segunda-feira, julho 09, 2007


CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA
UM FUTURO NEGRO NO CAMPO FINANCEIRO

Quem se sentar na próxima presidência da Câmara Municipal de Lisboa vai apanhar pela frente uma dívida de 1.300 milhões de euros e uma enorme dor de cabeça com o financiamento das actuais 13 empresas municipais.
Até 2010, a transferência de verbas do orçamento camarário para as actuais 13 empresas do município ascende a 2.65 milhões de euros. Isto, segundo o plano plurianual de investimentos aprovado pela anterior equipa camarária.
Ainda para este ano estão previstas transferências de 850 mil euros só para as empresas municipais.
Para uma melhor percepção do problema podemos dizer, segundo o relatório e contas do município em 2006, os subsídios da Câmara de Lisboa atingiram, entre 2003 e 2006, um total de 53,3 milhões de euros.
Só a EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural e a Emarlis- Empresa Pública Municipal de Águas Residuais de Lisboa receberam, naquele período, 30,5 milhões de euros, com a principal fatia a pertencer à EGEAC

São valores “astronómicos” difíceis de gerir e da responsabilidade das gestões anteriores.
Isto, só demonstra que a CML foi gerida sem pensar no futuro e com gestões viradas para o eleitoralismo. Já para não falar no clientelismo político.

Estamos à porta do acto eleitoral. Só resta saber quem vai a população de Lisboa entregar os destinos da cidade.
Está nas mãos de cada eleitor. Depois não se queixem…
Manuel Abrantes


Comentários:
Em Lisboa como no resto.
Bom dia e um abraço.
 
E ninguêm pede contas a estes Senhores. Será que o povo anda a dormir.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]