segunda-feira, fevereiro 25, 2008


PNR NÃO RECONHECE A INDEPENDÊNCIA DO KOSOVO

A Comissão Politica do Partido Nacional Renovador, em comunicado oficial, considera um acto de violação do direito internacional a declaração unilateral da independência do Kosovo.

COMUNICADO DO PNR
O PNR não reconhece a independência do Kosovo, declarada unilateralmente e apoiada por parte da comunidade internacional do Ocidente, já que configura um acto de violação do direito internacional, desta vez contra a Sérvia, nação com a qual o PNR se solidariza e apoia, alertando ainda para o perigo da kosovização cujo precedente foi agora aberto.
Depois da invasão do Iraque, os EUA violam novamente o direito internacional, de modo impune, apadrinhando agora uma “independência” muçulmana na Europa e contando também com o apoio subserviente de vários países europeus.
É neste panorama que se observam situações caricatas onde, em manifestações, muçulmanos ostentam a bandeira da “inimiga” América.
Deste modo, ao patrocinarem a independência kosovar, os EUA e a EU, além de desrespeitarem a Sérvia - nação soberana - estão a apoiar a afirmação muçulmana na Europa.
Esta declaração de independência, promovida pelos “polícias” do mundo, além de ilegal e irresponsável, abre uma crise política e diplomática de consequências muito graves e imprevisíveis.
Importa ainda não esquecer que as políticas irresponsáveis de imigração, levadas a cabo pelos países europeus, estão a minar a própria Europa e levarão a que a traição hoje cometida contra a Sérvia venha a verificar-se amanhã contra uma outra nação europeia qualquer.
O PNR responsabiliza assim os Estados Unidos da América e a União Europeia pela traição cometida contra a Sérvia e pelas consequências futuras para a História da Europa, alertando também para o perigo da kosovização em diversos países europeus, nomeadamente em Portugal se continuarem com estas políticas suicidas de imigração.
Comissão Política Nacional
O meu comentário
A Posição do PNR está correcta. Foi uma posição unilateral e completamente contrária do Direito Internacional.
Até aqui, tudo bem!
Mas, quando coloca a questão: “estão a apoiar a afirmação muçulmana na Europa”, já não estamos no caminho da defesa do Direito Internacional. Já estamos a falar em raças e credos religiosos.
Não retiro razão à afirmação. Mas não podemos misturar a defesa do Direito Internacional com questões de raças ou de credos religiosos.
Que sejamos contrários às declarações independentistas, só porque uma raça ou credo religioso impera numa determinada área geográfica, é o caminho certo. E, para isso, tanto faz serem muçulmanos, hindus, católicos, brancos, pretos ou amarelos.
Porque se fossem brancos e católicos da cochichina a violação do Direito Internacional seria a mesma.
Pela defesa do Direito Internacional não podemos – não devemos – misturar raças ou credos religiosos.
Contudo, não deixo se saudar a posição do PNR.
Manuel Abrantes


Comentários:
Manuel Abrantes
Por muitos nomes feios que os seus ex-correligionários de partido lhe chamem, perderam um pensamento esclarecido e uma visão humanista do que vocês chamam de nacionalismo.
Mário Contumélias
 
Risos. Muitos risos. Ri-me a bom rir quando li o título. "PNR não reconhece..." Mas o que é que o PNR reconhece ou deixa de reconhecer? O PNR, quanto mais não seja, tem uma posição sobre o assunto. Uma opinião. «Opiniãozeca», na minha opinião, mas ainda assim têm o direito a palrar à vontade. Agora o "reconhecimento" do PNR teve piada, lá isso teve.
 
Kosovo é Indepêndente.
Pnr é para acabar .
 
E vai reconhecer a independência dos Açores e da Madeira?
Aqui na Madeira, já estamos à espera que os "actuais Miguéis de Vasconcelos" acabem de entregar aos castelhanos e à finança predadora internacional o resto de soberania que ainda vos sobra...
A partir daí, cada um para seu lado.Bye, bye...
 
Devo dizer que fartei-me de rir com este assunto do pnr versus kosovo.
Eu que pensava que esse partido já tinha acabado e ainda anda a mandar "postas de pescada",sem nexo nenhum.
 
É isso é, e olha até que o PNR vai ser recebido na 5ª feira pelo Embaixador da Servia, vejam lá o que é que o Partido acabou.
E fiquem atento que o assunto, esta semana e nos próximos ainda não fica só pelo embaixador.

Quanto a isto " Manuel Abrantes
Por muitos nomes feios que os seus ex-correligionários de partido lhe chamem, perderam um pensamento esclarecido e uma visão humanista do que vocês chamam de nacionalismo.
Mário Contumélias " foi o sr Manuel Abrantes que decidiu sair, por isso entre quem perdeu e quem ganhou com essa saida não é liquido que o saldo seja esse.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]