quarta-feira, janeiro 28, 2009


DEPOIS DA BANDEIRA NACIONAL NOS AÇORES
È AGORA
O HINO NACIONAL NA MADEIRA

Depois do caso da Bandeira Nacional nos Açores, onde o novo Estatuto da Região prevê que a Bandeira Nacional seja hasteada ao mesmo nível da Bandeira Regional, o PSD/Madeira chumba uma proposta do PS/Madeira e de toda a oposição, que exigia que o Hino Nacional fosse tocado em todos os actos oficiais.

Os socialistas pretendiam que a Assembleia Legislativa recomendasse ao Governo Regional e aos municípios da região autónoma a obrigatoriedade de tocar o hino nacional nas cerimónias comemorativas do Dia da Região e do Dia do Município, bem como em eventos oficiais no arquipélago em que estejam presentes membros dos órgãos de governo próprio da região

Tudo isto porque o Hino Nacional raramente é tocado lá prá bandas da Madeira. Só em ocasiões muito especiais, como, por exemplo, uma visita do Chefe do Estado é que o Hino se faz ouvir.

Dá-me a perceber que a politica nos arquipélagos anda pelas ruas da amargura. Os seus dirigentes – especialmente Alberto João Jardim – são muito “portugueses” quando é para exigir dinheiro e apoios. Mas, quando se trata de cumprir os direitos e deveres para com a Nação, fazem “ouvidos de mercador”.

Como o “dinheirinho” já não escorre para os seus projectos megalómanos, sub-repticiamente, começam a dar sinais de caciquismo independentista com laivos a roçar no ridículo característicos das novas repúblicas das bananas.

Sempre aqui defendi muitas das posições do Dr. Alberto João. Contudo, quando toca aos direitos e deveres para com os símbolos da Pátria, não tenho contemplações de criticar seja quem for.

Quem não é pela Nação é contra a Nação. E quem não for pela Nação é meu inimigo. Nem adversário o considero.

Manuel Abrantes

Comentários:
M. Abrantes
Nãp apoio esse seu nacionalismo, nem acredito nele.
Mas reconheço a sua coragem nos princípios que defende.
Critica sempre que os seus princípios são beliscados, mesmo quando eles são oriundos das pessoas que defende.

Sou frequentadora do seu blogger. não concordo com muitas das suas crónicas. Reconheço, contudo, que defende princípios que me merecem reconhecimento.
Ana Claudia
(uma paupérrima professora reformada)
 
Peço desulpa.
Não adulteremos a língue de Camões.
Corrigir:
(...)critica, sempre, quando os seus princípios são beliscados.
Assim é que está correcto.
AC
 
A nação não se discute.
"Tudo pela nação, nada contra a nação.



PNP
 
Concordo plenamente com este teu artigo!
....Anónimo disse...???
Epa!! nunca gostei dessa canalha (anónimos)
Agora falando de coisas serias.
A madeira como os Açores...
Pertencem ao terretorio nacional.
Como tal:
O HINO NACIONAL é para ser tocado sempre e em qualquer circunstancia.
 
Os únicios que dizem que o Hino Nacional é facista, e reacionário pois as palavras "contra os canhões marchar , marchar, deviam ser mudadas para "pelo 25 de Abril marchar, marchar", são os comunistas, mas alguns........o que deveria ser considerado como um crime e punido por lei.

O nosso Hino, é sagrado, quando cantado todos se levantam com respeito tal como a nossa bandeira.

E pedimos respeito.

PNP
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]