segunda-feira, janeiro 07, 2008


CDS/PP QUER SECRETÁRIO DE ESTADO DO COMÉRCIO E INSPECTOR-GERAL DA ASAE A DAREM EXPLICAÇÕES NO PARLAMENTO


O líder parlamentar do CDS/PP, Diogo Feio, em conferência de imprensa, argumentou ainda que a actuação da ASAE tem vindo a ser debatida na praça pública, pelo que está na altura da matéria ser discutida no Parlamento.

“É preciso determinar se temos ou não em Portugal uma Polícia do gosto”, frisou o deputado, dando como exemplos para esta eventual actuação as acções de fiscalização e “talvez um excesso de regulamentação”, desde “as colheres de pau às bolas de Berlim”

Perante isto os democratas-cristãos querem ouvir o inspector-geral da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e o secretário de Estado e do Comércio, Fernando Serrasqueiro, no Parlamento, de forma a apurar eventuais abusos daquela força.
O deputado centrista defendeu ainda a necessidade de ser discutida a “possibilidade de abusos” por parte da ASAE que possam colidir com “direitos individuais dos cidadãos”.



O excesso de mediatismo da ASAE é nisto que dá. Quem gosta de se exibir na praça pública está sempre sujeito aos devaneios opinativos.
Mas, é mais do que necessário que a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica explique, nos locais próprios, a sua forma de actuar e – pelo que é dado a perceber – a forma fundamentalista de interpretação da sua actividade. Até porque, o seu inspector-geral, tem distribuído opiniões bastante polémicas em órgãos de informação.
A preconização do encerramento de mais de metade dos estabelecimentos hoteleiros no País é uma opinião muito arriscada para quem ocupa um lugar público de tal responsabilidade. Que tenha opinião própria é salutar e tem esse direito. Mas, não o deve fazer enquanto ocupar o lugar que ocupa.
Não vou aqui escrever sobre cigarradas, que no caso foi charutada. E não o vou fazer por um único motivo: - Aqui no “Estado Novo” escreve-se sobre acções políticas e não sobre a vida privada de ninguém.
È que de santos e santinhos está o inferno cheio.
Manuel Abrantes


Comentários:
Gostava de saber o que estes inspectores da ASAE, pensam sobre isto tudo ?
Na minha opinião isto é tudo uma palhaçada e das grandes.
O dito cujo (palhaço-mor)da ASAE, pode fumar no casino e o outro biltre da D.G.S., para fazer figura de menino bonito disse que tudo se compõe.
Depois andam a atacar a restauração como se fosse um bando de criminosos.
E agora prevalece uma politica de chibaria e bufaria sobre alguma coisa que não goste ou não esteja a seu gosto.
Acho que chegou a altura de travar esta estúpidez galopante que se está a criar no país.

É claro que sou a favor de uma politica de higienização dos alimentos ,mas com um propósito pedagógico e não prepotente.

marcorijo
 
Então diz o marcorijo que a higiene deve ser ensinada. Pois, eu também acho que sim. Mas se um cozinheiro for ao quarto de banho, e em seguida vier mexer na comida que confecciona para mim sem lavar as mãos, eu acho que ele deve ser coagido de forma um pouco mais... hum... firme. Digamos que uma pancadinha nas costas e um vídeo instrucional sobre higiene antes de preparar alimentos não vão bastar. O mesmo para as bancadas mal limpas, alimentados mal acondicionados, etc. Há coisas básicas, meus colegas.
 
O marcorijo não acha nada, ele apenas vai atrás... Se lhe tivessem dito que era bom, ele estava aí a dizer maravilhas daquela porcaria.
 
E bem, por uma vez.
Um abraço.
 
Em relação ao blogger fa, tenho a dizer que esses exemplos que escreveu são exemplos que não contam , visto ser uma questão básica de higiéne lavar e desinfectar as mãos assim como os utensilios quando se está na cozinha.
Só não sabe isso quem não frequenta com assiduidade a restauração ou então frequenta aquela minoria que realmente é deplorável e deve ser punida como tal.
Pois devo-lhe dizer meu caro que se as novas regras da ASAE, forem implementadas á risca, vai-se deixar de comer bacalhau nos restaurantes, pois é proibido congelar o dito cujo após ser demolhado, assim como outras tantas iguarias gastronómicas que vão ficar de fora da restauração.

É contra este tipo de medidas que eu me oponho,estas e muitas mais que empobreçem a nossa gastronomia.


marcorijo
 
Em relação ao nick, zé maria, ou vêm para aqui destabilizar e vêm enganado, ou então não percebe nada de restauração.
Que já agora fica-lhe bem o nome porque o seu homónimo do big brother também teve um restaurante e faliu.
Se calhar aprendeu consigo.

marcorijo
 
O problema em toda a questão é que por detrás da legislação se impõem as grandes indústrias com os seus produtos contra os pequenos comerciantes. A este respeito escrevi um texto em: http://justo.blog.comunidades.net
Atenciosamente
António Justo
 
Marcorijo quantos sao 2 mais 2 ?
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]