quarta-feira, fevereiro 20, 2008


66 MIL LICENCIADOS NO DESEMPREGO



Segundo o Instituto Nacional de Estatísticas existem 66 mil licenciados desempregados no último trimestre de 2007, o que representa mais nove mil do que em igual período de 2006.
Isto falando apenas nos licenciados. Apesar da taxa de desemprego ter baixado no último trimestre para 7,8%, no conjunto do ano a situação agravou-se para os 8%, o que significa mais 0,3 pontos percentuais do que em 2006.
Esta taxa anual representa o valor mais elevado em, pelo menos, dez anos. O número de desempregados aumentou 78% entre 1998 e 2007, passando de 252 mil para 448,6 mil.

Será este o País das maravilhas tão apregoado pelos socialistas no governo ?
Será este o futuro que nos reserva esta demo-partidarite ?
Cada vez temos menos dúvidas sobre isso e mais certezas que, com estes políticos, o futuro dos portugueses ( e não só…) é sombrio.

Quanto aos licenciados, podemos ter a certeza de uma coisa: o número vai ser crescente.
Com as fronteiras escancaradas, e com o nosso sistema de ensino num caos, a entrada de imigrantes, especialmente do leste europeu, será uma constante. E, para os nossos licenciados, nada mais lhe resta do que procurar trabalhos não especializados em qualquer país mais desenvolvido do que o nosso.
Expulsos do seu próprio País.
Estou a ser radical nas minhas palavras. Pois estou…
Mas é mentira ?

Manuel Abrantes


Comentários:
A pior imigração, que nos vai colonizando lentamente, tem origem nos países africanos oprimidos pelo comunismo e no Brasil também ele nas garras do comunista Lula da Silva.
O desemprego só não subirá mais se os portugueses deixarem de ter filhos.
 
Não há nada a fazer. O passado persegue-o. Então e no ESTADO NOVO? Havia muitos licenciados, havia. Eram mais que as mães.
 
Não!
Haviam mais mães do que licenciados.
È uma verdade.
Não havia era licenciados desempregados
 
Havia mesmo mais mães, Abrantes? Até acredito, mas vamos lá sustentar isso com estatísticas. É que se calhar até não...

Realmente os licenciados tinham emprego mal saíam da faculdade. Eram meia dúzia. Não era muito difícil. Consta que agora já são alguns, e que por acaso não são somente das classes possidentes. Coisas que a democracia permite, por muito má que seja.

Quanto aos imigrantes, eles não são a causa de os nossos licenciados não terem emprego. A razão prende-se com as características do nosso tecido económico que ainda é pouco desenvolvido. Os imigrantes, até ver, não ocupam empregos qualificados... porque eles escasseiam.
Mas sabe, se calhar vamos precisar mais de imigrantes. A emigração dos anos 60 provocou um rombo na nossa estrutura demográfica, e possibilitou um envelhecimento ainda mais acelerado de que podia prever. Já não bastava a natalidade decrescente a partir dos anos 70 e 80, ainda tínhamos de sofrer, décadas depois, com os efeitos de um fenómeno migratório que sangrou o nosso país. E sabe de quem foi a culpa? Da regressão civilizacional do "estado novo" e da miséria em que nos meteu. O povo só podia mesmo fugir!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]