sábado, junho 30, 2007


NOVA BRONCA, NOVA EXONERAÇÃO
A BUFARIA NO SEU MELHOR


Mais um caso de exoneração, desta vez, a mando de um membro do Governo.
Maria Celeste Cardoso, directora do Centro de Saúde de Vieira do Minho foi exonerada pelo ministro da Saúde, Correia de Campos, por não ter retirado um cartaz com ditos “jocosos” sobre ele.

Alguém fez queixinhas ao ministro e, este, mandou logo retirar o cartaz. Como não foi atendido nas suas pretensões o mesmo alguém (ou outro alguém) voltou a fazer queixinhas ao ministro e, este, não esteve com meias medidas: exonerou a directora.

Como isto levantou logo uma grande celeuma o ministro resolveu fazer uma conferência de imprensa para justificar a sua acção.
O cartaz foi colocado pelo médico Salgado Almeida, que presta serviço naquele Centro e é vereador da CDU na Câmara de Guimarães, que já prestou declarações públicas e assumir a responsabilidade do acto.

Mas afinal o que é que o cartaz dizia?
Era um artigo de jornal — ampliado pelo médico — que transcrevia declarações de Correia de Campos em que dizia que nunca tinha ido a um SAP (Serviço de Atendimento Permanente) e ao qual o clínico acrescentou a frase "Façam como o ministro, não venham ao SAP".
A directora, agora exonerada, afirma que mandou retirar o cartaz assim que soube, mas de nada lhe valeu: foi exonerada na mesma.

Tudo isto não passaria de uma historieta sem importância se não fosse o caso de se tratar de uma exoneração às ordens de um ministro sob a acusação de “falta de deslealdade”.


TEMOS BUFARIA ORGANIZADA ?

Primeiro que tudo deixo bem claro que não sou da opinião que os locais de serviços do Estado sejam sítios para acções de brincadeirinhas de mau gosto ou de críticas jocosas – seja a quem for!

Mas, para que o ministro tivesse conhecimento disto, teve de haver alguém que denunciou a outro alguém, que foi denunciar a outro alguém colocado num patamar superior que, por sua vez, levou a mensagem a alguém, ainda mais em cima, e que a colocou na secretária do ministro.
Alguém, alguém, alguém…
È a bufaria no pior dos seus patamares. Pior ainda do que no tempos mais negros do Estado Novo. Uma mancha que sujou de negro o regime, tal como a inquisição sujou a Igreja de Roma.
Este caso veio juntar-se ao do professor Charrua, por ter dito uma piada sobre a licenciatura de José Sócrates. Também este denunciado por um colega.

Mas afinal quem são estes bufos?
Estão organizados? Pertencem a algum partido? Que canais possuem para levar as suas informações até ao poder?
Ou será que já existem pessoas que, por se sentirem donas do regime, actuam como tal?
Isso, foi o que aconteceu nos anos mais negros do Estado Novo. Ainda hoje – essa mancha – é a nódoa mais negra desse regime e que serve, ainda nos dias que correm, de “cavalo de batalha” aos seus detractores.

A bufaria - todos nós - sabemos como começa. Não sabemos é como acaba.
Manuel Abrantes

Comentários:
e não é gravíssimo um ministro da saúde afirmar que se estivesse doente nunca iria a um serviço de atendimento permanente? que imagem passa? que segurança dá aos cidadãos?
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]