domingo, janeiro 04, 2009


ANO DE 2009
ANO DE ELEIÇÕES
MENSAGEM AOS NACIONALISTAS

Deixei, anteriormente, duas mensagens. Uma de Natal e outra de Ano Novo. Não me referi aos Nacionalistas, propositadamente.
Entendi que deveria deixar uma mensagem, exclusiva, para um novo ano a todos os Nacionalistas que visitam este espaço.

O movimento Nacionalista tem sofrido bastantes vicissitudes nos últimos tempos. Devido ao facto do único partido assumidamente Nacionalista não ter sido capaz de congregar todas as correntes de opinião, apareceram uns quantos projectos com a intenção de colmatar essa lacuna. Contudo, e por enquanto, não passam de intenções. Válidas é certo! Mas, por enquanto, não passam disso.

2009 vai ser um ano de eleições autárquicas, legislativas e europeias. O espaço politico Nacionalista ou inicia, nesta jornadas eleitorais, um princípio de consolidação ou, irá ter muita dificuldade para qualquer tipo de implantação política. Ou cresce assumindo-se como um movimento com futuro ou, então, jamais terá futuro em tempo algum.

Vamos ser realistas. O PNR é a única força política, assumidamente Nacionalista, que irá concorrer nos actos eleitorais. Isto, mesmo, tendo em consideração que o Partido da Liberdade (próximo da corrente Nacionalista) poderá conseguir as 7.500 assinaturas para concorrer. Contudo, é um partido muito recente e muito instalado regionalmente. O que não deixa de ser negativo. Até poderá ser muito positivo na medida em que concentrará todas as suas energias numa única região: a de Aveiro.

Mas, voltemos ao PNR.
Pessoalmente, penso, que o programa do PNR é todos o mais completo na linha Nacionalista. Assim como é o único partido legalizado e já com experiência em actos eleitorais.

AS LEGISLATIVAS
A minha duvida não está nas linhas programáticas nem na figura de seu presidente José Pinto-Coelho. Aliás, já demonstrou ser um político hábil e capaz. Contudo, o pior que lhe poderia acontecer era ter a “infelicidade” de ser eleito deputado. Com o staff que possui ( que não possui…) sucederia-lhe o mesmo que ao António Sérgio, do extinto Partido dos Reformados. Entrou mudo e saiu calado da Assembleia, tendo sido aglutinado pelas outras forças políticas. E era do sistema do politicamente correcto. Faria se não o fosse.
O PNR na Assembleia terá de discutir todos os assuntos, votando a favor ou contra as propostas apresentadas e apresentar, também, as suas próprias propostas em todos os temas.
Não é fácil… É necessário possuir uma boa retaguarda. E uma retaguarda especialista em todos os campos. O que é, ainda, muito mais difícil.
È aqui que residem as minhas dúvidas sobre o PNR.

AS AUTÁRQUICAS
Aqui a situação é diferente. O PNR não tem capacidade de militância para concorrer em todos os concelhos e às respectivas freguesias. Penso que a luta se irá travar na Câmara de Lisboa. Presumo, também, que o cabeça de lista será José Pinto-Coelho.
Na minha opinião os lisboetas muito teriam a ganhar ao eleger este Nacionalista.
No resto do País, e onde o PNR não concorrer, cabe a escolha a cada um de nós.
Contudo, gostaria de vos deixar a minha opinião.
Quer gostemos ou não o CDS/PP, pelas suas posições, tem sido na Assembleia da República o partido que mais propostas tem apresentado muito próximas da linha Nacionalista.
Eu escrevi: muito próximas….
È um partido do sistema e gerido por um defensor desse mesmo sistema. Contudo, possui militantes locais que se aproximam muito de nós.
È de pensar e de apoiar os que se devem apoiar.

EUROPEIAS
Deixei para último estas eleições e não foi por acaso.
O PNR já anunciou que o seu cabeça de lista é o Dr. Humberto Nuno de Oliveira.
Indiscutivelmente é o melhor candidato.
Pelo seu carisma e pela sua capacidade é o melhor e o garante da competência política e o de saber transpor para Bruxelas os anseios e a defesa de Portugal.
Votaria em Humberto Nuno Oliveira, estivesse ele em que lista estivesse.
Pela sua competência; pela sua honestidade e, acima de tudo, pelo dom de saber ouvir e de escutar seja quem for. Mesmo os seus adversários políticos.
Para mim, Humberto Nuno Oliveira, é a única figura Nacionalista que poderá aglutinar toda e qualquer linha Nacionalista e, até, muitos dos que não se identificam, directamente, com a nossa linha.
Portugal, jamais, voltará a ter um possível representante como Humberto Nuno de Oliveira.
Um Nacionalista confesso e um grande senhor amante dos mais altos valores da Nação Portuguesa.
E, aqui, não se coloca o ter ou não um staff. Já o tem!
Não estará sozinho no Parlamento Europeu. O Nacionalismo no Parlamento Europeu já é uma bancada com nome e com voz.
Desde já, assumo que este espaço, “Estado Novo”, apoiará – INDESCUTÍVELMENTE – a candidatura do PNR, e do Dr Humberto Nuno de Oliveira, ao Parlamento Europeu.
Não tenho, pessoalmente. dúvidas nenhumas.
Humberto Nuno para o Parlamento Europeu!!!!

Aqui fica esta minha primeira mensagem para 2009
VIVA O NACIONALISMO
GLÓRIA PARA PORTUGAL

POR DEUS
PELA PÁTRIA
PELA FAMÍLIA
Manuel Abrantes

Comentários:
Caro Manuel Abrantes,
Sou de Direita, nunca votei PNR, mas admito fazê-lo agora. Conheço as posições nacionalistas do PNR, mas tenho dúvidas sobre outras posições do seu candidato ao PE. Atendendo a que Manuel Abrantes conhece o candidato, pergunto se o candidato representaria os cristãos portugueses; se ele se revê em Deus, na Pátria e na Família. Se a resposta for afirmativa, o PNR terá mais um voto.
LM
 
Caro LM
Na questão da religiosidade cabe ao próprio responder.
Agora, o que posso afirmar é que o candidato europeu Humberto Nuno tem um passado bem vincado na defesa dos valores Pátrios e na defesa dos valores da Família.
Isso é indescutível.
Manuel Abrantes
 
Meu Caro Manuel Abrantes,
Não posso nem quero deixar de lhe expressar o meu franco e sincero agradecimento pelas palavras dirigidas. Como sabe tudo farei para as honrar e merecer e, como disse e bem, auscultarei todas as sugestões e alvitres que os Nacionalistas e outros que, não se afirmando Nacionalistas, são intrinsecamente patriotas me quiserem fazer chegar.
Permaneço ao seu dispôr, grato e atento
HNO
 
Ao Senhor LM,
A dois terços da questão já o meu amigo Manuel Abrantes fez o favor de responder. Quanto à primeira, não estando aqui a usar de falsos argumentos para conquistar votos (como fazem os políticos do sistema), confesso - como é público e conhecido - que não sou católico. Tal, todavia, não me impede de considerar como da maior relevância o cristianismo e depois o catolicismo com da maior relevância para o "devir" de Portugal.
Por outras palavras, não sendo católico, reconheço a essa religião em Portugal um lugar de primazia que jamais deve ser sacrificado a modernos ecumenismos.
Espero, com esta sinceridade, tê-lo esclarecido e não deixado de merecer a confianºça do seu voto.
Atentamente
HNO
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Eu voto no Rui Barandas e no P.N.P,.
Isso sim é que o verdadeiro Nacionalismo Português.
O PNR está cheio de nazi-skins e também poiso para alguns proxenetas, que falam em virtudes e depois traficam brasileiras para massajar em Portugal.
 
Manuel Abrantes
Espantado (talvez não)com estas posições.
Por favor não considere isto uma critica.
Estas suas posições só demonstram uma enorme capacidade de analise e um grande coeficiênte de tolerância politica.
Para um homem que critica o partido dos nazis, aconselhar uma profunda analise num possivel voto a esse partido, só de alguem com uma grande força no acreditar na via que defende.
Sou de Direita e começo a acreditar que os Nacionalistas merecem alguma atenção.
Muito bem, sr Manuel Abrates

Mário Contumélias
 
PNP concorda com o companheiro Manuel Abrantes, pois tem muita experiência do nacionalismo em Portugal.

Quanto ao camarada Humberto Nuno Oliveira, também estamos plenamente de acordo que ele pois HNO reune todas as capacidades para representar os nacionalistas no Parlamento Europeu.
Quanto ao José Pinto Coelho, aí já não estamos em sintonia com Manuel Abrantes, pois uma vez que o Dr. José Pinto Coelho, ganhe um lugar na Assembleia de Republica, terá uma meio de subsistência e logo poderá dedicar-se ao nacionalsimo a tempo inteiro o que não tem podido fazer até agora, como chefe de família bastante numerosa.

Uma vez na Assembleia da Republica, ele irá fazer um óptimo trabalho.

Uma vez que o PNP não poderá participar das eleições, temos,junto dos nossos militantes,encorajado a que se vote no PNR.

aleém disso Jose Pinto Coelho é um nacionalista convicto, grande patriota e lusitano.
 
PNP
Não coloco em dúvida a capacidade de José Pinto-Coelho.
Nem as suas capacidades nem o seu Nacionalismo.
O que coloco em dúvida é a capacidade do PNR em dar-lhe o apoio necessário. Isto se for eleito para o Parlamento.
E, espero, que o seja.
Manuel Abrantes
 
Já agora:
Para o Màrio Contumélias

Obrigado pelas suas palavras.
Com muitos erros e alguma desunião, pode acreditar nos Nacionalistas.
Podemos ter as nossas divergências, mas o espírito Nacionalista, nos momentos decisivos, está acima de todas e quaisquer divergências.

Toda e qualquer derrota dos Nacionalista é, também,- e para mim- uma derrota pessoal.
Manuel Abrantes
 
Tem que ser, vamos todos torcer para que o seja, basta que todos, quer Nacionalistas Lusitanos(Salazaristas) Monárquicos, e outros, com ideiologias diferentes, uns mais para o radicalismo outrosmenos e mais comedidos e lutando pelo verdadeiro sentido da sobrevivncia da Pátria, o façam.
E acreditem-nos, há muitos nacionalsitas.....agora é que temos visto. nacionalitas lusitanos......

Âlem disso, José Pinto Coelho, todos estes anos tem dado a cara pelo nacionalismo, e de que maneira e que paciência..........

Mesmo que esteja sózinho, e não tenha staff, ao ir para o parlamento, então tudo o mais virá por acréscimo.

Seria uma grande vitória do nacionalsimo em Portugal.

E tal como diz Manuel Abrantes,

por:
DEUS
PÁTRIA
FAMÍLIA
TRABALHO

e ORGULHO DE SE SER PORTUGUÊS

pois temos razão para termos orgulho em o sermos.Portugal é o país mais maravilho do mundo.
Vamos lutar por ele, tal como Salazar o fez.


viste-nos em


www.p-n-p.forumeiros.com
 
Nós no PNP tudo temos feito para:

divulgar o verdadeiro Portugal no mundo, junto dos 5 milhões de Portugueses que vivem fora de Portugal. Tanto que já formos entrevistados por um Jornal com grande tiragem em França e na Bélgica, publicado em lingua portugueaa e a sãir neste próximo dia 7.

Outros periódicos tem-nos contactado, porque gostam que se divulgue o nosso ´país no mundo. Os emigrantes têm muita honra em ser portugueses.


viste-nos em;

www.p-n-p.forumeiros.com
 
COMUNICAÇÃO DO PNP AOS MILITANTES A AOS PORTUGUESES



Para o PNP não é algo de novo, nem surpreendente verificar o estado caótico em que o nosso país se encontra.

Tem sido sempre um contínuo alerta e aviso por parte de alguns dos signatários deste partido, ainda em formação, de que Portugal não podia continuar por mais tempo a importar mais do que a exportar, pois tal como uma empresa, quando não se produz para aumentar as vendas ou a prestação de serviços, ou seja vender mais, evitando que as despesas sejam maiores do que a "facturação" a mesma vai à falência por falta de liquidez e fundo de maneio, para se falar numa linguagem simples.
Tal como numa empresa, assim se passa com uma nação, e tem sido este o problema crónico dos sucessivos governos que em Portugal e muito em particular desde o 25 de Abril e da adesão à CE, que a nossa Nação se tem vindo a endividar-se sucessivamente com as importações sempre maiores do que as exportações.

Ano após ano, tem sido este o problema de Portugal.

Os governos, não aproveitando os fundos estruturais da CE, destinados à formação intensiva dos portugueses e muito em especial dos jovens, esbanjou-os em outros projectos - e sabe-se lá que outros fins tiveram - deixando esta lacuna grave.
Sem formação, conhecimento, melhoramento do ensino, o qual desenvolve a iniciativa e a criatividade, Portugal estagnou, verificando-se que o principal objectivo dos sucessivos governos tem sido o de uma manipulação ideológica virados para os seus próprios interesses do que para os interesses dos Portugueses e de Portugal. Que se encontra na cauda da Europa com uma produtividade medíocre e uma governação péssima.

Assim, num mundo cada vez mais competitivo, os portugueses que vivem no Estrangeiro e se destacam nas suas empresas nos muitos sectores de actividade económica desde a produção aos sectores secundários e terciários serão exemplo aos portugueses em Portugal que terão de se ajustar rapidamente às realidades que se nos deparam mudando mentalidades e comportamentos.
Não queiram um emprego, mas escolham antes uma profissão, não entrem em esquemas, mas antes, dediquem-se ao que fazem, produzindo, apresentando inovações e criando riqueza.

PORTUGAL TEM RECURSOS NATURAIS MUITO SUPERIORES AOS DA HOLANDA, BÉLGICA, LUXEMBURGO, E OUTROS PAÍSES EUROPEUS, no entanto estes países são de longe mais ricos que Portugal. Porque? O que nos falta é apenas saber aproveitá-los, pois os cidadãos de outros Países não são nem mais inteligentes nem mais trabalhadores do que os portugueses.
Está nas mãos de cada um o aproveitamento destes recursos para que rapidamente possamos ultrapassar a crise e voltemos a ser um País viável e que honre a nossa Portugalidade.



Partido Nacionalista Português
Janeiro de 2009
Admin
 
E já agora o PNP lembra outro grande nacionalista, que deveria entrar na corrida eleitoral, devido ás suas capacidades e mostra de grande nacionalista.

Escritor de vários livros frofundamente nacionalistas e patrióticos, escreve o blogue NOVA FRENTE (http://novafrente.blogspot.com)

Onde é que o BOS entra na corrida eleitoral?

Aqui está alguém que na Assembleia da Republcia confrontaria e de quem maneira os ditos esquerdistas "de meia tijela", que só têm desgraçado Portugal.

quermos gente que se preocupe com Portugal e os Portugueses, e não com os seus próprios interesses.

Venha ele para a mesma..........
 
Uma vez quem o períódico saia manhã para as bancas nos pasíses indicados teremos todo o gosto de aqui trasncrevermos a entrevista, se manuel Abrantes assim o permitir
 
HNO
1.Que pensa da legalização das uniões entre homossexuais?
2. Que pensa da legalização do aborto?
3. É monárquico?
4. Que pensa das escolas estatais do ministério da educação?
5. Porquê tanto ódio aos judeus?

Quero votar PNR, mas preciso de resposta a estas questões.
LM
 
Caro LM
1. Sou frontalmente contra!
2. A posição do meu partido é contra. Nunca tomei posição pública sobre o assunto (nem tomarei) pois acho que é uma questão demasiado pessoal para que, sobretudo homens, nos intrometamos nela. Como bem saberá há casos e casos, alguns dramáticos.
3. Sim.
4. Penso que quem deve ser ensinado e avaliado são os alunos. O ME está pejado, nos níveis inferiores de quadros comunistas que continuam a "levar a água ao seu moinho", acho que disse tudo.
5. A pergunta deverá ser a inversa: porquê tanto ódio dos judeus aos "goim" (todos os não judeus)? Mas essa é uma questão pessoal que, poderá ficar para uma longa conversa posterior.
Atentamente, com os melhores cumprimentos
HNO
 
Vou votar no HNO mas não sou filiado no PNR.
 
Eu vou votar no Dr.J.M.Castro, e no partido dele no BDN, esse é que vale a pena.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Sr. Dr Humberto Nuno de Oliveira
Se lhe for possivel, gostaria de conhecer a sua opinião sobre o sistema Democrático e o conceito que faz dele.
Desculpe!
Mas é importante para quem olha para a sua candidatura como uma candidatura onde votar.
Peço desculpa mais uma vez.

Mário Contumélias
 
Não conheço o candidato às europeias do PNR.
Gostava de conhecer a sua opinião sobre o nazismo/fascismo

Sou anónimo e assim continuo a ser
 
Não sou nacionalista, mas amo a minha PÀTRIA (PORTUGAL).
Com este apoio declarado do Manuel Abrantes, gostaria de levantar a seguinte questão:
- Quem é o senhor?

PP
( O Abrantes sabe quem sou)
 
Caro HNO,
Agradeço as respostas às minhas questões.
1. De acordo.
2. A V/ resposta não me agrada, como esperava. O aborto em caso de violação é dramático, mas mesmo assim é um crime abominável.
3. De acordo.
4. Os maus professores devem ser corridos. Quanto ao mais, de acordo. Faltará dizer que as famílias deveriam ser livres de escolher a escola dos seus filhos. O Estado pagaria as propinas, fosse a escola púlbica ou privada.
5. Leio o reverentia-lusa não posso concordar com o sentimento anti-judeu, nem a relevância que é dada ao sionismo.

LM
 
Mas isto agora virou interrogatório?
Santa paciencia!
 
Em relação à análise do Abrantes devo dizer que em termos gerais estou de acordo.
Uma palavra quanto à candidatura do Prof.Humberto Nuno de Oliveira.
Catedràtico de prestigio,homem de craveira intelectual acima da média,historiador emérito,tive o prazer de o conhecer,apesar d fugazmente,no PNR.
Penso que serà uma daquelas pessoas de Ideais,um politico como infelizmente jà não existe.
No entanto,sou sincero,tenho algumas dúvida acerca dos seus talentos politicos.
Um politico é diferente de um intelectual,e um inteletual não tem forçosamente de ser um bom politico,ou politico de sucesso.Vide o exemplo do Dr.Pacheco Pereira.
Aliàs,paradigmàtico do que afirmo,foi o tempo de antena em que figurou,do PNR em Dezembro.
Falou do regime de antes do 25 de Abril!Ora quer queiramos quer não,tal temàtica NÂO DIZ ABSOLUTAMENTE NADA a todas as gerações nascidas após o 25 de Abril que foi hà 34 anos!
Os desafios que aliciam as massas no presente nada têm a ver com um regime que muitos milhões já nem conheceram.
O killer instinct,o faro politico nada tema ver com inteligência superior.
Outro exemplo,aliàs bem claro:Màrio Soares.
Na actual fase do nacionalismo em Portugal,não se perfilham a curto prazo,no entanto,outras alternativas.
Assim sendo,pelos fundamentos expostos,apoio a candidatura do Prof.Humberto Nuno de Oliveira ao PE.
Sardoal
 
Já agora um aparte:
Estamos a falar de politica a sério,e constato que o excêntrico auto-intitulado PNP "que já foi entrevistado por um jornal de grande tiragem"não sei de onde (o ridiculo nesta coisa não tem limites)insiste em surgir (quer dizer,o PNP são 2 ou 3 pessoas)em tudo o que é comentàrio,com "posições"oficiais e tudo.
Basta uma olhadela pelo inenarràvel forum dos ditos para se perceber que no minimo,são excêntricos:"Partido que defende para Portugal,isto,aquilo,mais aqueloutro,etc,e tal,mais isto" e por aí adiante.E isto ´
e só o slogan de apresentação!!
Muito fácil e imediato como se vê...Vê-se que percebem de marketing politico...imenso!
Bem,ao movimento nacionalista só faltava disto..."profissionais","financiamentos","campos de treino",enfim...
Com amigos destes...
Sardoal
 
Aos diversos anónimos
- Em teoria o sistema democrático (aquele que foi concebido na Grécia) é o ideal, na prática é o que se vê... De qualquer modo se o repudiasse em absoluto não concorreria. Mas tenho muitas dúvidas em considerar o actual regime (desde logo com restrições constitucionais como uma Democracia plena);
- Fascismo e Nacional-Socialismo foram e são duas doutrinas bastante diferentes (frequentemente e de modo errado "metidas no mesmo saco") que emergiram num determinado contexto histórico e que, como muitas outras, possuem aspectos com os quais concordo e outros com os quais discordo. Relembro que a análise das ideologias pode (deve?) ser diversa da sua "praxis" (ou então seriam proibidos os comunistas em todo o mundo...), ainda assim o julgamento que delas é feito é frequentemente pouco objectivo e ditado pelos "vencedores";
- Pois sobre quem sou eu poderia usar a máxima do "Frei Luís de Sousa", mas pode sempre perguntar ao senhor Manuel Abrantes. Não sendo político profissional, vivo do meu trabalho, ando de transportes públicos, tenho 4 filhos, mulher...Não sei que mais lhe possa dizer.
 
Meu caro Manuel Abrantes, agradecendo o "tempo de antena" que amavelmente me concedeu, deixo aqui aos indecisos o local para continuação deste debate.
A si e a todos o meu obrigado

http://reverentia-lusa.blogspot.com/2009/01/mensagem-aos-nacionalistas.html
 
Sardoal,
Mas afinal, quem é seu projecto? Será que o atrapalhamos no que quer que seja?

Nós não o conhecemos, como é que sabe quantos militantes temos, quantos somos, e por aí fora? Realmente fala mal de nós, mas sabe uma coisa, ao fazê-lo está a falar mal de si mesmo, quem quer que o senhor ou a senhora seja.

"Mentes brilhantes discutem ideias, mentes pequenas discutem pessoas e mentes mequinhas discutem o que não sabem"

TUDO PELA NAÇÃO, NADA CONTRA A NAÇÃO. (de SALAZAR)
 
Sardoal,
Ocorreu-nos que não acreditava que tivéssemos sido entrevistados, logo o enviarmos aqui mais detalhes:

ENTREVISTA AO LUSOJORNAL JÁ NA INTERNET E BANCAS ESTRANGEIRAS
por João Martinho




Tal como prometido aqui fica transcrita a entrevista feita a Rui Barandas pelo jornal "LusoJornal". Se preferirem ler a entrevista no suporte PDF constante da página internet do referido Jornal, aqui fica o link: http://www.lusojornal.com/franca/index.html

Depois de aceder à página, aparecerá no canto superior direito a mensagem em francês «Télécharger le journal de la semaine en format pdf» (fazer download do jornal da semana em formato pdf) e é ai que deverão carregar para ler toda a entrevista, assim como todo o jornal, que tem conteúdos interessantes.

Para os mais comodistas, aqui fica a entrevista.




Está a ser criado em Portugal um novo Partido nacionalista. Os seus dirigentes têm tido um discurso sobre a emigração e sobre a imigração.
Prometem um Ministério da Emigração e o aumento das verbas para este sector. Falam do Perigo Muçulmano, dizem que há muitos imigrantes em Portugal e que deviam ser expulsos, mas recusam qualquer aproximação com Jean-Marie Le Pen. Mesmo assim, os discursos são muito próximos, até no que diz respeito à Europa.
Sendo Portugal um país de emigração, haverá lugar no país para um Partido da extrema direita? O LusoJornal entrevistou Rui Barandas, principal fundador do Partido.

LusoJornal:
O Partido já existe ou é apenas ainda uma intenção?


Rui Barandas:
De momento o PNP está a levantar as 7.500 assinaturas para submeter ao Tribunal Constitucional para a legalização do mesmo. Quanto ao número de militantes, não contámos ainda, pois todos os dias aumentam e muitos vêm de outros partidos e da diáspora.


LusoJornal:
Quais os objectivos principais do PNP?


Rui Barandas:
O nosso objectivo principal e que é muito importante, é manter um equilíbrio dentro da Assembleia da República onde há os seguintes partidos: o PSD e o PS,um das direitas e o outro das esquerdas, depois vêm dois mais pequenos, o CDS, das direitas e o PC das esquerdas. Depois vêm os Verdes e os BE (Bloco da Extrema Esquerda), faltando assim um partido da Extrema direita.


LusoJornal:
Em que é que este Partido é diferente dos demais Partidos nacionalistas portugueses?


Rui Barandas:
O nosso Partido é essencialmente um Partido nacionalista Lusitano,preocupado com o aspecto económico, histórico, literário, moral, bem-estar e futuro de Portugal, enquanto que os outros como por exemplo o PNR, o único Partido nacionalista legalizado, é mais voltado para o Nazismo (tem centenas de skin-heads) o que deixa o eleitorado português,bastante irritado, não tendo assim projecção nenhuma.


LusoJornal:
De que forma vai o PNP dirigir-se às Comunidades Portuguesas radicadas no estrangeiro?


Rui Barandas:
A resposta que temos para lhes dar e o projecto para os nossos compatriotas no estrangeiro, é que haverá um Ministério e verbas só dedicado aos emigrantes, que terá por fim o divulgar da nossa língua, da nossa história, das nossas tradições, e tudo o mais, pois os portugueses que vivem no estrangeiro são tão portugueses como os que vivem em Portugal. Eu que o diga, pois já vivi no estrangeiro e sentia-me abandonado. Era um sentimento generalizado por todos os portugueses.


LusoJornal:
Em seu entender, quais são os principais problemas que afectam os quase cinco milhões de Portugueses que residem no estrangeiro?


Rui Barandas:
O abandono por falta do Governo central.


LusoJornal:
Em França, qual o Partido que mais se aproxima dos vossos ideais? O Front National de Jean Marie Le Pen?


Rui Barandas:
Não,o único tema que mais nos aproxima,talvez é a imigração em massa e constante de gentes das antigas colónias que vindo à procura do eldorado,encontram um país pobre e em que já há meio milhão de desempregados,logo o dedicarem-se ao banditismo, arrastões, violência,criminalidade e outros crimes, pelo que advogamos um controlo mais efectivo, para que isto não aconteça. Há zonas em Portugal em que a maioria são de etnia africana.


LusoJornal:
Nacionalismo está sempre associado a Fascismo e a Racismo, não?


Rui Barandas:
Não, pois veja que no tempo de Salazar, as nossas tropas tinham na sua maioria muitos africanos e quando foi do abandono das mesmas muitos vieram para Portugal onde se integraram e vivem bem. Consideramos uma diferença entre esses e o que continuamente vêm em massa sem condições de trabalho nem de estadia no nosso país. E veja por exemplo o Eusébio, e o Coluna e muitos outros que vindo para Portugal no tempo do nacionalismo de Salazar, estavam como em casa. Não, o nosso nacionalismo é lusitano.


LusoJornal:
Para nós que moramos num país em que a segunda religião é a Muçulmana, o que querem dizer exactamente quando falam do ‘Perigo muçulmano’?


Rui Barandas:
Em Portugal não temos esse problema, no entanto reconhecemos que o Perigo Muçulmano resume-se primeiramente no seguinte: Primeiro, os Muçulmanos na sua maioria têm como objectivo impor a sua religião e costumes aos europeus.
Quando vivem nos países deles, ditaduras terríveis, e depois vêm para a Europa,aproveitam-se da liberdade e democracia dos países Europeus para os seus intentos que são de dominar os mesmos especialmente no Sul. Lembremo-nos que a Europa esteve sob domínio Muçulmano durante séculos e eles ainda hoje falam nisto.Por outro lado,dentro das fronteiras da Europa enquanto uma mulher europeia tem 1,6 filhos em média, as Muçulmanas e as Africanas têm de 6 a 8 em média.
Este problema só será resolvido dentro de algumas gerações com a integração nas sociedades europeias que são de longe mais desejáveis do que as deles.


LusoJornal:
Há assim tantos estrangeiros em Portugal? Portugal não é sobretudo um país de emigração? Acolher os estrangeiros como os Portugueses são acolhidos no estrangeiro não devia ser a divisa de Portugal?


Rui Barandas:
Sim,nós acolhemos os imigrantes em Portugal muito bem, tanto que muitos ficam e naturalizam-se cá. Agora não comparemos os nossos emigrantes com os imigrantes que nos comboios e por todo o lado assaltam, roubam, atacam e matam... Por outro lado os nossos são um exemplo no trabalho, e são sempre uma mais valia para os países para onde vão. Nunca se constou que bandos de jovens portugueses atacassem ninguém em país algum.


LusoJornal:
Consideram que os imigrantes condenados em Portugal, devem ser expulsos para não cumprirem penas no país. Consideram que esta mesma medida deve ser aplicada também a todos os Portugueses que residem no estrangeiro?


Rui Barandas: De modo algum, em Portugal as cadeias estão cheias de indivíduos que até querem ficar a viver nas mesmas, pois têm cama, comida, roupa lavada,televisão,ginásios, assistência médica, etc... isto à custa dos contribuintes. Logo o ter que se tomar em conta o tipo de crime e se os mesmos estão ou não legalizados. Cada caso será um caso a ser analisado.


LusoJornal:
Porque razão diz que o Tratado de Lisboa não deve ser aprovado?


Rui Barandas:
Não desejamos uma federação de países europeus, pois corremos o risco de perdermos a nossa identidade, tradições, etc.,que nos são muito preciosas. No entanto, depois de termos perdido as Colónias, não havia outro meio senão Portugal integrar-se na UE. Embora os fundos estruturais que têm vindo da mesma têm sido muito mal geridos pelos sucessivos Governos.


LusoJornal:
O PNP vai concorrer às próximas Eleições Europeias?


Rui Barandas:
Vamos tentar,mas estamos muito em cima das datas e não queremos pressas■

Entrevista de Carlos Pereira
Entrevista 5 LusoJornal n°194 du 08/01/2009
João Martinho



Outras entrevistas estão agendadas. Não temos culpa que a comunicação social, sempre tão aDversa aos partidos e movimentos nacionalistas, tanto em Portugal, como no Estrangeiro, despertem para o renascer de um partido nacionalista essencialmente lusitano.E NOS PROCUREM PARA OBTER MAIS INFORMAÇÕES E PUBLICAREM AS NOSSAS OPINIÕES

Nós somos de parecer que Salazar está a despertar uma certa curiosidade e admiração pelo seu trabalho e pelo seu amor a Portugal
pois os portugues em geral andaram enganados e intoxicados pelas esquerdas sobre tudo o que Salazar fez



Se desejar mais informações por favor queira contactar-nos em:

www.p-n-p-forumeiros.com

ou

partidonacionalistaportugues@gmail.com
João Martinho

"Orgulho de ser português"
 
Sardoal,
Talvez, desconhecendo a grande obra de Salazar, sabe que até durante a Segunda Guerra mundial, a sua posição da neutralidade e a consequente abertura dos canais diplomáticos e comerciais com ambas as partes beligerantes, a balança comercial portuguesa manteve saldo positivo durante boa parte do conflito, nomeadamente nos anos de 1941, 1942 e 1943. Nestes anos, as exportações ultrapassaram as importações, facto que não se verificava desde dezenas de anos, e que até à actualidade ainda não se verificou,sendo o escudo uma das moedas mais fortes do mundo. (HOJE Portugal está muito mal no que se refere á Economia e finanaças). Esta hábil gestão da neutralidade trouxe-lhe, no final da guerra, os benefícios da paz sem ter de pagar o preço da guerra. Portugal foi uma das poucas zonas de paz num mundo a "ferro e fogo", serviu de refúgio a muitas pessoas de várias proveniências. Um desses refugiados foi o arménio Calouste Gulbenkian, que permaneceu no país tendo legado uma das mais importantes instituições ao serviço da cultura em Portugal. Esta situação económica conseguiu também atenuar os problemas provocados pela Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e pela própria Segunda Guerra Mundial,
Em Portugal, embora se reconhecesse o mérito da obra de Salazar no que respeita à reorganização financeira, à restauração económica e à defesa da paz, muitos , muito em especial os comunistas, entenderam que tinha chegado a oportunidade de mudança política....

Será que o nosso amigo é um dos tais que pensa ter chegado a oportunidade de uma mudança política para as esquerdas?

Pela Nação, nada contra a Nação
 
Caro Manuel Abrantes

Concordo praticamente com tudo o que disse, no entanto gostava de deixar aqui uma ressalva. Acredito que muitos dos erros que se cometeram no passado, não voltarão a acontecer. O PNR, hoje, tem capacidade para abrir as portas a todas as tendências. Continuo a defender que os bons filhos devem regressar à casa, quanto mais não seja para apoiarem e mesmo fazerem parte das listas nas próximas eleições. Pessoalmente defenderei sempre encontros com as organizações que entretanto foram aparecendo, para chegarmos a um entendimento. É tempo de unir os irmãos desavindos porque o Povo o clama e a Pátria o exige.
 
Mesnagem ao Dr. Humberto Nuno de Oliveira.

Vamos criar no nosso forum, um tópico dedicado sómente aos grandes nacionalista contemporaneos, e gostaríamos que o Dr. Humbero Nuno de Oliveira o inaugurace. Vamos também por outros como o Dr. Bruno Oliveira Santos, etc. pelo que já fomos ao seu forum mas não encontrámos como o contactar. Tenta´mos deixar uma mensagem num dos comentários, mas por qualquer motivo não entrou.

é que antes de o fazer, quermos:

1-pedir a sua autorização.
2-pedir mais pormenores sobre a sua trajectória pessoal e profissional.

Pode ser?

o nosso forum pode ter muito poucos nas intervenções mas é acompanahado por muitos pois temos um dispositivo que envia e-mails para todos os que assim o peçam.

Aguardando resposta
 
Se o Sr Manuel Abrantes defende a Trilogia "Deus Pátria e Familia", então porque participou no golpe de estado do 25 de abril de 74?
perguntar não ofende e espero que já esteja arrependido :)

Um abraço

Ultra-Patriota
 
Sr ultra-patriota
Não confunda o 25 de Abril com o "26 de Abril".
Entendeu o que quero dizer ?
Agora neste momento em que se fala sobre o apoio à candidatura do Prof. Humberto Nuno o senhor vem com mais uma provocaçãozinha.
Vail longe,,,
Manuel Abrantes
 
Deve ser um dos Forum Patria, que passam a vida a provocar.

O companheiro deu boa resposta.

Sabemos e temos experiencia disso.

PNP
 
PNP: Lusitano? Ou Lusófono? Parece-me mais lusófono...

Quanto ao "perigo muçulmano", bom... país errado para quem critica o PNR de ser estrangeirado (germanófilo ou o que seja).

Ao companheiro Abrantes: CDS/PP???? Ao menos podia apelar ao voto nos pequenos partidos, PPM, MPT ou até no PCTP/MRPP.
 
Desde há muito tempo que sou leitor assíduo deste blog. E num modo geral,identifico-me com as opiniões do Sr. Manuel Abrantes, e admiro também a sua paciência com que lida com as "brincadeiras" das gerações mais novas. :D
o 25 de abril foi para acabar com o marasmo do Marcelismo, e naquela altura eramos todos uns sonhadores e ingénuos.

O Nacionalismo de hoje,precisa é de «massa-cinzenta», de Patriotas que para além de criticarem , apresentem também soluções e acima de tudo, tenham qualidades humanas
 
Sr. Flávio Gonçalves,

Há uma grande diferença entre as duas palavras.

O PNP, é essencialmente português, ou seja, é nacionalista Portugues,tipo nacionalismo que se usava ou aplicava no tempo de Salazar, mas enquadrando-se na época em que vivemos hoje, que é diferente da que se vivia no tempo de Salazar.

Não sei se nos fizémos explicar, se desejar mais informações poderá vistar-nos em


www.p-n-p.forumeiros.com

ou

partidonacionalistaportugues@gmail.com




Signatário do PNP
 
Mas quem e esse SARDOAL que parece provocar tantas reaccoes da parte do P.N.P.?
Nao sera que o P.N.P. lhe esta concedendo demasiada atencao ajudando-o assim a sentir-se mais importante do que aquilo que e?
Quem nao gosta ou se sente incomodado com opinioes de SARDOAL ( ou de qualquer outro individuo ) pura e simplesmente exclui o fulanito de qualquer dialogo. Ignora-o e deixa de ser reactivo as babuseiradas que ele possivelmente manda ca para fora contra o P.N.P. . Talvez ate faca isso de proposito para obter tais acaloradas e imerecidas reaccoes !

Renato Nunes
 
Visitei pela primeira vez o site do senhor e candidato Humberto Nuno.
Este portugês está mais interessado no conflito Israel-Arabe do que nas causas nacionais.
Depois é o problema da antiga Jugoslávia, etc.
Li e reli.
Abrantes:
Defenda a candidatura do homem porque ele não sabe defender os interesses nacionais.
Rui Seabra
(é o meu nome)
 
Realmente temos mesmo portugueses que insistem em dar armas ao inimigo.
Não estamos orgulhosamente sós e o que se passa no mundo, influencia a o que se passa em Portugal.
Ver o blogue só pelo que esta na pagina principal é muito pouco para fazer uma ideia do pensamento do bloguer.
Depois não posso deixar esta estranha maneira de fazer politica, que em tudo se assemelha à do sistema. Só vêm o que lhes interessa, ou terá sido algumas das posições do HNO que fizeram faísca?
No PNR felizmente não existe a ditadura de pensamento único.
 
"No PNR felizmente não existe a ditadura de pensamento único."

Pois não. Que o digam os "saneados".
 
Caro Amigo e Senhor Abrantes:
Lamento ter de comuicar-lhe quao desapontado fiquei por nao ver publicada a minha mensagem.
Nela informava ter ido ver o Portal do Dr. Humberto Nuno e de ter ficado desapontado por nele ver tao pouco sobre o que se propoe fazer por Portugal na posicao par a qual quer ser eleito.
Vejo o Dr. Nuno muito interessado com o conlito Israelo-Palestiniano tomando uma posicao que me parece ser muito anti Israel.
Mau comeco para quem tem forcosamente de ser ABRANGENTE se quiser ter votos dos Nacionalsitas que como eu, sao Pro-Israel e defendo que aquele pais tem nao so o direito a existir mas de defender-se quando atacado .
Renato Nunes
Carolina do Sul, EUA
 
Sr Renato Nunes
Se não publiquei foi porque não recebi.
Quem controla as mensagens enviadas é o próprio bloguer.
Envie outra vez, Por favor
Manuel Abrantes
 
O HNO tem o direito de no seu blogue exprimir o seu pensamento em relação ao que se passa em Gaza. Faz bem em não ser politicamente correcto. Ninguém esta contra os Judeus, mas sim contra, quando muito estará contra os sionistas e contra o genocídio de um povo.
Não conheço ninguém que tenha sido saneado do PNR. Algumas pessoas abandonaram o partido por não concordarem com algumas posições, estão no seu legitimo direito.
Também não podemos agradar a todos, no entanto sabemos que os verdadeiros nacionalistas vão votar PNR.
 
Sr Dr. Humberto Nuno de Oliveira.
Não me intitulo de nacionalista, mas sou uma defensora acérrima do que é Português e do meu Portugal.
-Qual é o seu programa se for eleito para o PE ?

- Que grupo parlamentar se vai incluir ?
-Qual serão as suas prioridades ?

São questões que gostaria de conhecer.
Nota: Eu sei que tem um site. Mas gostaria de o conhecer melhor sem ser em sua "casa". Não me leve a mal.
Ana Freitas de Magalhães.
 
Sr. Renato Nunes,

Pergunte aqui o que eles pensam de yasser ArafatYASSER ARAFAT محمد عبد الرحمن عبد الرؤوف عرفات القدوة الحسيني









YASSER ARAFAT محمد عبد الرحمن عبد الرؤوف عرفات القدوة الحسيني







Nascido Mohammed Abdel Rahman Abdel Raouf Arafat al-Qudwa al-Husseini (em árabe محمد عبد الرحمن عبد الرؤوف عرفات القدوة الحسيني), também conhecido como Abu Ammar, Arafat foi um dos sete filhos de um comerciante. O estabelecimendo da data e local de nascimento de Arafat são controversos. O seu registro de nascimento indica que ele nasceu no Cairo, Egipto, a 24 de Agosto de 1929. No entanto, alguns ainda tomam por verdadeira a afirmação de Arafat de que nasceu em Jerusalém a 4 de Agosto de 1929.

A descoberta do seu certificado de nascimento e outros documentos pela Universidade de Cairo puseram fim ao debate sobre o local de nascimento de Arafat (mesmo o seu biógrafo autorizado, Alan Hart, admite agora que ele nasceu no Cairo).

À nascença, o seu nome era Mohammed Abdel Rahman Abdel Raouf Arafat Al Qudwa Al Husseini. Como explicado pelo seu biógrafo palestiniano árabe Said K. Aburish, (in Arafat: From Defender to Dictator, Bloomsbury Publishing, 1998, p. 7), "Mohammed Abdel Rahman era o seu nome próprio, Abdel Raouf o nome do seu pai, Arafat o nome do seu avô; Al Qudua o nome da família dele e Al Husseini o nome do clã a que todos os Al Quduas pertenciam."

Foi afirmado que ele era um parente do clã Husseini, de Jerusalém, por parte da sua mãe (uma Abul Saoud), o que parece ser falso, uma vez que a pertença ao clã Husseini parece vir do lado do seu pai. Aburish explica que Arafat "não tinha parentesco com os verdadeiros Husseini, os notáveis de Jerusalém" (Ibid, p. 9) e explica que "o jovem Arafat pretendeu estabelecer as suas credenciais palestinianas e promover a sua ambição à liderança... e não se podia permitir admitir quaisquer factos que pudessem reduzir a sua identidade palestiniana. ...Arafat perpetuou insistentemente a lenda de que ele nascera em Jerusalém e que era um parente do importante clã Husseini daquela cidade."


Arafat viveu a maior parte da sua infância no Cairo, com a excepção de quatro anos (após a morte de sua mãe, entre os seus 5 e 9 anos) em que ele viveu com o seu tio em Jerusalém.

Ele frequentou a Universidade do Cairo, onde se formou como engenheiro civil. Nos seus tempos de estudante, ele aderiu à Irmandade Islâmica e à associação de estudantes, da qual ele foi presidente entre1952 e 1956.

Ainda durante a sua estadia no Cairo, ele desenvolveu uma relação próxima com Haj Amin Al-Husseini, também conhecido como o Mufti de Jerusalém. Em 1956 ele serviu no exército egípcio durante a Crise do Suez. No Congresso Nacional Palestiniano no Cairo em 3 de Fevereiro de 1969 Arafat foi nomeado líder da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Arafat casou-se já nos seus anos mais tardios com uma Palestiniana cristã. Sua esposa, Suha Arafat, deu à luz uma criança do sexo feminino (Zahwa). A sua esposa e filha vivem actualmente em Paris. Suha Arafat tornou-se recentemente cidadã francesa.





Arafat era muito requisitado pela mídia internacional para entrevistas. Numa delas (para a veterana jornalista da CNN Christiane Amanpour ele perdeu o controle e deixou a cena, nitidamente irado com as perguntas da jornalista. Esse facto rendeu manchetes no mundo todo.


A criação da Fatah
Após a crise do Suez, Arafat foi viver no Kuwait, onde ele encontrou emprego como engenheiro e acabaria por fundar a sua própria empresa.

No Kuwait ele esteve também envolvido na criação da Fatah, uma organização dedicada ao estabelecimento de um estado palestiniano independente e à destruição de Israel. Em 1963, a Fatah foi contratada pela Síria, para levar a cargo a sua primeira operação militar - fazer explodir uma bomba de água em Dezembro de 1964. O ataque foi um falhanço. No entanto, após a Guerra dos Seis Dias de 1967, os governos árabes ganharam um interesse maior pelas organizações palestinianas, uma das quais a Fatah.

Carácter envolvido em várias controvérsias, como o local do seu nascimento que ele afirmava ter sido em Jerusalem, mas depois provado pelo seu próprio biógrafo que foi no Cairo, quando morreu (Segundo a Revista Forbes) deixou uma fortuna incalculável,em testamento, para a sua viúva Suha Araft, que junto com a sua filha vive num luxuoso apartamento em Paris.

Arafat, o homem considerado como um dos homens mais ricos do mundo(Revista Forbes)no entanto o Palestinianos estão a morrer de fome, e os Hamas usam as pobres criancinhas como escudos pondo-as em escolas, mesquitas, quasteis, e outros sítios que sabem de antemão que os Isrealitas vão bombardear.

Sabem, os nacionalistas de um certo partido em Portugal (pensam que são nacionaslistas) preocupam-se mais com Israel, País que é de longe mais desenvolvido que Portugal. Já se leu no Forum Nacional que se devia deitar uma bomba atómica em Israel, e destruir aquele país de uma vez para sempre. País que é reconhecido e existe por votação da miaoria das nações que compõe a ONU.

Por outro lado o hamas e o ezbolah, não se preocupam com ninguém do povo deles, tal Arafat náo se preocupou, aliás árabes, o que eles querem é protagonismo e donativos, que o mundo ocidental envia, como Portugal que ja mandou cinco milhões de euros para lá construirem um Estádio de futebol.

De resto, veja que eles matam-se uns aos outros como quem mata mosquitos. Veja no Iraque, e veja no Irão, no entanto quando Israel se defende, é um alarido, mas não perguntam porque é que os terroristas deitam roquetes para dentro de Israel..e matam crianças e mlheres também..........aí já está bem, e é aceitável?????????

Eu dei donativos para os palestinianos e hoje só de pensar que ele era multimilionário, só me apetece era que Israel fizesse o seguinte:

1-tirar todas as crianças e mulheres e velhos de Gaza.

2-Dar aos terroristas dois dias para se renderem.

3-Desturir tudo e reconstruir de novo sob um governo de jeito para que haja paz de vez em Gaza.


Fernando Fortunato
 
A seu tempo o PNR vai divulgar o seu programa para as europeias.
Não vamos certamente prometer 150.000 empregos, nem usar de outras artimanhas para conseguir votos.
Uma coisa é certa vamos lutar pela Europa dos países e não por um país chamado Europa.
Informo os interessados que no dia 14 de Março, na Figueira da Foz terá lugar um almoço, Já a pensar na pré campanha eleitoral.
 
Respostas no REVERENTIA
 
"Não conheço ninguém que tenha sido saneado do PNR. "

Você é um mentiroso. Houve pessoas que foram coagidas a sair do partida através de insultos e ameaças e sabe-o bem.
 
A mim ninguém me faz sair de lado nenhum mesmo com insultos e ameaças.
Estive no último Conselho Nacional, conversamos, discutimos, por vim votamos e todos acataram os resultados. Se noutros tempos as coisas não eram assim, não posso afirmar com segurança, uma vez que cada uma das partes tem uma versão diferente.
Neste momento ou porque algo mudou ou não, pude contactar que todas as opiniões são validas e não existe um ambiente de coação.
Portanto é tempo de união em torno do único partido nacionalista legalizado.
Pela minha parte estou disposto a contribuir para que o maior numero possível de nacionalistas se juntem em torno do projecto.
 
Sr., amigo e Companheiro Vitor Ramalho:
- Não sei se nos conheçemos pessoalmente, ou não.
Tenho acompanhado os seus comentários.
Tem demonstrado um esprito de tolerância e de unidade Nacionalista.
Muito me congratulo.
Pelo que tenho lido, também faz parte da lista do PNR às Europeias.
Tenho muita honra em afirmat, PUBLICAMENTE,tembém. o meu apoio à sua candidatura.
Temos lista!
Temos gente de honra e honestidadde.
TEMOS NACIONALISMO!!!!
Manuel Abrantes
 
Acredite que o que acaba de escrever é um incentivo para que eu faça mais e melhor.
Por motivos que não interessa aqui alongar, só há cerca de quatro anos voltei a ter contacto directo com o nacionalismo e os nacionalistas.
A passagem pelas fileiras do nosso exercito e uma certa falta de informação, fizeram com que o contacto com a causa fosse durante uns anos pouco ou quase nada.
A chama nunca morreu porque, nasceu nos tempos do MIRN, com formação dada pelos Mestres da Cidadela aqui da Lusa Atenas.
Deparei-me com um cenário a que não estava habituado. Alguns nacionalistas, nem todos felizmente, gastam 90% do seu tempo a atacarem-se entre si não percebendo, ou não querendo perceber que o inimigo só ganha com isso. Desperdiçam as suas energias em guerras intestinais, que em nada beneficiam a causa, antes pelo contrário.
Ora eu não me conformo com este tipo de atitudes e tudo farei para que os irmãos desavindos possam um dia juntar-se todos. Não é fácil eu sei. Mas a Pátria assim o obriga e o povo assim o deseja. Se com razão ou não, nalgum dia se zangaram, devem perceber que outros valores muito mais fortes, estão acima dessas questiúnculas.
O terreno é favorável ao crescimento do nacionalismo, a tarefa será tanto mais fácil quanto maior for o numero e menor forem as facções.
Por mim, como já escrevi noutros lugares, estou disposto a participar em quanto encontros forem necessários, para juntar o maior número de nacionalistas possível em torno do mesmo projecto.
 
ramalho nada querias com o PNR, quando te davas com a TIR... de repente acaba a TIR e lá estás tu no PNR...

Não foi ninguém saneado do PNR:
-Filipe Batista e Silva
-Emanuel Guerreiro
-Lina Monteiro
-Pombal
-Carlos Branco

e querem que a lista continue, ou fiquemos por aqui quanto aos saneamentos no pnr????
 
Tenho sempre alguma relutância em responder a comentários de anónimos. Neste particular não sei mesmo se estou a responder a algum infiltrado cujo interesse é promover a desunião, ou a alguém que está mesmo no nosso meio.
Para sua informação, dentro da TIR sempre defendi a aproximação ao PNR.
No PNR cometeram-se muitos erros e certamente vão continuar a cometer-se. Quanto mais trabalharmos mais erros vão ser cometidos, embora esteja certo que vamos aprender com eles e tornar-nos cada dia melhores.
Qualquer uma das pessoas que refere não foram saneadas, resolveram sair do PNR.
Uma delas até foi responsável pelo meu afastamento do partido. Portanto saneou-me também. Penso que em toda esta questão ninguém está isento de culpas.
Eu em nome de valores mais altos fui capaz de dar uma nova oportunidade e essa é a mensagem que quero deixar.
 
AVISO AOS COMENTADORES
Considerando o período que se avizinha vou ser mais selectivo nos comentários publicados.
Toda e qualquer critica que vise o desprestigio de qualquer força politico/partidária, será motivo de profunda analise para sua publicação.
Manuel Abrantes
 
Sr e Dr. Humberto Nuno de Oliveira.
Julgo, pelo que aqui leio, que somos colegas.
Coloquei-lhe algumas quesões.
Não mereço uma resposta ?
Ana Freitas de Magalhães
 
Drª Ana Freitas de Magalhães.
O candidato Humberto Nuno de Oliveira respondeu-lhe no seu "site".
Reverentia Lusa- Coluna aqui ao lado.
Manuel Abrantes
 
Ai os "tachos" , ai os "tachos", é sempre o eterno problema com o políticos portugueses.

Quanto ganhrá um Deputado no Parlamento Europeu? Já agora gostaria de saber.

Está aí a questão, os "tachos" e o que vem por acréscimo.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]