sexta-feira, novembro 09, 2007


ASSALTO ÀS CAIXAS REGISTADORAS

Parece um título de noticia sobre assaltos de bandidagem, mas não é. Bem! Não é, mas parece.
Segundo escreve o “Correio da Manhã” a repartições de Finanças do Distrito de Lisboa têm várias equipas no terreno com ordens para penhorar créditos, contas bancárias e “apuros de caixa” de vários estabelecimentos comerciais
São 20 equipas do Fisco (40 funcionários) que podem, ao fim do dia, entrar em restaurantes, lojas de pronto-a-vestir ou gasolineiras e retirar o conteúdo da caixa para pagamento de dívidas fiscais.
Segundo apurou o Correio da Manhã, esta prática, que tem absoluta cobertura legal, só é aplicada depois dos contribuintes devedores terem sido devidamente citados para pagarem as dívidas num prazo máximo de 30 dias.Depois de penhoradas as quantias que se encontram em caixa, os funcionários do Fisco deixam ao devedor uma guia de depósito que comprova a apropriação das verbas em causa em nome do Estado.

Legal ou não, vamos comparar com o seguinte caso:
Se um fornecedor fizer o mesmo ao um seu cliente devedor, o que lhe acontece ?
Pode o leitor ter a certeza que o fornecedor é logo acusado de roubo. E pode ter a certeza também que é detido de imediato.
Então o Estado pode fazer o mesmo e com cobertura legal ?

Mas em que país estamos a viver ?

Não apoio quem deva ao fisco ou seja a quem for. Mas isto ultrapassa todas as marcas.
Isto nem nas republicas das bananas.
Ou será que somos já uma dessas repúblicas.
Não vivemos num Estado de Direito onde só os Tribunais podem fazer e aplicar a Justiça ?

Isto ultrapassa tudo!
Isto já não é um Estado Social. È um Estado que aplica a Justiça pelas suas próprias mãos, ultrapassando tudo e todos.
Quem pára esta gentalha ?
Manuel Abrantes

Comentários:
Isto sim é ditadura!
Vamos fazer uma revolução. Alguém sabe cantar a grandola vila morena? ihihih
 
Tambem li a noticia.
So tenho um palavre:
- VERGONHA!!!!
 
ESTADO SOCIAL!
ESTADO DE DIREITO!
DEMOCRACIA!
Mas isso come-se, serve para alguma coisa?
O único Estado que conheço e que dá frutos, é o ESTADO INTERESSANTE.
Meu Caro Abrantes, somos os dois da mesma idade, já temos por isso, idade para ter juízo, os "pequenos", que
ainda andam com os "cueiros" agarrados ao rabo, é que podem acreditar nisso, eu, há muito que me convenci de que, isso são só tretas.
Antes da Abrilada, tinha esperanças, de que, um dia havia de viver num Estado assim, mas, dois ou três anos, bastaram-me para ver que tipo de "cavalheiros" eram estes que, tomaram conta cá do quintal.
Só totós e parvos por natureza é que, ainda acreditam nessas esparrelas, infelizmente isso não passou de uma quimera para mim e para aqueles que acreditaram no 25/4 e pensavam que, iamos ter um Portugal melhor, afinal enganá-mo-nos, e dou por mal empregue o tempo que andei armado em parvo, quer antes, quer depois de Abril, a fazer o jeito à esquerda oportunista, convencido de que, eram homens de princípios, ora aí estão os princípios, "venha a nós o vosso reino" e o resto são cantigas.
Posso aceitar que, um Estado faça os possíveis para receber os impostos que lhe são devidos, mas, para isso tem de se comportar como uma pessoa de bem e tem de estar ao serviço do Povo, é para isso que há Estado, não é um organismo para se alimentar apenas desse Povo, favorecendo em contra-partida, os ricos, isso não é dum Estado de Direito, mas dum Estado torto, dum Estado discricionário, dum Estado injusto.
Certamente, a maioria dessas lojas, se calhar, nunca tiveram quaisquer auxílios do Estado, ao contrário das grandes empresas, onde parece que, o Estado é que é o banqueiro das mesmas, só que, nem recebe nem juros, nem o que lá investe.
Se todos tivessem os mesmos direitos e deveres, não haveria auxilios para os grandes, enquanto os pequenos ficam a ver navios.
Dessa maneira, o que os pequenos empresários deveriam fazer, era fechar portas, pôr os empregados (os que os tiverem), no olho-da-rua, e depois irem todos para a porta da Assembleia da República pedir esmola, talvez assim fosse melhor.
Não, não acredito que este país já algum dia venha a melhorar, o que houver, há-de ser repartido entre os grandes, e o
povinho ainda há-de acabar com grilhetas nos pés e: "TRABALHA ESCRAVO"!
Os patetas dos nacionalistas, que, tiveram tantas oportunidades de se fazerem ouvir, e foram atrás de "folclores" e acabaram a falar sózinhos.
Isso é que me dana!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]