quinta-feira, outubro 16, 2008


DO PRESIDENTE DO PNR AOS NACIONALISTAS

Não sendo apoiante deste partido mas reconhecendo a grande honestidade, como homem e como político, de José Pinto-Coelho ( Presidente do PNR), não podia deixar de publicar a sua mensagem de Outubro publicada no site do partido a que preside.

DO PRESIDENTE AOS NACIONALISTA

No dia 29 de Setembro, o PNR colocou um novo cartaz contra as políticas de imigração suicidas e anti-nacionais, tendo por título, “Imigração? Nós dizemos não!”.
Trata-se de um assunto muito sério, que o PNR encara com grande determinação e coragem, tendo propostas bem concretas de resolução de tal problema.
A oportunidade da sua colocação prendeu-se obviamente com a onda de criminalidade violenta, mais visível, a que o país assistiu nos últimos meses, a qual está obviamente associada à imigração, sendo um dos “benefícios” que o país deve “agradecer”…
No cartaz identificamos causas e consequências das políticas irresponsáveis de imigração descontrolada. O que não está lá identificado, por estar naturalmente implícito, é a causa primeira deste mal, ou seja, os grandes (ir)responsáveis: os donos do poder!
Como sempre temos afirmado, o que está em causa não é a pessoa do imigrante em si, nem a casuística, pois como é óbvio há sempre o trigo e o joio.
Os imigrantes, trabalhadores, respeitadores, integrados e que sejam uma mais-valia, deverão ser naturalmente bem vindos e acolhidos. Esses, estamos seguros, não se sentem atingidos pela nossa mensagem. Mas pelo contrário, a imensa massa de imigrantes ilegais, marginais e subsídio dependentes só deve ter um destino: rua!

Parte 2
No dia 3 de Outubro foi conhecida a sentença do mega processo contra Nacionalistas que se revestiu todo ele de “originalidades” e arbitrariedades.
Sendo este um tema por demais chocante, injusto e surrealista, não me vou alongar em comentários, pois já muito tenho escrito e em momentos de consternação como este, as palavras ficam sempre curtas.
Basta-me assim deixar um grande abraço de solidariedade e de coragem às vítimas da perseguição e às suas famílias.
Apenas uma reflexão: os noticiários da noite desse dia, deram bem a ideia da injustiça que se vive em Portugal, da falta de paridade de critérios e por isso da perseguição aos Nacionalistas. Noticiavam pois, a sentença dada a um homem de 58 anos que violou uma menina de 12, o qual nem sequer mostrou arrependimento:
pena suspensa!
Esse mesmo noticiário, momentos antes, informava da pena de prisão efectiva ao Mário Machado - figura mais mediática do mega-processo dos Nacionalistas - de 4 anos e 8 meses, não tendo havido um só crime de sangue, roubo, corrupção… nada! Apenas bagatelas. E ao Vasco Leitão, membro da Comissão Política do PNR, 1 ano e 8 meses de pena suspensa por uma frase escrita na net. Sublinho: uma frase!Quem quiser ver, veja...

Parte 3
a Câmara Municipal de Lisboa, por ordem do Vereador José Sá Fernandes, retirou o nosso cartaz afixado há dias em Entrecampos, num acto claramente ilegal e prepotente.De facto, um cartaz - do PNR, claro - incomoda muita (má) gente. Incomoda porque colide corajosamente com a ditadura do sistema de destruição nacional.
Incomoda porque, apesar de nos menosprezarem e tentarem ridicularizar, sabem bem que tendo coragem e coerência havemos de crescer e incomodar realmente mais!
Sabem que dizemos verdades!
Assim, num acto de manifesto desnorte e baixaria, o vereador comunista José Sá Fernandes, aprendiz de totalitário, mostrou bem a sua arrogância e falta de nível, mostrando também que, efectivamente, o Bloco de (extrema) Esquerda tem um imenso poder para agir impune e ditatorialmente.
O tal “Zé” que dizia demagogicamente fazer falta, além de não fazer falta nenhuma, merecia era ser mais uma ovelha negra a acrescentar em futura propaganda nossa.
Ele que embargou as obras do Túnel do Marquês provocando danos e prejuízos tremendos à cidade e ao país. Ele devia era preocupar-se, por exemplo, com o Jardim do Torel, que foi há um ano alvo de manifestada preocupação por parte do PNR, em sede camarária, e que é uma imagem do desleixo e abandono do centro histórico de Lisboa, onde o matagal, o covil de marginais e zona de lixo visual e não só, convivem em perfeita “harmonia”, faltando lá apenas umas sessões de desobediência civil tão acarinhadas pelo seu Bloco de (extrema) Esquerda…
Pois esse Zé, está mais preocupado é em silenciar as vozes que o incomodam e dizem as verdades com coragem, mandando retirar o nosso cartaz num claro abuso de poder e ilegalidade.
Ele, que é pago, e bem pago pelos contribuintes - já para não falar na sua tropa de Assessores! - e que foi eleito para cuidar da cidade, em vez de retirar o cartaz do PNR deveria era preocupar-se em retirar as 3.200 casas dadas pela Câmara a amigos e correligionários dos detentores dos cargos públicos. Isso sim, era uma coisa bem feita.
É preciso ter muita falta de vergonha e total impunidade para falar em “ilegalidade” e “xenofobia”, quando, arvorando-se em juiz, ultrapassa competências que não são suas (nem da Câmara!), faz tábua rasa das instituições competentes, falta ao respeito ao parecer do Ministério Público e num claro abuso de poder brinca às ditaduras comunistas.
Abusar do poder, tem um nome: crime! Atentar contra a liberdade de expressão de um partido político e contra a sua propaganda, tem um nome: crime! E essa atitude de Trotsky de segunda categoria terá consequências: queixa-crime em sede própria!
José Pinto-Coelho
Out 2008

Comentários:
Caro
Abrantes,
o nosso amigo Pinto Coelho esquece-se duma coisa, com vinagre não se apanham moscas, se ele insiste nesse tratamento tem de arcar com as consequências.
O sistema apenas lhe deu a resposta que ele pediu, ou será que pensa que já tem força suficiente para colocar tal painel?
As casas começam-se dos caboucos, não é pelo telhado.
Cumprimentos.

LUSITANO
 
O PNR esta usando uma aproximacao errada que nao lhe adiciona nem aderencias nem simptizantes entre a maioria dos portugueses. Estes como ha muito sabemos, por natureza sao anti-confronto.
Embora haja descontentamento e um certo "mal estar" em relacao a certos estrangeiros ainda nao se chegou a um ponto em que ha desejo generalizado de confrontos de rua.
O que o PNR deve fazer e sim desmascarar os Governantes que subscrevem a imigracao ilegal, a protegem e subsidiam -- creio que eles ate recevem um subsidio monetario mensal apesar dos problemas orcamentais que exigem sacrificos aos nativos -- -- em vez de atacar aqueles que benficiam daquilo que o sistema Socialista lhes providencia.
Se muitos desses imigrantes trazem com eles para Portugal tipos e niveis de violencia a que Portugal -- apesar de todos os seus problemas-- ainda nao esta habituado a ter entao faca-se justica a serio em vez de andarem com paninhos quentes e pes de la. Metam-los na cadeia primeiro, e depois EXPULSEM-LOS sem quaisquer demoras ou peias burocraticas.
Assim e que se resolve o problema. Nao e aticando os nativos contra os estrangerios com cartazes provocantes que se resolve o problema.
Como diz LUSITANO e muito bem...nao e com vinagre que se apanham moscas!
 
Caro "anónimo", Pinto-Coelho já o explicou inúmeras vezes, que o PNR não é contra os imigrantes mas sim contra os políticos e políticas que promovem a invasão de imigrantes, inclusive deu o exemplo de ele próprio já ter sido imigrante no Brasil e que a imigração deve ser objecto de regras rígidas e de uma inversão dos fluxos migratórios, o problema é que essas explicações não fazem as manchetes e portanto o "anónimo" certamente não teve oportunidade de ser esclarecido.
Veja-se só este pequeno pormenor, a forma do PNR abordar o assunto é sempre através do tema "imigração", não do imigrante em si, mas o senhor "anónimo" é que está a falar nos imigrantes e não no tema imigração.
Assim, qualquer discussão é desvirtuada, obviamente, mas não se acuse o Pinto Coelho disso, sejamos justos e faça-se antes de mais uma auto-análise.
Cumprimentos
"Anónimo"
 
Quem manda no PNR não é o José Pinto Coelho, mas os do núcleo duro do partido, que sismaram em pÔr um cartaz ~com uma ovelha branca a escocear ovelhas negras,ou seja "racismo",condenável pela Constituição da República Portuguesa.
Andaram a levantar donativos para o mesmo para depois terem lá o outdoor dois dias.
Tantos assuntos QUE LÁ PODIAM ser tratados como:

PEDOFILIA
FOME EM PORTUGAL
DESEMPREGO
EXPLORAÇÁO
CORRUPÇÃO
VIOLENCIA DOMÉSTICA
DONATIVOS PARA AS EX-COLÓNIAS AOS MILHÕES DE EUROS, QUANDO EM PORTUGAL MUITOS PASSAM MAL E OS RETORNADOS NUNCA FORAM INDEMINIZADOS PELA TERRÍVEL DESCOLONIZAÇÃO, NO ENTANTO HÁ DINHEIRO PARA OS TAIS DONATIVOS.
A SITUAÇÃO DAS ESQUADRAS DA POLÍCIAS QUE MUITAS NEM PAPEL HIGIÉNICO TÊM,
enfim uma lista que nunca mais acaba, no entanto voltaram ao mesmo

o PNR não tem uma gestão má, mas péssima, e não há nada errado ocm o PNR mas há sim gente errada dentro do PNR.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]