quinta-feira, outubro 02, 2008


MAIS UM “OUTDOOR” QUE PARECE INCOMODAR


O Partido Nacional Renovador resolveu colocar, mais uma vez, um “Outdoor” agora na rotunda de Entrecampos em Lisboa.
Pelo que me é dado a perceber é uma mensagem politica de um partido político.
Não deslumbro nada de “racismos” ou dessa malfadada “xenofobia”. È a opinião de um partido legal e, por isso, tem todo o direito de expor as suas ideias.
Isto, quer concordemos, ou não, com elas.
È um cartaz à semelhança ao que os “bloquistas” colocaram há alguns anos atrás. A diferença – para além do conteúdo e da própria mensagem – reside que os Nacionalistas querem ser a ovelha branca e os “bloquistas” quiseram ser a ovelha negra.
Até nisto o outdoor do PNR é bastante sugestivo.
Com isto não quero dizer que, pessoalmente, concordo ou discordo com o seu teor.
Não sou militante desse partido nem me identifico com muitas das suas acções politicas.

Mas, como se trata de propaganda politica do PNR logo a comunicação social fez ouvir o opinião de sapiências na matéria.
Segundo o “Diário de Notícias”, André Costa Jorge, director do Serviço Jesuíta aos Refugiados (SJR), uma associação que apoia imigrantes e refugiados. "O cartaz é infeliz, uma imagem violenta e agressiva. Exprime uma atitude xenófoba e de racismo, o que não me espanta, vindo do partido que vem", adverte.
O director do SJR garante que "a colagem da onda de criminalidade aos imigrantes é falsa". Costa Jorge é contra a continuidade do cartaz e deixa o repto: "Espero que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial [CICDR] aja."
A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação respondeu através de um comunicado. A presidente da comissão Rosário Farmhouse, considera que esta é "uma tentativa de atingir e ofender uma comunidade de cidadãos que residem e trabalham em Portugal." No mesmo documento, a CICDR condena o teor do cartaz, "atendendo aos riscos de desinformação que pode injustamente prejudicar a comunidade imigrante em Portugal.
Rosário Farmhouse garante ainda que "a sociedade portuguesa não se identifica com este tipo de mensagens, visto que se trata de um partido que obteve apenas 0,16% nas últimas eleições legislativas"

Agora digo eu: -“ (…)atendendo aos riscos de desinformação que pode injustamente prejudicar a comunidade imigrante(…)” ?. Mas pensam que o Povo Português é parvo e não sabe separara o “trigo do joio” ?
Apetece-me escrever uma asneira. Mas não escrevo!

Bem! Racismo não deslumbro onde esteja. Temos imigrantes de todas as raças, inclusive, talvez, maioritariamente da raça branca.
Quanto à questão da “xenofobia”, já começamos a ouvir e a ler linhas de pensamentos que colocam em causa a actual Lei da Imigração vindo de responsáveis políticos dos partidos do poder.
Será que já começamos todos a ser “xenófobos” ?
Parece-me que não. O povo português nunca sofreu de tal doença.

Já alguém se lembrou de perguntar àqueles imigrantes que labutam dia a dia no nosso País e que querem fazer dele a sua segunda-casa o que pensam do cartaz ?
Provavelmente concordam com ele ?
Ou estarei enganado ?

Por último, a questão do PNR ser um partido que em eleições anteriores apenas obteve 0,16% de votos.
Mas será que só os grandes partidos têm direito a opinião ?
E, se o PNR não passa de um partido com menos de 1% do eleitorado, porque razão levantam grande alarido sobre qualquer acção praticada por este ?
Será que têm receio que ele cresça desmesuradamente ?
Se crescer é porque os eleitores começaram a acreditar na sua mensagem. Ou não ?

Há gente que me faz lembrar algumas sapiências pardas do regime anterior que não se importavam que houvesse eleições desde que só votasse “gente de bem”.
Afinal no regime democrático (neste…) também continuam a existir tais “sapiências”.
Mudaram-lhe as moscas …
Manuel Abrantes…

Comentários:
Eu também não sou do PNR mas devo dizer que mais uma vez têm razão.

Aquilo que eles dizem há muita gente a dizer na rua, mas sempre em voz baixa para não ofender os comunistas e outros que tais.

Quanto a esses senhores das organizações da imigração, se tiverem coragem digam quantos milhões recebem do governo.

Eu sei que são muitos pois a minha mulher já trabalhou numa delas, mas eles que digam se forem honestos, digam quanto andam a tirar aos portugueses para ajudar exclusivamente os imigrantes.

E já agora digam qual o seu salário e quanto recebem por fora.

Eu não vejo esse dinheiro ser gasto com os idosos por exemplo, e ainda esta semana descobriu-se uma senhora que estava morta em casa há um mês.

Quem lhe acode, a senhora Farmhouse? O Jesuíta? Pois.
 
Não gosto de ser desmancha-prazeres e também não pertenço ao PNR, mas, uma vez que vivemos num país aonde ainda se pode dizer algumas coisas, cá vou dando a minha opinião, que reflecte apenas aquilo que penso, que um partido nacionalista deveria fazer.
Em primeiro lugar, o PNR ainda não tem uma massa crítica de aderentes, para se abalançar a cartazes deste tipo, há outras maneiras de abordar os pontos alí expostos, e não é daquela maneira, que vai atrair multidões.
Não podemos esquecer, que também somos um país de emigrantes, logo, há que agir com alguma cautela e não querer apenas fazer dos imigrantes os bodes expiatórios, esse cartaz não passa de um cartaz anti-imigracionista, digam lá o que disserem, querendo sob o meu ponto de vista, sugerir que os imigrantes é que são os culpados de tudo, quando o que se deveria apontar, era quem é que lucra com a entrada desbragada de imigrantes, como é que uma pessoa estrando ilegal , num passe de mágica e a troco dumas centenas de Euros, fica legal, deveriam interrogar os responsáveis deste país, para que servem então as leis da imigração, se depois se entra pela porta do cavalo e se faz tábua rasa do que está na lei, depois dever-se-ia interrogar qual a razão das fronteiras abertas, há alguma vantagem nisso, para quem, para os bandidos?
Depois deveriam questionar a atribuição da nacionalidade, hoje quase obtida através da troca de pacotes vazios de batatas fritas, quando muito com um teste ranhoso da língua portuguesa, isto, quando não é automáticamente atribuído pelo simples facto de se nascer cá, também deveriam pôr em causa a dupla nacionalidade, não faz sentido, que, de um partido dito nacionalista, não saia uma palavra contra essa situação de desigualdade em relação aos restantes portugueses, que apenas tem a nacionalidade portuguesa, também deveriam criticar e combater o princípio, quanto a mim desleal para os portuguesee que é o da plena igualdade entre cidadãos nacionais e estrangeiros, quer no emprego, quer noutros "direitos", enquanto os artigos 275 e 276 da Constituição Portuguesa atribuem a exclusividade da defesa da Pátria aos cidadãos portugueses, ou seja nos direitos somos todos iguais mas nas obrigações ou deveres, esses ficam em exclusivo para os portugueses, mas sobre isto, nem pio, se calhar também não conhecem esses artigos bem como o artigo 15, que estabelece o princípio da igualdade entre portugueses, estrangeiros e apátridas, claro que em princípio, os estrangeiros não podem votar, mas tem as associações de "protecção aos imigrantes", que acabam por ter mais poder, que o direito de voto conferido aos portugueses, o que é deveras curioso, as organizações das minorias, conseguem impôr na maior parte das vezes, os seus pontos de vista às maiorias, mas enfim.
Não os vejo criticar e a exigir pesadas penas para quem tem imigrantes ilegais ao seu serviço, pois se assim fosse, acabava-se a imigração ilegal em três tempos, mas, mais uma vez este assunto, que é fulcral sobe a questão da imigração clandestina, fica de fora do paleio deste partido "nacionalista".
Claro que a única coisa que fazem, é acabar por virar as pessoas, as organizações de imigrantes e das tais minorias étnicas, contra o Nacionalismo, por proporem e apoiarem medidas "racistas e xenófobas", acabando por tornarem os imigrantes as "vítimas" das circunstâncias e como tal, acabam por fazer com que ainda sejam mais apoiados, pois para além da sua "desgraça", ainda são vítimas de "racismo e xenofobia".
Claro que apontar o crime como obra dos imigrantes, também não cai bem, antes deveriam exigir para quem cá viesse, certificados de registo criminal ou semelhante, para que se soubesse a história toda, pois acredito que os estrangeiros que cá cometem crimes, na sua maioria, já tem um passado criminal, mas sobre esse aspecto, também nem uma palavra.
De forma, que o PNR continua com a estratégia de sempre, a de um urso numa loja de vidros, não acertam no sítio certo, é só tiros na água, não tem mais ojectivos, do que seja apontar os imigrantes como os causadores de todos os males que nos afectam, quanto aos verdadeiros responsáveis, sobre esses nem uma palavra, assim hão-de ir longe, se calhar pensam que estão na Áustria ou na Suiça, cujos povos são muito mais interessados sobre o aspecto político, do que nós.
Mas enfim, quem corre por gosto não cansa, e eu nada tenho a ver com isso, apenas tenho pena que o PNR fique reduzido a um partido "enxota-imigrantes", para além disso, nada mais há, pelo menos parece.
Um abraço.

LUSITANO
 
Eu não era, mas agora sou do PNR!

PS/PSD nunca mais!
 
Senhor Manuel Abrantes
Concorda ou não com este outdoor do PNR ?
fiquei sem saber a sua opinião
Mário Contumélias
 
Sr. Mário Contumélias
Não tenho de concordar ou discordar com acções políticas de um partido ao qual não pertenço nem faço parte das suas estruturas. Já fiz – é certo - mas saí por não concordar com a linha de acção da maioria dos seus componentes.
Quanto ao cartaz:
Na minha opinião pessoal o PNR continua a insistir que todos os males (criminalidade, baixos salários, desemprego, etc, etc) têm como raiz a imigração.
Ora isso não é verdade. Estes “males” são fruto de politicas ruinosas por parte do Governo. Do governo socialistas e dos governos sociais-democratas e afins.
Não é a imigração que está errada. São as politicas que permitem que parte dessa mesma imigração contribua para este estado de coisas. Mas não é a imigração a grande “culpada” da situação calamitosa em que nos encontramos.
Seguir este caminho é escamotear a verdade. Até porque são os empresários portuguesas – bem porteguesinhos – que usufruem grande parte da imigração clandestina pagando baixos salários.

Contudo, entendo que o PNR tem todo o direito de expor as suas ideias. Cabe ao Povo de Portugal as aceitar ou não.
Manuel Abrantes
 
O que o cartaz apresenta sao factos que ate nao andam longe da verdade embora haja varias interpetacoes para os problemas criados pela imigracao.
E claro, ha centenas de solucoes!
Creio que o PNR com este cartaz coloca -- talvez erroneamente --nas mentes dos portugueses a ideia de ser APENAS um partido com 1 agenda...a XENOFOBIA.
Sera que os males todos do pais sao o resultados dos imigrantes ilegais? Nao ha portuguese criminosos? Nem sequer a nivel de Governo?
Nao sera que a incompetencia dos sucessivos governos e o desaprecimento de VALORES historicos, morais e tradicionais tenha muito mais que ver com os problemas actuais da criminalidade do que a presenca de imigrantes?
Nao criemos bodes os habituais bodes expiatorios qunado ha crise; sejamos honestos e coerentes.
E que tal se os paises de acolhimento actuassem do mesmo modo em relacao aos milhoes de portugueses que estao na Diaspora -- e acreditem-me nao sao todos os tais disciplinados, bem ajustados e pacatos trabalhadores que tanto se apregoa serem -- do mesmo modo que o PNR aconselha e os obrigassem a regressar a Portugal?
Acham que eles se fariam membros pagantes e activos do PNR?
Cuidado com o atirar pedras pois podem cair sobre os nossos proprios telhados de vidro.
Quanto ao ter direito a opinioes e obvio que o PNR tem e deve continuar a ter a a colocar os cartazes que quizer. Penso que o Povo portugues nao e assim tao estupido que nao saiba distrincar as coisas. So aqueles que querem "abafar" os cartazes pensam assim pois nao tem respeito pela inteligencia do povo.
Talvez a solucao afinal esteja no mandar para a cadeia o patronato que da emprego a ilegais e simplesmente ao sistema Judicial actuar como deve e expulsar do pais os ilegais que cometem crimes em vez de gastar o erario publico a "ressocializa-los"!
Por mais perfume que se deite em esterco este nunca deixa de o ser.
Sera que o Governo esta pronto a fazer isso ou sera que olha para o lado e deixa passar porque quer que assim seja pois serve o seu projecto "multiculturalista" recomendado pela Maconaria Universal via Bruxelas ?
Renato Nunes
Carolina do Sul, EUA
 
Caro Abrantes,
O que mais gosto no cartaz é de ver a ovelha branca a defender um Portugal vermelho!

Cada um tem o direito de exprimir as sua opiniões, no entanto, não pode apelar ao racismo (que os cegos não conseguem ver neste cartaz), não podem apelar à violência (ao coice), não podem colocar em causa a liberdade de outros (nomeadamente, a liberdade de migrarem).
A ideia de uma humanidade imóvel que não se afasta uns metros do sitio onde nasceu e, por isso, se afirma nacionalista, é profundamente anti-humana.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]