sábado, agosto 25, 2007


PNR PROPÕE SALÁRIO DE PATERNIDADE
-Só é necessário explicar como e com que fundos estatais
Como a comunicação social não divulga as propostas políticas do PNR, a não ser aquelas em que o acusa de racismo ou de xenofobia, “Estado Novo” não podia deixar de divulgar e de comentar as propostas, recentemente, apresentadas e publicadas no site oficial do partido.

Na rubrica “Garantir as pensões de reforma” o PNR é bastante claro na sua proposta:
“É o objectivo da política familiar que propomos a destino, nomeadamente com a criação do salário de paternidade”.

E explica os moldes da proposta:
Prioridade total à Família
“Consideramos a Família uma prioridade nacional. A Nação deve proporcionar aos pais portugueses os meios para escolherem livremente, sem restrições financeiras, entre o trabalho numa fábrica ou no escritório e a educação a tempo inteiro dos seus filhos. Com este objectivo, será atribuído ao pai ou mãe o salário de paternidade. As mães ou pais de família que se dediquem à educação dos seus filhos, conservarão todos os direitos sociais, à formação profissional e a uma reforma decente. Poderão também retomar a qualquer momento a sua actividade profissional.”

São este tipo de propostas que o eleitorado gosta de ouvir. Claro que nem todo! Porque a grande maioria colocará as mesmas questões e pedidos de explicação que vou colocar:

Pessoalmente, continuo a acreditar que a grande diferença entre os políticos Nacionalistas e os políticos do sistema reside no facto dos Nacionalista jamais mentirem ao povo com propostas que não podem cumprir se forem governo, e que –jamais !!! – entrarão na politica da demagogia barata para ganhar votos ou simpatias.
È isso que nos difere e é com esses princípios que ganharemos a confiança dos portugueses.
Com a verdade, mesmo que doa
Com clarividência nas propostas
Com a honra daqueles que, jamais, prometerão aquilo que sabem, à partida, que não podem cumprir.
A demagogia política é a antítese dos princípios básicos do Nacionalismo como corrente de opinião política.

Mas vamos à questão do “ Salário de Paternidade”
O PNR não explica como é que financeiramente será conduzida a política monetária do Estado e, neste caso, da Segurança Social para se implementar um projecto desta envergadura.
Como a única via das receitas do Estado é a via das contribuições e imposto, poderíamos pensar que, neste caso, haveria uma forma de tributação compensatória para este fim.
Mas não há
Na rubrica “Superar a angústia do desemprego” podemos ler, também, a seguinte proposta: “A redução progressiva da exagerada carga fiscal (que visa somente sustentar um Estado burocrata e despesista) permitirá que as empresas se tornem mais competitivas e criem mais postos de trabalho.”.
E na rubrica “Tornar os Portugueses proprietários” o PNR aponta:
“É imperioso realizar uma grande reforma fiscal: alguns impostos e taxas devem ser suprimidos (imposto sucessório, imposto de selo, etc.); outros devem ser reduzidos, como o IRS, Contribuição Autárquica, impostos camarários e contribuições sociais. É imperioso realizar uma grande reforma fiscal: alguns impostos e taxas devem ser suprimidos (imposto sucessório, imposto de selo, etc.); outros devem ser reduzidos, como o IRS, Contribuição Autárquica, impostos camarários e contribuições sociais”.

Eu acredito que tenham soluções financeiras que permitam colocar na prática todas estas proposta políticas.
Nem me pode passar pela cabeça que isto seja como aquela do Loucã, quando ainda não tinha metido na gaveta o trotskismo, exigia um salário para todas as donas de casa.
Nele eu aceito. Era um político que queria entrar para o parlamento a todo o custo e a qualquer preço e quando entrou passou a ser um político do sistema e a tal “ovelha negra” passou logo à história.
Claro que não vou acreditar que isso se passe, agora, com os Nacionalista que, no momento actual, possui um único partido que se assume como tal.
Para os Nacionalistas a “Verdade aos Portugueses” é o seu único caminho. E quando isto deixar de o ser estamos nas "alternâncias" e não numa "alternativa".
Manuel Abrantes

Comentários:
O marques mendes tb pedio baixa de imposto e o sr não disse nada
comoé?
 
Olhe que não. Olhe que não sr(a) anónimo...
Procure lá bem no histórico e vai ver o que escrevi sobre o assunto.
E só mais uma coisa:
O Marques Mendes não propos nenhum Salário de Parternidade para os portugueses.
Mas devo dizer:
A proposta é excelente!!!
Desde que se explique onde é que vamos buscar o dinheiro para isso.
 
os media estao comprados , todos sabemos mas porque razao é que nao publicam o que o PNR propoe , especialmente o que esta o site oficial ? os media , alias os donos dos media tem medo que o PNR com as suas excelentes propostas consiga passar a ideia de aquilo que é : responsavel , atento e soluçionador . viva o PNR !
 
Baixar os impostoe é demgagogia?
 
Sr anónimo de cima
Claro que não. Nem nunca escrevi isso. Antes pelo contrário.
Demagogia e "mentira política" é o que o governo socialista pretende fazer:
_ Baixar os imposto no ano anterior às eleições Legislativas.
Mas isso nada tem a ver com o que escrevi.
Penso eu....
 
São questões colocadas muito concretamente.
Alguém que se pronuncie.
A proposta do salário de paternidade é mt bonita e fica muito bem.
Quanto é que isso custará aos bolsos de todos os contribuintes.
Isso é que ninguem explica.
E quem é que irá ter direito a esse salário? Todos e mais alguns?
Qual é o valor estimado em milhoes de euros que isso representa.
Tenham juízo.
Devem pensar que somos todos parvos.
 
Que grande monte de tretas. O Abrantes é genial. Inventou mais um sinónimo para demagogia e populismo: o seu próprio nome.
Com que então um salário de paternidade? Deixem-me rir. Já agora explique lá isso muito bem para a malta se rir mais um bocadinho. É que com o pseudo corte de impostos não se explica nada.
 
Oh sr anonimo de cima.
O senhor não leu o artigo todo.

Que eu concordo com o Salario de Paternidade, claro que concordo.
Ate concordo que todos deviamos ter um rendimento mínimo de 5.000 com a taxa de inflação actual.
Mas leia lá o artigo.
Eu questiono como é que vão fazer em termos de finanças estatais para esse Salário de Paternidade.
Falam se ler nada.
Ok só leram o título.
 
O aumento de despesas e a diminuição de receitas fiscais são incompatíveis.
Penso que foi isso que o Abrantes quis realçar no seu post.
E c olocar um dedo na ferida,com a seguinte pergunta:Então á 2ética nacionalista"também implica propostas irrealizáveis,sem qualquer base cientifica,apenas para enganar o "zé povinho"?
Então são iguais aos outros?
Ou será pura ignorância técnica?
Questões pertinentes,que eu também gostaria de ver cabalmente respondidas.
Para cúmulo,constato que muitos nem sequer perceberam a questão,quanto mais a discussão...
Sardoal
 
alem das irresponsabilidades no que dizem e nas atitudes o pnr entrou na demogogia politica.
Alguem pode levar a serio gentalha que tem o descaramento de prometer o que jamais pode por em pratica.
isto só dá vontade de rir ou de chorar.
so tenho um nome

MENTIROSOS
 
SR Manuel Abrantes
Gostaria que desse a sua opinião sobre o que pode levar esta demagogia estupida do salário de partinidade.
 
Ana
Penso ser este o seu nome.
Como já não faço parte dos quadros desse partido não vou prenunciar –me (não devo) sobre quais devem ser as suas estratégias políticas.

Mas, como Nacionalista, tenho o dever de alertar para as consequências.
Os Nacionalistas não devem definir umas linhas de acção hoje e outras amanhã. E quando me refiro “os Nacionalistas” refiro-me, concretamente, ao único partido que, neste momento, se assume como tal: -O PNR.
Se o PNR defende um “Salário de Paternidade”, e por princípios da coerência Nacionalista, terá de manter a mesma posição se algum dos seus for eleito para o Parlamento na próxima legislatura. E só falta menos de dois anos.
Aí vai ter de explicar aos outros deputados, ministro da Finanças, ministro da tutela da Segurança Social e primeiro-ministro a pertinência e a viabilidade das suas propostas.
Vai ter de discutir a exequibilidade das propostas apresentadas. Neste caso o Salário de Paternidade.
Não vai ser discussão em blogues nem em Fóruns com o “xxix” o “97” o “mijamija”, etc. Não é uma discussão de palavreado mas de números e de propostas concretas.
E mais :
Ainda bem (mal…) que a comunicação social não liga nenhuma às proposta deste partido. Infelizmente. Porque devia ligar. Só gostava de ver um responsável do PNR a debater esta proposta concreta e a apresentar todo um esquema para a sua exequibilidade.
 
VIVA O PNR !
 
Se o sr Abrantes tivesse estado um pouco mais atento ao PNR no período em que por lá andou, teria reparado que essas Propostas já têm uns bons aninhos e que não são de agora.

Se o sr Abrantes, em vez de andar pelos blogues e foruns a falar sobre tudo e alguma coisa nos últimos tempos em que ainda era Conselheiro Nacional do PNR, estivesse mais atento ao dia-a-dia do Partido, saberia certamente que este irá apresentar até ao final do ano em Convenção Nacional uma nova versão revista e aumentada do seu Programa.

Se o sr Abrantes alguma estivesse estado realmente preocupado com estas questões, concerteza que teria prestado o seu contributo para a elaboração de tal tarefa.

Se o sr Sardoal também estivesse estado alguma vez preocupado com a base cientifica das propostas do PNR teria levantado todas essas questões nas variadissimas vezes em que participou em reuniões da Comissão Política.
Mas já agora quando quiser receber algumas luzes sobre economia real e finanças pode sempre ligar a perguntar que terei todo o gosto em responder.
Aliás, que me lembre, o sr Sardoal até esteve presente numa reunião mais alargada onde se traçaram os objectivos para a revisão do Programa, e até me lembro de que até teve uma participação bem razoável em tal reunião.

Desenganem-se, desde já, todos aqueles que pensam que no PNR se anda a brincar à Política e aos Políticos, porque a estratégia Partidária à muito que está traçada e os objectivos à muito que estão quantificados.

Ambos estiverem presentes em variadissimos eventos em que esta estratégia e estes objectivos foram comunicados, não se venham é agora fazer de desentendidos.

Pedro Marques
 
A BASE CIENTIFICA DAS PROPOSTAS DO PNR
Sr. Pedro Marques
Penso que se trata do Secretário-Geral do PNR. Se não for, peço, desde já, desculpa ao dirigente Nacional Renovador.

Se as suas resposta às interrogações aqui colocadas, sobre qual é a estratégia financeira para a vossa nova proposta politica – disse e repito: nova!!!- do “Salário de Paternidade” são as que acabou de escrever, então tudo não passou de uma “boca para o ar” sem qualquer tipo de fundamento. Nem sequer tiveram o discernimento de estudar, minimamente, o assunto. E querem os senhores colocar alguém no Parlamento na próxima Legislatura. Pobre desse(s) deputados(s) com tal retaguarda e staff de apoio.
Mas o senhor escreve e muito bem: “a base cientifica das propostas do PNR”

Se as atitudes e posições dos políticos do PNR ( o partido em si não tem culpa) não tivessem influência no Nacionalismo como corrente de opinião politica, nem sequer me preocuparia com isto. Preocupava-me tanto como a do “ordenado para as donas de casa” que o Loucã verberou quando era partidário das teorias de Trotsky.
O problema é que as atitude e as posições do PNR - até aqui, o único partido assumidamente Nacionalista - possam acarretar para todos os que se assumem como tal quer militem, ou não, nesse partido.
O problema está aí.
E – volto a repetir- gostei muito dessa da “base cientifica das propostas do PNR”.
Vê-se pela proposta do Salário de Paternidade.

Quanto a esse Sardoal. Não conheço ninguém com esse nome. Por esse nome não conheço ninguém. Aliás, por nick name usados nos bailes de máscaras dos Fóruns ( e o que é pena) não conheço ninguém. Respondo, discuto mas não conheço ninguém…
 
Senhores(as)
Configuro-me como anónimo para evitar extrapolamentos polémicos.

O senhor Manuel Abrantes e muitos mais têm razão e direito nas questões levantadas.
A exequibilidade das nossas propostas deve ser estudada exaustivamente.
Sejamos responsáveis no que dizemos e propomos.
A aldrabice política é apanágio dos políticos abrileiros.
Coerência e responsabilização é o mínimo que peço e que se exige.

Manuel Abrantes
Não deixe de andar por aí. O meu caro faz falta pela importância dos escritos (nem sempre concordo) e pelas posições assumidas.
O senhor faz falta ao Nacionalismo. As suas ideias devem ser discutidas e respeitadas.
VIVA O PNR

Não vou alimentar polémicas que possam vir a causar danos maiores. Por esse facto retiro-me.
 
Estes nacionalistas são mesmo demais. Brincam aos blogues e aos fóruns, mas na campanha para Lisboa, «na política de rua», só se viu o seu líder ressabiado e mais uns 2 hooligans.
Dizem que não são populistas nem demagógicos, e que são sérios, mas vê-se agora nesta proposta, e viu-se no discurso do seu líder nas intercalares de Lisboa o quão afastados da realidade estão, e o quão populistas conseguem ser.
Já chega de bater no ceguinho. Até isso perde a piada. Venho bater-vos de vez em quando, mas já nem dá gozo.
 
Volte sempre que queira, sr anónimo
Nunca se prive de "bater" cá no ceguinho.
 
Um bom texto e uma ideia interessante.
Cumprimentos.
 
Abrantes disse:
"A proposta é excelente!!!
Desde que se explique onde é que vamos buscar o dinheiro para isso."

Nós vamos?
O Abrantes não vai a lado nenhum...
O Abrantes já não tem nada a ver com o PNR.
 
Sr anónimo de cima.
Uma proposta de um partido é para ser aplicada a todos os portugueses se ele for Governo.
Não é uma mera questão interna partidária.
È uma proposta para ser aplicada a todos os portugueses e por isso todos temos a direito de querer esclarecimentos públicos.

Por aqui já se pode ver a noção que alguns de vocês têm das propostas politicas.
Tudo não passa de uma brincadeira como se estivessemos a brincar à politica em Foruns.
Com todo o respeito pelos Forúns. Também lá ando.
 
Isto já não é um partido é um jardim infantil de garotos traquinas.
A noção que este ultimo comentador tem de uma proposta politico-partidária.
Nacionalismo?
Vou mas é discutir e ver futebol cag.. para o Nacionalismo e mais o raio que os partam.
 
já percebi.unnnh
o salário de paternidade é so para os militantes do PNR
lol
 
haverá alguém que acredite nesta gaitagem a brincar aos politicos?
Acredito que vá haver eleitores que desiludidos com a democracia vão votar pnr só para chatear.
Serão estes os seus elitores e mais uma miudagem que daqui a uns anos estão no ps ou no psd.
 
Um post tão grande para "dissecar" um simulacro de medida política.
Um lençol de texto deste tamanho quando a ideia central se resume a duas palavras:

POPULISMO

DEMAGOGIA
 
Ora, eu não economista nem especialista em finanças nem coisa que o valha. Não tenho dados sobre orçamentos de estado nem nada... mas, julgo que num partido ou numa ideologia, tal como num líder, se confia, não por sabermos que são mais ou menos peritos nas áreas em que pretendem agir, mas pela determinação que demonstram. Quando vejo pessoas que se arriscam profissional, pessoal e financeiramente por um ideal, com o qual me identifico, acredito nelas. Acredito que têem a vontade necessária para resolver os problemas. É isso que me faz segui-los. Agora sobre o tópico em particular... Não conheço nenhum partido que explique integralmente como pretende fazer isto ou aquilo.. Isso seria dar ideias aos adversários. Há que manter, também, uma estratégia política. Além do mais, ninguém disse que essa medida era para por em prática de imediato. É algo que "se pretende", e creio, que seria após uma profunda remodelação do modelo económico português. Talvez a ideia seja encaixar essa medida num projecto maior.

Cumprimentos!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]