quinta-feira, julho 12, 2007


COLIGAÇÃO DE TACHOS

“coligação de tachos”, foi assim que Telmo Correia, candidato do CDS-PP à Câmara de Lisboa, caracterizou a nomeação governamental de José Miguel Júdice – mandatário da candidatura de Alberto Costa do PS - para gerir o projecto de revitalização da zona ribeirinha da cidade de Lisboa.
O candidato centrista acrescenta, ainda que, a candidatura de António Costa, é uma “coligação de tachos”. “Tachos para independentes, tachos para ex-vereadoras, tachos para dissidentes” acrescentou o candidato.

Por sua vez, Fernando Negrão, candidato do PSD diz que “a coincidência de ser mandatário da candidatura socialista e o convite para ser comissário para a zona ribeirinha é uma coincidência que, pode não ser, mas parece que possa existir alguma contrapartida”.

Por sua vez a candidata independente, Helena Roseta, diz sobre o assunto:
“Durante toda a campanha temos falado da questão da frente ribeirinha. É estranho que isto não tenha sido dito, afinal de contas o Governo já tinha decidido, já tinha convidado uma pessoa, já tem um modelo de gestão e nada nos é dito. É falta de transparência”.

Para Ruben de Carvalho, do PCP, considerou o convite “pouco claro” para interrogar: “vai fazer o quê, com que atribuições, com que amplitude, para quê, com que destinos?”.

O candidato socialista, António Costa – esse, como é evidente – não faz qualquer tipo de comentários.


José Miguel Júdice, diz que foi convidado para o cargo, há mais de quatro meses. Altura em que, ainda, não se falava em novas eleições para a Câmara de Lisboa.


Pois! O problema reside aí. O candidato socialista António Costa já sabia, por isso, que estava já nomeado pelo Governo um Comissário para a Zona Ribeirinha.
Já sabia e nada disse quando se discutiu, por diversas vezes, o assunto.
Este tema foi dos mais debatidos por todos os candidatos, com a exigência de uma clarificação sobre quem deteria os poderes nesta zona da cidade de Lisboa.
A esmagadora maioria dos candidatos acusa o Governo de pretender abrir portas à especulação imobiliária, na zona ribeirinha, tal como aconteceu na Expo 98. Exigem, por isso, a participação activa nos destinos desta área da cidade por parte da Câmara.

E, a nomeação de Miguel Júdice para mandatário de António Costa, deixa a “pulga atrás da orelha” nos restantes candidatos. Até porque, Miguel Júdice, é um ex-social democrata que foi, também, mandatário nas eleições anteriores da candidatura centrista de Maria José Nogueira Pinto, agora ex-CDS e apoiante declarada do socialista António Costa.

Isto é um “reviralho” do hoje estou aqui e amanhã estou ali.
Zona ribeirinha, terrenos devolutos com o desmantelamento do aeroporto da Portela. Isto é algo que cheira a milhões. Muitos milhões.
Tudo isto só me faz lembrar o refrão da velha cantiga:
“Cheira bem. Cheira a Lisboa”
Manuel Abrantes

Comentários:
Pois. Cheira mal.
Abraços, K'mrds.
 
BOA SORTE, PNR/JPC !
 
Mas não foi assim que o CDS esteve Câmara Municipal de Lisboa, coligação de tachos, ou esqueceram-se de limpar o espelho.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]