sexta-feira, outubro 19, 2007


AS TETAS DA VACA DOS FUNDOS COMUNITÁRIOS
VÃO SECAR PARA PORTUGAL



Nos últimos 20 anos, Portugal recebeu de fundos comunitários 50 mil milhões de euros.
O próximo quadro comunitário de apoio, o Quadro de Referência Estratégico Nacional, prevê que Portugal venha a receber, entre 2007 e 2013, mais 21,5 milhões de euros.

Acontece que, provavelmente, - se não houver alterações das estratégias nos Quadros de Apoio – este será o último em que Portugal se encontrará como recebedor.
Tal como afirmou o Presidente Cavaco Silva, espera que o Governo se empenhe para Portugal se “aproximar do desenvolvimento dos 15 países mais ricos” da Europa Comunitária.

Se não acompanhamos o ritmo europeu com os 50 mil milhões de euros, que recebemos durante 20 anos, não estou a ver como o iremos fazer nesta ponta final com os 21,5 milhões que prevemos receber.

È certo que nos desenvolvemos em infra-estruturas mas, economicamente, grande parte das indústrias que desenvolvemos com os fundos europeus ou já encerraram ou estão em vias disso.
Grande parte da economia portuguesa cresceu na base do investimento estrangeiro e não na base dos fundos comunitários que recebemos.
Fizeram-se fortunas pessoais o foi criada uma classe de “novos ricos. Isto, é uma verdade !

Ao fim de 20 anos, e com uma injecção de 50 mil milhões de euros, continuamos no “rabo” da Europa em termos de desenvolvimento económico.
Hoje, segundo o Inquérito às Condições de Vida e Rendimento referente a 2005, um quinto da população residente vivia em risco de pobreza. O que quer dizer que este número é, nos dias de hoje, muito maior. Isto sem esquecer que temos uma cifra de mais de oito por cento de desempregados. E estes oito por cento são os que estão inscritos como tal. Não estamos a falar nos que não estão inscritos no Fundo de Desemprego, os que emigraram e o trabalho sazonal.
Portugal está na cauda da Europa Comunitária na questão do desenvolvimento, e como se atrasa na percentagem referente ao crescimento económico, a nossa situação aponta para um afastamento, cada vez maior, da média europeia.
Não restam dúvidas que os 50 mil milhões de euros desenvolveram as infra-estruturas mas, em termos de desenvolvimento económico, pouco ou nada restou. Mas que houve fortunas pessoais feitas à base disso – isto - não é novidade para ninguém.
Manuel Abrantes

Comentários:
Bem visto e muito oportuno.
Por onde anda esta massa toda ?
E a vaca vai secar o leite.
 
Agora que vamos ser nós os pagantes é a bancarrota.
Meia duzia sacaram os dinheirinhos da Europa.
Fizeram-se fortunas à conta disso.
E agora ?
MT
 
Acontece é que nem nas infras-estruturas os dinheiros foram bem aplicados.
Dou um exemplo:
Gastaram-se milhões na auto-estrada Lisboa- Porto apenas com duas faixas de rodagem me cada sentido.
Agora gastamos mais milhões a desfazer o que estava feito para acrescentar uma terceira.
Foi tudo obras para o eleitoralismo.
O importante foram as inaugurações.
M Lino
 
Só o Manuel Abrantes de lembraria de um título destes.
Vai em frente.
Grande amigo e grande pensador.
Ajuda Portugal e a PÀTRIA que ela te contemplará.
PÁTRIA HONRAI QUE ELEA VOS COMTEMPLA
VIVA PORTUGAL
VIVA A NAÇÃO PORTUGUESA
 
Meu Caro
Abrantes,

Tudo o que dizes é verdade,mas de quem é a culpa, será dos políticos, ou nossa (genéricamente falando)?
Todos nós sabemos que muita gente nos partidos (e fora deles) se tem governado à custa dos fundos da UE, mas então porque se continua a votar e a eleger sempre a mesma fauna política?
Sinceramente, parecemos um bando de atrasados mentais (a generalidade dos votantes), andamos à mais de 30 anos a dizer mal dos políticos e a dizermos que somos enganados e não aprendemos a lição?
Já nem os políticos nos ligam, fazem o que lhes apetece, e estão-se nas tintas para o "pessoal", e no fim até tem razão, bem podemos aplicar aquele velho ditado "quanto mais me bates, mais gosto de ti".
O Povo português não tem emenda, parecem aqueles cãezinhos que quando ralhamos com eles baixam a cabeça com medo, mas basta dar-lhes uma festinha e lá começam todos contentes a abanar a cauda.
Será que os portugueses pertencem à raça canídea?
Já só se leva isto na risota, senão é um "Vale de lágrimas"!
Um abraço

LUSITANO
 
Todos sabemos que quem vai"mamar na teta" é algumas contas bancárias milagrosas e alguns off-shores.
De resto vamos aguardar pela evolução e distribuição dos montantes, e depois da teta secar, para onde iremos ????

cumprimentos
marcorijo
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]