terça-feira, abril 15, 2008


PARTIDO DA LIBERDADE (PL) AVANÇA A BOM RITMO

Publicado no “Diário de Aveiro” e no blogue “Arestalia” o Partido da Liberdade (PL) informa os leitores das suas posições e sobre o andamento na recolha de assinaturas para a legalização do partido.
Pelo menos – é a minha opinião – estes, ainda, vão tendo actividade e estão no caminho para concorrerem às eleições que se avizinham.
MA


Portugal necessita de um «26 de Abril», livre de amarras e preconceitos, e para que tal aconteça é necessária uma nova revolução na luta pela queda do actual sistema esvaziado de princípios, decadente, vazio, gasto e corrupto.
Está na hora, pois, de lutar por uma «IV República» e por uma Nova Constituição, expurgada de conteúdos ideológicos e consagrando a Verdadeira Liberdade com Responsabilidade, onde terão definitivamente de ter lugar direitos e deveres, garantias e obrigações, para a construção de uma sociedade mais justa e harmoniosa.
O Partido da Liberdade (PL), que continua a sua recolha de assinaturas de cidadãos portugueses, recenseados por todo o país, já alcançou cerca de um terço das assinaturas necessárias à sua inscrição no Tribunal Constitucional, cumprindo assim com os objectivos de reunir este ano as 7500 assinaturas, e de realizar o seu Congresso Fundador.
A par desta árdua tarefa, injustiçada pelo aumento incrementado na última revisão da Lei Geral dos Partidos, de 50% do nº de assinaturas necessárias para constituir um novo partido em Portugal, têm sido desenvolvidos os trabalhos para a elaboração dos Princípios Programáticos e dos Estatutos do PL, para os quais muito têm contribuído os testemunhos e a participação de muitos cidadãos, que encontramos muito preocupados com o país, e interessados no nosso projecto, com os quais vamos contactando durante as «recolhas de rua».
Sentimos que os portugueses estão desacreditados dos políticos e das políticas, e sobretudo cansados dos profissionais da política e dos políticos «feitos» de mais do mesmo, mas ainda assim, também ficamos com a firme certeza que estão instalados nas pessoas sentimentos de revolta e um desejo tão grande de mudança, que serão surpreendentemente (ou talvez não), capazes de se revelarem mais cedo do que aquilo que o «sistema instalado» em Portugal poderá imaginar!Escutamos atentamente, os mais variados gritos de revolta que vêm de encontro aos nossos princípios e aos valores que defendemos.
A falta de Liberdade é hoje uma constatação em Portugal, e após o enorme desencanto com o socialismo e com as liberdades prometidas de Abril que sempre ficaram por cumprir, há que olhar em frente e lutar por uma nova liberdade.Portugal necessita de um «26 de Abril», livre de amarras e preconceitos, e para que tal aconteça é necessária uma nova revolução na luta pela queda do actual sistema esvaziado de princípios, decadente, vazio, gasto e corrupto.
Está na hora, pois, de lutar por uma «IV República» e por uma Nova Constituição, expurgada de conteúdos ideológicos e consagrando a Verdadeira Liberdade com Responsabilidade, onde terão definitivamente de ter lugar direitos e deveres, garantias e obrigações, para a construção de uma sociedade mais justa e harmoniosa.
Um país em total «desequilíbrio» é o que sentimos. Um país que em pouco mais de três décadas de uma jovem democracia, passou de «oito para oitenta» é o que constatamos. É urgente ir de encontro ao bom-senso mantendo o que de melhor se conseguiu, mas voltando a recuperar o que de mais importante se perdeu.Portugal sofre hoje com a crise económica do país, da Europa e do Mundo, mas sofre em particular com a crise de valores que se instituiu, gerada pelo oportunismo do poder, pela ganância desmedida de quem nos vem (des)governando, e pela corrupção que se tornou ao longo dos anos desgraçadamente banal, e uma «normalidade» transversal a todos os sectores da sociedade portuguesa.
Urge a mudança, enquanto é tempo!

Comentários:
Caro M. Abrantes, Inicialmente o PL iria disputar o mesmo eleitorado do PND, todavia após ler o novo manifesto do PL, verifico que o "concorrente directo" será o PNR.

Na sua opinião, a que se deverá esta mudança súbita de orientação ideológica do PL?
 
as oportunidades para o nacionalismo português vão surgir dentro de pouco tempo,o sistema financeiro mundial que suporta a globalização, jã não agusta muito mais, e quando ele cair o sistema liberal multicultural e os partidos do sistema caem com ele. O PNR e o PL e também o BDN são o inicio de um movimento, mmas não o fim, todos aqueles que têm a corajem de se expor fisicamente e publicamente merecem ser apoiados
 
Amigo Francisco Xavier.
Na minha opinião há espaço político para o PL e para o PNR.
O Partido da Liberdade não se assume pela defesa do Nacionalismo enquanto o PNR assume-se como tal.
São princípios diferentes. Mas, por vezes, muito próximos.
São partidos que podem trabalhar em conjunto. Mas, em posições políticas diferentes.
Na minha opinião nem o PL nem o PNR podem viver politicamente isolados.
Espero que tenham o bom senso para perceberem isso.
Manuel Abrantes
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]