quarta-feira, julho 25, 2007


APRESENTAÇÃO DO PLANO TECNOLÓGICO DA EDUCAÇÃO
AFINAL ESTAVA TUDO ENCENADO

Zita Seabra, deputada do PSD, acusou o Governo de Sócrates de ter encenado a apresentação do Plano Tecnológico da Educação com crianças contratadas a 30 euros por presença.
Para a deputada social-democrata "no antigo regime, as crianças eram arrebanhadas pela Mocidade Portuguesa para fazer cenário político, só que não eram pagas" e, agora, com o Governo socialista são pagas para essas acções.
Zita Seabra, considerou que "do ponto de vista ético, é bater no fundo” para acrescentar que “estamos no grau zero da política”.
“O primeiro-ministro tem de explicar como é possível levar tão longe a propaganda governamental", acrescentou

Tudo começou com a apresentação do Plano Tecnológico, na passada segunda-feira no Centro Cultural de Belém e que contou com a presença do primeiro-ministro e da ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues.
Para o efeito os governantes assistiram a uma demonstração das potencialidades dos quadros interactivos, realizada por um professor e dez crianças.
Qualquer cidadão que viu as reportagens, transmitidas como o grande acontecimento do dia, pensou que se tratava de alunos de uma determinada escola. Contudo, agora, veio a saber-se que, afinal, os “alunos” foram contratados, por 30 euros, por uma empresa de casting.

Tal como afirmou a deputada "em democracia, não é admissível que crianças sejam contratadas e arrebanhadas para figurar na propaganda do Governo".
Não retiro a oportunidade da denuncia da deputada até porque, o Plano Tecnológico da Educação, representa um investimento superior a 400 milhões de euros com a instalação, em cada sala de aula e a partir de Setembro, de um computador com ligação à Internet, assim como uma impressora e um videoprojector.
Nada disto teria relevância se não fosse a apresentação do Plano possuir, como pano de fundo, uma mensagem de promoção eleitoralista..
Não está em causa a particularidade da medida. Até é de louvar e pode representar um grande avanço nas políticas do Ensino. Em causa está a forma como foi apresentado através da comunicação social.
Crianças contratadas por casting, e pagas, para encenar uma aula que se destinava apenas para “português ver”.
Isto, só demonstra que os nossos políticos apenas governam para o eleitoralismo e, para isso, não se coíbem de encenar, seja o que for, para aparecer “bonitinho” aos olhos do eleitorado.
Tudo vale! Já não podemos acreditar em nada. Uma medida governamental com todo o sentido manchada por uma pequena nódoa. É pequena – é certo! – mas não deixa de ser uma nódoa difícil de remover e que nos poderá alertar para quantas mais irão passar a existir nesta toalha de mesa cada vez mais conspurcada. E não há detergente que a limpe.
Manuel Abrantes

Comentários:
Começa a ser usual.
Abraço.
 
Caro MA, isso da escola do futuro, é para crianças com fome ou sem fome?

Cumprimentos
E continuação de um bom trabalho...
 
Boa tarde e um abraço.
 
Também parece que, nas eleições par a Câmara Municipal de Lisboa, trouxeram uns tantos velhotes para "animar a festa", assim, "democráticamente", convidaram uns jovens para esta apresentação/encenação.
Afinal tanto criticavam as "excursôes" do tempo do Salazar, e agora pelos vistos, fazem o mesmo!!!???
Belos Socialistas, ou serão xucialistas?
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]