terça-feira, julho 17, 2007

OS CÁGADOS DA EUROPA
NO JARDIM À BEIRA-MAR PLANTADO


Segundo o Banco de Portugal os salários dos portugueses caíram, no ano passado, 0.7 por cento.
Segundo os dados da mesma instituição bancária, a “surpresa” destes números deveu-se ao crescimento de três por cento na taxa de inflação.

Não sei onde está a surpresa na medida em que o investimento caiu, no mesmo ano, dois por cento. Isto, sem contar com os aumentos na carga fiscal e, muito especialmente, das taxas dos juros.

Portugal, e segundo o Banco central, prevê um crescimento da economia, para este ano, de 1.8 %. As previsões da União Europeia é de um crescimento de 2.7 % na UE e de 2,4 % nos países da zona Euro. A taxa de inflação prevista é de 1,8 por cento.

Segundo as previsões, da própria União Europeia, a economia nacional deverá avançar 1,8%, em 2007, e 2%, em 2008. Ainda assim, o crescimento português será o mais baixo dos 27 países.

Perante este números digam-me lá onde esta a “retoma” Nacional ?
Crescemos, é verdade! Mas estamos afastar-nos, cada vez mais, das médias europeias.

Que a tendência de queda foi travada com o sacrifício monetário da população portuguesa é uma realidade. Mas, foi a única coisa que foi feita.
Portugal não está a acompanhar o ritmo de crescimento dos restantes países da EU como, está, cada vez mais, a afastar-se.
A contenção financeira, imposta aos portugueses, apenas travou a tendência de decrescimento que se vinha acentuando nos últimos anos. Mas, não produziu o mesmo crescimento da média europeia.
Pedimos sacrifícios, mais nada. Não soubemos criar os meios de riqueza para um verdadeiro e necessário crescimento.
Com tantos sacrifícios continuamos no “rabo da Europa” e bem lá na ponta.
È triste! Mas é a verdade.
Manuel Abrantes



Comentários:
Também ainda está por aplicar uma verdadeira estratégia nacional...
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]