de «irresponsável e ilegal» acrescentando que «a lei diz que estas experiências nunca podem ser feitas em zonas residenciais: atraem droga, criam insegurança e estigmatizam uma zona já problemática».
Telmo Correia não deixa de ter razão no que afirma. Só que a questão não se deve, nem pode, colocar-se apenas nos locais residenciais mas sim em todo ou em qualquer lugar.

A droga é proibida por Lei! È uma aberração que passem a existirem locais onde a Lei não só não é aplicada como o uso de produtos proibidos passam por uma protecção oficializada e paga com os dinheiros públicos vindos dos contribuintes.

Claro que me poderão dizer que o consumo “não é punível”. Então e o fornecimento através do tráfego ?
Ou será que as salas de chuto também vão fornecer o produto ?
Isto, já não seria considerado uma aberração mas uma ilegalidade punida por Lei. Sem esquecer que, são os contribuintes, que terão de pagar isto tudo.

Fechamos maternidades, serviços de saúde, escolas, tribunais, mas abrimos salas de chuto para –segundo dizem - proteger os toxicodependentes.

Isto não será uma aberração igual a que alguém tivesse a ideia de criar uma sala de fumo no Instituto de Oncologia ?
Pelo menos aqui o consumo do produto seria legal e até contribui – ou devia…- com os impostos provenientes para os serviços em causa.
Mas não comparemos as coisas.
A droga (estupefacientes) é ilegal. Como é que se pode admitir que sejam os próprios serviços do Estado ( as autarquias são serviços do Estado) a promoverem o seu uso ?
Mas andamos a brincar com quem?
São os contribuintes que têm de sustentar tudo isto.
Fecham-nos as maternidades, as escolas, os serviços de saúde e obrigam-nos a pagar salas de chuto para que os toxicodependentes possam usar, com toda a segurança, um produto combatido por Lei ?
Mas andam a gozar com quem ?
Manuel Abrantes

Comentários:
mais uma vez se prova que este sistema politico quer extinguir os portugueses ! ao fecharem maternidades , inibem os portugueses em serem pais , ao abrirem centros de chuto , incentiva-se e desculpabilizao-se as drogas . traidores !
 
É o triste país que temos!
Ainda há quem acredite nesta gente?

Cumprimentos
 
salas de xuto e clinicas de aborto espanholas ..isto esta bonito que vai ser a seguir??? entrgar Portugal de bandeja a Espanha???
 
Pois. Bom dia e abraço, com pouco tempo.
 
Ó Sr. Abrantes, é tão fácil ser demagógico e populista!!!
Mistura argumentos que não estão relacionados e lá cria mais uma teoria de trazer por casa. As salas de chuto são uma questão de saúde pública. A sua localização é discutível, obviamente. Mas não é isso que o senhor critica, é o princípio da sua existência. O que o senhor queria, mas não teve coragem de escrever, era eliminar os toxicodependentes, não era? Resolvia-se o problema de uma vez por todas...
E depois mete ao barulho as escolas e as maternidades que é sempre um tema que fica bem usar e até dá azo a meia dúzia de comentários ocos.
 
Ao Sr. Anónimo das 12:16:
Creio bem que é o senhor e não o Sr. Abrantes quem anda a confundir as coisas.
A solução para o problema da droga não seria, como é óbvio, eliminar os toxicodependentes. Era eliminar as redes tentaculares do comércio da droga em Portugal. Em vez de meterem a mais que infame ASAE a roubar os feirantes e a fechar negócios HONESTOS por não terem exposto o cretino modelo 1327/A da execrável CE, estes desgovernos deveriam - isso sim, patrulhar as fronteiras (ouviu bem, fronteiras) deste nosso País, principalmente as do algarve, e atirar a PJ contra os verdadeiros barões da droga (muitos deles metidos na política e no futebol).

As salas de chuto apenas são um meio desses grandes traficantes lucrarem mais diminuindo os riscos, pois alguém vai ter de fornecer a porcaria às ditas salas (se é «legal»...). Ou seja, mais uma medida para aumentar a tragédia.

E, dar dinheiro a traficantes, tirando-o a pessoas honestas, fechando maternidades, escolas e hospitais, meu caro, é crime. Um crime hediondo.
 
Sr Anónimo das 12:16

O sr Ricardo Zenner fez o favor de responder-lhe - até - melhor do que eu o teria feito
 
o camarada ABRANTES nao é demagogo nem populista , apenas diz aquilo que muitos portugueses pensam , mas nao podem falar ! ainda ontem á tarde um barao da droga foi absolvido pelo tribunal da boa hora depois de num primeiro julgamento ter sido condenado , á revelia , a 25 anos de cadeia . podem ler aqui : http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=245206&idCanal=10 e ainda dizem que exite justiça em portuga !
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]