sábado, novembro 22, 2008


JÁ NÃO SE ENTENDEM…



O ministro das Finanças admitiu que poderá haver um agravamento do défice orçamental, mas o primeiro-ministro, José Sócrates, mostrou-se mais optimista e considerou que não há razões para alterar o cenário macroeconómico incluído no Orçamento do Estado para 2009 nem o défice para este ano, que garantiu ser de 2,2 por cento como previsto.
Para o ministro Teixeira dos Santos, poderá haver um agravamento do défice orçamental face ao objectivo de 2,2 por cento para este e o próximo ano. Contudo, à mesma hora, José Sócrates, indicou aos jornalistas considerar que não existe "razão nenhuma para mexer nos cenários macroeconómicos que fundamentam o Orçamento do Estado" do Governo.

Mas há mais:
José Sócrates, questionado sobre a possibilidade de haver um agravamento do défice como resultado do plano da Comissão Europeia de combate à crise financeira, respondeu: "O que posso dizer é que este ano o défice orçamental vai ser de 2,2 por cento, Portugal vai ser um dos poucos países na Europa que mantém o seu défice orçamental". Palavras, complemente contrárias, às do Ministro da Finanças, Teixeira dos Santos.

Afinal quem está a falar verdade ?
Quando um primeiro-ministro diz uma coisa e o seu ministro da Finanças diz o contrário, isto, só pode indicar uma coisa: - O descalabro completo nas estruturas governamentais.

O governo do senhor Sócrates já está todo baralhado. Já não se entendem e cada um já está a puxar para o seu lado.
Há um ditado Português que diz o seguinte:
- Casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão.

Já agora: - Será que o senhor Sócrates ainda vai insistir que o crescimento económico se situará nos 0.6 por cento ?
Manuel Abrantes

Comentários: Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]