terça-feira, julho 24, 2007


POBRES FUTURAS MAMÃS …

As grávidas portuguesas vão passar a receber subsídio de pré-natalidade a partir de 1 de Setembro.
O ministro do Trabalho e da Solidariedade, Vieira da Silva, anunciou a “oferta” com toda a pompa e circunstância.
Sempre é melhor do que nada. Mas vamos ver esta dádiva perto do nada.
Para já, todas as grávidas que tiverem um rendimento familiar superior a 1989 euros brutos, por mês, não recebem nada.
Isto quer dizer que a classe média ficou de fora do subsídio pré-natal.
Mas vamos ao subsídio:
Um escalão que varia entre os 32 euros e os 130 euros
As grávidas (família) com direito a subsídio passam a receber, a partir do quarto mês, 130 euros. Mas, apenas, para os agregados com rendimentos inferiores a 198 euros.
Receberão 32 euros mensais as que estiverem num patamar de rendimentos entre os 994 e os 1989 euros.
Quem estiver acima disso não recebe nada.
Segundo o ministro o Governo estima que 60 mil famílias, ou seja 60% das mães que anualmente dão à luz cerca de 100 mil bebés, deverão ser beneficiadas com prestações acima dos cem euros.

Bem! Isto é o reconhecimento que mais de metade das grávidas em Portugal estão no patamar do limiar da pobreza.
Então o Decreto-Lei nº 2 /2007 não estipula o salário Mínimo Nacional em 403 euros?
Ou a flexigurança, com o trabalho parcial, já está em vigor ?
No entanto, não deixo de saudar esta medida porque uns míseros euros sempre são melhor do que nada. Contudo, e volto a “bater” no mesmo, não nos podemos esquecer que o Governo – todos nós ! – vamos investir mais na prática abortista do que na natalidade. Iremos investir mais no aborto do que nos subsídios pré-natal.
Se calhar é mentira o que acabo de dizer…
Seis Hospitais públicos já estão a recorrer a clínicas privadas para as práticas obortistas
O coordenador nacional para a saúde reprodutiva afirmou ao Diário de Notícias que "o processo está a correr bem, embora haja alguns hospitais mais oleados do que outros". Para já, apenas tem conhecimento dos seis hospitais com parcerias com Los Arcos (clínica privada de origem espanhola) e aponta que "a maioria das solicitações foi motivada pela objecção de consciência".
Não há dúvida que o aborto é um grande negócio…
Manuel Abrantes

Comentários:
Uma miséria.
 
Fede, esta merda K'mrd.
Um abraço.
 
O regime democrático continua a converter cidadãos em mendigos. e desta vez, brinca com o futuro da Nação. Até quando a incompreensão do que é verdadeiramente essencial?

Cumprimentos.
 
�todas as gr�vidas que tiverem um rendimento familiar superior a 1989 euros brutos, por m�s, n�o recebem nada�

Permita-me a correc�o. uma fam�lia com dois filhos s� n�o receber� abono se tiver um rendimento mensal de 5967 euros. Noto que o valor do rendimento ser� divido pelo n� de filhos +1.

uma fam�lia receber� o valor m�ximo se tiver dois filhos e rendimento mensal inferior a 594 euros.

De qq modos concordo com a ideia do post: n�o h� incentivo � natalidade. As fam�lias sem filhos ficam a rir-se dos �parvos� que os t�m. Sei do que falo pois tenho tr�s filhas.

Mais: o actual m�todo de c�lculo favorece escandalosamente as fam�lias em que pai e m�e sa� divorciados pois s� considera o rendimento de um ignorando pens�es e rendimentos do outro progenitor!!!
 
Antes pouco do que nada! O que importa é começar, ainda a medida acabou de nascer e já a deitam abaixo? ou querem agora enriquecer à custa do subsídio de gravidez? Tenham bom senso, e saibam dar valor. Quem aufere rendimentos superiores a 1989 euros mês não precisa de esmolas.
 
boa tarde:

eu e a minha esposa trabalhamos a recibos verdes e gostaria de saber se realmente poderei ter direito a este subsídio, pois estamos isentos de segurança social nos recibos verdes.

obrigado
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]