sexta-feira, setembro 07, 2007


PRONTO!!!
JÁ TEMOS REITOR PARA AS RELIGIÕES…

Mário Soares, o agnóstico e laico assumido, foi nomeado pelo seu confrade de partido e primeiro-ministro de nome José Sócrates, para presidente da Comissão da Liberdade Religiosa.
Ninguém sabe o que representa, na realidade, esta Comissão, mas que já está constituída é uma verdade.
José Sócrates desejou "muita sorte" a Mário Soares no momento em que lhe dava posse como presidente da Comissão, o qual ripostou lembrando que é agnóstico e laico, o que constitui "uma garantia" de que se manterá "neutro em matéria religiosa".
Para esta figura maçónica e socialista, para além de se mostrar contra o "exacerbamento dos fanatismos religiosos" diz reconhecer a relevância da religião e das instituições religiosas no mundo conturbado de hoje, onde o fenómeno religioso retomou uma enorme importância".

Não tenho dúvidas sobre o teor da imparcialidade que esta Comissão da Liberdade Religiosa irá implementar. Será o mesmo daquela máxima : todos diferentes, todos iguais.
Isto é: - Vamos “esquecer” a história e as crenças do nosso Povo e vamos tratar todos por igual no protocolo do Estado, por exemplo, a religiões que nada têm – nem nunca tiveram! – com o passado e o presente das nossas tradições e das nossas crenças.

Como, também, se sem pretender fazer futurologia:
Como não vamos colocar as imagens do Buda ou citações do profeta Maomé em hospitais e em escolas, vamos retirar todos os crucifixos em nome da igualdade dos direitos religiosos.

O problema (???) destes defensores das equiparações religiosas é que confundem as crenças dos povos com o fervor dos clubismos futebolísticos ou com a partidarite política. A história dos povos e as suas crenças religiosas, para este tipo de gente, não têm o mais pequeno sentido e são para combater energicamente.
E foi a figura de Mário Soares – socialista, agnóstico e laico – a escolhida para gerir este tipo de comissão.

E para aqueles que não sabem o que quer dizer esta duas palavrinhas, aqui vai.

Agnóstico – Partidário do sistema filosófico segundo o qual o espírito humano ainda se encontra impossibilitado de alcançar certos fenómenos como por exemplo a origem da vida
Laico – Individuo contrário a todas e quaisquer crenças religiosas.

Pronto! È a figura mais proeminente deste tipo de pensamentos – que eu, pessoalmente, respeito – que foi nomeada para o cargo de presidente da Comissão da Liberdade Religiosa.
Se Álvaro Cunhal não tivesse falecido teria, também, dado um bom presidente.

Para os que querem e que pretendem meter num gueto a religião católica, não tenho dúvidas, escolheram a pessoa mais indicada.
Só que, para meter o catolicismo num gueto, é necessário colocar a esmagadora maioria do Povo de Portugal nesse mesmo gueto.
E vamos lá ver quem é que vai acabar nesse lugar…
Manuel Abrantes

Comentários:
«Laico – Individuo contrário a todas e quaisquer crenças religiosas.»

Mas que ignorância!

Ou será má-fé?

Fique sabendo que um laico não está contra crença alguma.
Um laico até pode ter religião, sabia?

Um laico está, isso sim, a favor da separação entre Estado e Igreja.

Nada mais.

Esta lição é de borla.
 
Então vamos lá oh sr(a) da "ignorância".
Laico - vem do latim laícu e do grego laikos.
Diccionário da Lingua Portuguesa:
Laico_ não religioso; leigo; secular.
Agora só pode ter razão na palavra
laicismo- Doutrina do século XVI que reclamava para os leigos certos direitos no governo da igreja.; doutina que pretende dar a todas as instituições governamentais um caracter não relegioso.
Mas não é a palavra que está em questão é a nomeação de um agnostico e laico para um cargo de uma comissão quet tem a ver com as religiões.
A discussão é aqui!!!
 
E quanto é que a eminencia vai ganhar com o cargo ?
OU é voluntariado ?
 
São os fantoches a soldo da Nova Ordem Mundial (ou lá como se chama) a quererem impôr o pensamento único, banindo tudo o que não esteja de acordo com os ditames das bestas que os manipulam.

Um nojo
 
Obrigado Abrantes, pela má aula de «dicionário do nacionalismo I: introdução aos conceitos que definem sujeitos dos quais não gostamos».

De facto não acertou na definição de laico, mas isso não interessa.

O que interessa é que você acha que o Estado deve ajudar a Igreja Católica, mantendo uma parceria com ela. Se parceria é um termo abusivo para si, e não politicamente correcto, sempre se pode dizer que para si a Igreja Católica deve ter prioridade em cerimónias oficiais, por exemplo.
Eu acho que a Igreja Católica deve ser respeitada, mas não compete ao Estado contribuir para a sua sobrevivência. Se ela padece, e o seu espaço é ocupado por outras religiões, mas sobretudo pelo puro desinteresse das pessoas em qualquer religião, cabe à própria I.C. lutar pelo seu "público", passando o termo do marketing.
Se outras religiões florirem no nosso país, o Estado português deverá dar-lhes a mesma relevância. Tão simples quanto isto. Quanto às tradições... Portugal abraça a modernidade. Ninguém quer crucifixos na parede, caro Abrantes.
 
Mais um tacho. Só isso. O PS gosta muito deles (os techos).

Cumprimentos.
 
Anonimo de cima.
Quem é o sr ou srª para ter a leviandade de afirmar que “ninguém quer os crucifixos nas paredes” ?
Tem dúvidas sobre a fé católica dos portugueses?
Pior do que ser cego é aquele que não quer ver.
Os milhões que vão orar a Fátima, para si, é apenas um passeio turístico?
Todo um passado da nossa história baseado na fé não lhe diz nada?
Mesmo com os muitos erros cometidos…
Mas eu respeito as suas ideias. Só espero que, também, respeite as minhas
 
espero que uma outra maioria parlamentar tenha a coragem de revogar a lei que criou esta comissão, em portugal existeliberdade de religião, e não precisamosdesta comissão. E duvido muito das intenções de sr Mario Soares, e dos socialistas nesta matéria, eles não querem garantir qualquer liberdade de religião, mas sim controlar as religiões, e se possivel acabar com elas. Pedro soares moimenta
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]