quarta-feira, agosto 29, 2007


ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DÁ EXEMPLO NA POUPANÇA:
MAIS UM SECRETÁRIO/A PARTICULAR PARA CADA DEPUTADO.
-A partidocracia é uma coisa muito bonita, custa-nos é os olhos da cara…

O diploma com as alterações ao estatuto do deputado, que permite a criação do assistente individual, foi publicado em Diário da República na semana passada.
Cada deputado poderá passar a ter um assistente (secretário/a particular) quando já existem 561 (funcionários e assessores) para os 230 deputados.
Isto implica uma despesa a acrescentar aos sete milhões de euros ano, ou seja entre 300 a 500 mil euros mês, que se gastam, actualmente, com os actuais assessores distribuídos por todos os partidos.
Jaime Gama, presidente da Assembleia da República, diz que a contratação destes novos assistentes “não pode ser feita com recurso ao aumento do orçamento da AR”, até porque “o Orçamento da Assembleia não pode ter uma expansão superior à do Orçamento de Estado em termos de despesa pública e de despesas com pessoal”.

O presidente da AR fala muito bem. Não diz como, nem onde, é que vai buscar as verbas para este aumento de despesas.
Segundo ele, esta nova medida, “exigirá a obtenção de poupanças financeiras noutras áreas de funcionamento da AR” mas sem apontar, concretamente, nem o quê nem onde.
Primeiro um secretário/a particular para cada deputado e depois logo se vê.

Se, como diz o presidente, não vai haver aumento das despesas porque se irá reduzir noutras rubricas, mas sem explica onde nem o quê, só se pode tirar uma conclusão:
- Não existem nenhuns estudos para qualquer redução de despesas. O que existe, e se discute, é pura e simplesmente um secretário/a particular para cada dos 230 deputados.
Podem chamar-lhes “assessores” ou o que quiserem. È apenas uma questão de terminologia.

A Assembleia da República possui já 348 funcionários do quadro e 213 assessores, assim distribuídos: PS, 76 – PSD, 53 – PCP, 24 - CDS/PP, 22 – BE, 26 - Os Verdes, 12.

348 funcionários, mais 213 assessores, para 230 deputados não chegam ?
Isto representa uma despesa anual de sete milhões de euros.
São 561 pessoas a “servir” 230 deputados. Mais de dois funcionários por cada deputado.
Não há dúvida, a Democracia/Partidocracia é uma coisa muito bonita, custa-nos é os olhos da cara.
Manuel Abrantes

Comentários:
Pela dedução - como o parlamento tem dinheiro, de sobejo - há que gastar!!!
 
titulo muito sugestivo.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]