quinta-feira, junho 14, 2007


NOVO AEROPORTO
OPÇÃO ALCOCHETE
UMA ESPINHA ATRAVESSADA NA GARGANTA SOCIALISTA


Francisco Van Zeller, presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), estima que a construção do novo aeroporto em Alcochete poupariam três mil milhões de euros. Uma verba que é muito pouco inferior aos 3,1 mil milhões de euros previstos para a instalação do aeroporto na Ota.
No projecto Ota o plano de investimentos para o período de construção entre 2010 e 2016, apresentado pelo Banco Efisa no final de 2005, prevê que o Estado tenha de investir 65 milhões de euros na compra dos terrenos para a construção do aeroporto. Num universo de 25 propriedades que tinham de ser adquiridas para perfazer os 1810 hectares para a edificação do projecto.

Segundo o Governo o projecto Alcochete vai ser estudado como alternativa à Ota mas todos os procedimentos independentes da localização, nomeadamente o modelo de privatização da ANA, seguirão o seu curso.

Só a cara alegre dos autarcas da zona Oeste, após se reunirem com o ministro Mário Lino onde foram “pedir explicações “ – a frase é deles -, demonstra que a aceitação por parte do Governo do estudo Alcochete não vai passar de uma farsa política.

O Governo vai aproveitar-se da situação para dizer, mais tarde, que houve mais estudos, ara além da Ota, mas que chegou a conclusão que a Ota é a melhor localização.

Limpa-se da imagem do quero posso e mando e faz, exactamente, o mesmo.
Mas a grande pressão não está no Governo. Está nos interesses instalados com a localização Ota.
São milhões de metros cúbicos de terra a remover; são terrenos a expropriar, são interesses urbanísticos na zona. Enfim. São milhões de euros que estão em jogo.
São lucros astronómicos e fortunas pessoais a fazer em curto espaço de tempo.

Alcochete não traria a dimensão dos negócios que envolvem a solução Ota. Até porque os terrenos, mesmos os circunvizinhos, são do Estado. E mais:
A solução Alcochete não obrigaria ao total desmantelamento do Aeroporto da Portela.
Antes pelo contrário. Isto é o suficiente para por os cabelos em pé aos interesses instalados com a especulação dos terrenos que ficarão livres depois do desmantelamento da Portela.

Isto é um autentico jogo de interesses.

As vantagens económicas com a solução Alcochete são tão evidentes que basta assistir aos debates sobre o tema para ver que os defensores da Ota já só lhes resta dizer que “é na Ota e pronto”.
Não é necessário ser nenhum entendido na matéria para ver as diferenças económicas entre a s duas soluções. Soluções económicas e, segundo os entendidos, soluções técnicas.

Sócrates deve estar furibundo. Ele não se importaria – até dava um jeitão – em se ter arranjando uma alternativa pouco credível em relação à Ota. Mas, Alcochete…
Raios partam a CIP tinha, logo, de se lembrar de Alcochete.
È bem feita! Não tinham nada de construir a Ponte Vasco da Gama naquele sitio. Assim já ninguém se lembraria de um concelho isolado na lezíria do Tejo.
Ferreira do Amaral (ex- ministro da Obras Públicas nos governos de Cavaco Silva) o meu amigo é que é o culpado disto tudo.
Ah pois é. Tem dúvidas ?

Manuel Abrantes

Comentários:
Bem metida essa.
Chegue-lhes amigo Abrantes.
 
Um bom fim de semana.
 
Bem escrito. basta ver a localização de alcochete 38.71525088743723,-9.032821655273438 com a da Ota 39.094897, -8.965530, para ver o potencial de melhor qualidade vida para os lisboetas (e grande lisboa), e para o turismo, do aeroporto de Alcochete. mais perto, junto ao rio com uma perspectiva fantastica sobre a cidade, acessos ja prontos. Ate se pode abrir uma linha de cacilheiro com Lisboa (a serio), que além de poupar toneladas de combustivel da uma nova imagem a lisboa. e pena que neste pais so se pense em obras megalomanas, em andar de carro e em tgvs .
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]