sexta-feira, novembro 14, 2008

A ARRUAÇA VOLTOU Á RUA

Nos últimos dias temos assistido a autenticas manifestações de arruaceirismos por parte de alunos do Ensino Secundário.
Tentando protestar contra a nova política de faltas, implementada pelo Ministério da Educação, os alunos têm brindado responsáveis governamentais com chuva de tomates, ovos e batatas.
Primeiro foi a ministra Maria de Lurdes Rodrigues, que teve de suspender uma visita a uma escola de Fafe, quando foi alvejada com tomates e ovos. Ontem, foi a vez dos Secretários de Estado, Valter Lemos e Jorge Pedreira, serem, também eles, brindados com tomates e ovos.
È a arruaça na rua.
Os estudantes não estão preocupado com o sistema de Ensino nem com a forma como é ministrado. Estão preocupado – sim ! – com o novo sistema de faltas.
E assistimos, nos canais televisivos, a entrevistas a manifestantes quem nem sequer sabem quais as razões desta pseudo-luta. Querem é brincar à tomatada e sentirem a adrenalina de possíveis confrontos com a polícia.
Ah! E já agora, isto, também serve para umas baldas às aulas.

Pessoalmente, não acredito nestas manifestações espontâneas e na iniciativa dos próprios alunos. Estão a ser comandados por fora. Isso, de certeza!

Tudo isto me faz lembra o PREC de 74/75 (Período Revolucionário e Curso) onde a UEC (União dos Estudantes Comunistas) impunha as suas regras de desestabilização social, servindo como ponta de lança para a agitação nas ruas e impondo o medo a toda a população. Foi o período das RGA(s) – Reuniões Gerais de Alunos, que todos os dias afastavam os alunos das aulas e serviam como catalizador de novos militantes revolucionários e como “pelotão” de reserva, sempre pronto, para avançar a qualquer hora para as tais acções revolucionárias de rua.
Eram os tempos da “agitação e propaganda”.

Hoje, não acredito que esses tempos voltem. Mas, acredito na tentativa de os colocar na “ordem do dia”.
Hoje, há quem queira fazer da nossa juventude uma juventude tipo “Morangos com Açúcar” e há, também, quem sinta saudade duma juventude do “ódio revolucionário”.

Já agora uma ùltima mensagem: - Para os jovens Nacionalistas de um velho Nacionalista
Não entrem nesta merda de jogo.
A arruaça não é a nossa arma !!!
Nós Nacionalistas combatemos as actuais politicas com a grandeza das nossas posições e princípios.
HONRA, DIGNIDADE, HONESTIDADE E GRANDEZA DE ESPÍRITO são os pilares de base dos nossos princípios. Jamais devemos entrar na politica da arruaça seja contra quem for. Mesmo, contra os nossos adversários políticos.
Temos de ter a coragem de enfrentar seja quem for e quando for. Mas também temos de ter a coragem do respeito, mesmo, para com aqueles que muitas vezes e injustamente não nos respeitam.
Esta é a grandeza do militante Nacionalista.
E a grande diferença entre nós e os outros.
Manuel Abrantes

Comentários:
Manuel Abrates
A sua visão ponderada e sábia não deve ficar só por este espaço cibernético.
Volte à politica activa.
Volte para o PNR se assim e entender. Mas volte.
Se necessário faça as pazes com o lider do PNR.
Carlos Matias
 
Srº Carlos Martins,o PNR está practicamente extinto.Se reparar o partido não tem sede,não tem qualquer organização directiva,os seus militantes não se mobilizam ,etc etc...
Sendo assim porque razão, o Srº Abrantes teria motivação para voltar para o PNR?
 
Carlos Matias e anonimo de cima.

Em primeiro lugar não é possivel "fazer as pazes" com quem nunca me zanguei.
Jose Pinto-Coelho - lider do PNR- é, para mim, uma figura de grande honestidade e que me merece uma grande estima. Isto, mesmo, não concordando com ele em muitas das suas posições politicas.

Não me afastei do PNR pela liderança de José Pinto-Coelho.
Liderança que nunca contestei.
Coloquei em causa muitas das suas posições politicas. Isso coloquei e continuo a colocar.

Que o PNR esteja "moribundo" é algo que me deixa triste. Porque, podem ter a certeza de uma coisa:
- se o PNR está moribundo, tambem muribunda está a politica Nacionalista.
- Isto é uma verdade, goste-se ou não dela.
O PNR é, até ao momento, o ùnico partido, assumidamente, Nacionalista.

È pena que esteja cercado por muita gente que não sabe transmitir uma imagem de credibiliade politica ao partido.

E, quando não haja credibilidade, não existe partido com futuro.

Contudo, ainda me resta uma réstia de esperança que na mente de alguns dirigentes do PNR (especialmente José Pinto-Coelho)se faça luz e encontrem o caminho para o sucesso. E o caminho do sucesso não é aparecerem nos canais televisivos a qualquer preço. È entrarem no "coração" dos Portugueses. Esse mesmo "coração" que dizem defender.
Manuel Abrantes
 
sr Abrantes.
Para o senhor qual é o grande problema do PNR?
 
Sr anónimo
O "problema" do PNR reside no facto de se ter deixado dominar pelos "skins".
Pessoalmente, nada tenho contra essa gente. Até devo acrescentar que, enquanto fui militante, nunca fui mal tratado e sempre fui respeitado por eles.
E do mesmo modo retribuí.
Isto é um facto indescutivel!

O PNR - na minha opinião- peca pela influência excessiva de pessoas ligadas ( ou pelo menos dão essa imagem) ao movimento Skin.
E, enquanto o PNR for conotado como um partido de Skins não tem aceitação na população Portuguesa.
Pode crescer.
Eu acredito que vai crescer.Mas, acredito mesmo.
Mas o que é que cresce?
È o PNR ou o movimento Skin ?

Na minha opinião o PNR não deve marginalizar ninguem. Seja quem for.
Não pode é deixar-se dominar por um grupo. Seja ele qual for.
Entendido ?
È a minha opinião.

Manuel Abrantes
 
SR Abrantes
Com muito respeito.
Deixo-lhe um desafio
VOLTE PARA O PNR
Enfrente o que deve enfrentar.
Tenha essa coragem
JT
 
Sr(aa) anonimo
O "problema" não está no "voltar ou não".
Está no acreditar, ou não, na estrutura do Partido.
Eu acredito em muitas pessoas que ainda militam por lá. Muito especialmente no seu lider, José Pinto-Coelho, no Humberto Nuno de Oliveira,no Bruno Oliveira Santos (publico o nome porque dão a cara e não o escondem) etc.
Acredito. E até acredito num Vasco Leitão. Não concordando com ele tenho-lhe respeito
Mas não chega.
MA
 
Peço a todos os comentadores que assuntos particulares não sejam aqui tratados.
Falemos do PNR mas não das pessoas.
Eu fico-me por aqui.
Continuarei a responder em meu nome pessoal, Isso eu não me coíbo de o fazer.
Nada tenho a esconder.
Manuel Abrantes
 
O Sr. Abrantes diz que o problema do PNR é ter-se deixado "dominar" pelos «skinheads».
Quanto a isto, porque não percebo onde quer chegar, tenho apenas duas perguntinhas:

1. Em que é que se baseia para afirmar peremptoriamente que o PNR é "dominado" por «skins»?

2. Partindo do princípio que o PNR é por eles («skins») dominado, em que é que isso constitui um problema?

Agradeço resposta.
 
O PNR não passa dum partido marginal e actualmente já ninguém se lembra dele.
A não ser quando um célebre militante que contribuia activamente para o partido,e dizia que "basta de imigração" e por trás era proxeneta e "importava" brasileiras que vinham para as boítes.
É por causa destas e doutras que esse pnr está praticamente extinto.
 
Sr anonimo
Claro que lhe vou responder às duas questões.
1) Deve estar esquecido que eu fui militante do PNR. Conheci, por isso, as estruturas oficiais do partido.
2ª) Se constitui, ou não, um problema isso é, actualmente, com o partido e com os seus dirigentes.

Não sou apologista da marginalização de qualquer tendência Nacionalista. Contudo, num partido Nacionalista, não deve existir qualquer predominância de qualquer tendência.
Como Nacionalista não posso deixar de estar atento às praxis politicas do PNR.
-Claro que estou!
E, como autor deste espaço de escrita, dou a minha opinião sobre essas mesmas praxis politicas.

Todo e qualquer Nacionalista (que se assuma publicamente como isso) não deve deixar de dar a sua opinião às politicas do - até ao momento - ùnico partido assumidamente Nacionalista.
È isso que faço (bem ou mal) e que continuarei a fazer.
Manuel Abrantes
 
1. Se conhece o partido tão bem como afirma, diga-me um único dirigente do PNR que seja «skinhead». Um.

2. O partido não tem problemas com «skins», certamente. Nem com betos, metaleiros ou gente de meia idade. Quem tem um problema com os «skins» é quem vem afirmando repetidamente que eles são um problema para o PNR. Agora eu pergunto-lhe: eles são um problema porquê? E por favor, dê-me uma resposta directa e não chute a bola para o PNR. Porque quem se queixa dos «skinheads» não é o PNR, é o senhor.
 
Sr anonimo
O senhor(a) quer "tapar o sol com uma peneira".
O PNR não tem "skins"?
Bem...
Sou eu que estou doido.
Mas, isso é um problema deles. Não meu.

Os "skins" como organização (não sei se é assim que se intitulam), para mim, não constituiem nenhum problema.
Para mim, numa sociedade verdadeiramente Democratica, têm todo o direito de existirem como pensamento politico.

Agora eles (os skins) não constituiem nenhum "problema" para o PNR.
O PNR - como (até ao momento unico partido Nacionalista)é que não terá nenhuma aceitação do Povo Português enquanto tiver a imagem de um partido de skins.
Esta é a minha opinião!!!

Eu defendo um partido Nacionalista com a predominancia de todas as correntes de opinião Nacionalistas.

Um verdadeiro partido Nacionalista será aquele que conseguir aglotinar todos as linhas Nacionalista sem a predominância de nenhuma.

Sr anónomo:
-Dá-me o direito de lutar por isso ?
Manuel Abrantes
 
Manuel Abrantes
Não perca tempo com este tipo de gente.
Deixe enterrarem ainda mais o PNR,
Nunca vão ter voz activa a não ser nos bancos dos tribunais e entrevistas ridiculas nas televisões.
Ainda não perceberam que são os bombinhos da festa dos médias.

Dão geito ao regime para servirem como justificação para actitudes de ditadura democrática.

Eu
 
NÃO HA NADA ERRADO COM O PNR, HÁ É MUITA GENTE ERRADA DENTRO DO PNR.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]