quinta-feira, abril 30, 2009


A QUESTÃO DO BLOCO CENTRAL

Nos últimos tempos o dito e o desdito de Manuela Ferreira Leite sobre um hipotético governo do chamado bloco central tem feito correr muita tinta.
Não sou a favor, nem contra, de qualquer tipo de governo que vise encontrar soluções para a crise actual e para os tempos, ainda mais negros, que se avizinham.
Eu continuo a acreditar que as crises só se vencem com a honestidade e clarividência de quem governa e na disciplina e trabalho dos que são governados.
Acontece que, com a casta actual dos políticos, não acredito nem na sua honestidade nem na sua clarividência.
Assim, um hipotético governo do bloco central ou outro qualquer, com os políticos actuais, não tem honestidade politica nem – muito menos – clarividência.

Os políticos actuais, muito especialmente os do bloco central, não governam para o País mas sim para os seus interesses pessoais e do partido a que pertencem.
È por isso que um governo do bloco central não tem futuro. O problema não está na necessidade dos dois maiores partido (representam 70 % do eleitorado) se unirem num esforço colectivo. Eles sabem que perante uma crise devastadora é necessária a união das vozes politicas.
Eles sabem disso!!!
Só que o problema não está numa governação conjunta. O problema reside na distribuição dos lugares remunerados e nos tachos que advêm do poder central.
Nem o PS nem o PSD estão dispostos a cederem lugares um ao outro.
O problema desta gente não é resolver e fazer frente à crise. Eles querem lá saber disso!
O importante, são os lugares na hierarquia politica e os respectivos tachos que daí advêm.
Isto é que é importante para eles. O resto, são cantigas.

Não sabemos onde vai parar esta crise. Não sabemos, nem descortinamos o seu final. Isto se houver final…
E não há nada pior do que, numa crise financeira sem fim à vista, aparecer uma crise politica.
È o que pode, muito bem, via a acontecer.
E depois queixem-se se aparecer por aí algum dos chamados governos de salvação nacional.
Pois… È que no meio da confusão generalizado aparece sempre alguém a impor a ordem.
Um novo Salazar ?
Não!!!
Já não há outro com o seu carisma e – muito especialmente – os tempos, também, são outros.
O que pode aparecer ( não quero fazer futurologia) é o capitalismo selvagem a impor, ainda mais, a sua ordem. Marionetas que o representem é o que por aí não faltam.
Estou a fazer um grande filme. Não estou?
Pois estou …
Manuel Abrantes

Comentários:
OS SAUDOSISTAS DO ESTADO NOVO
(deparei-me com este blog e fiquei chocado, e nos tempos que decorrem nem quero acreditar)

Nesta altura do ano surgem sempre os detractores da Revolução de Abril- espécie de saudosistas do Estado Novo- pois "antigamente é que era bom", assim dizem.

Como se 40 anos de obscurantismo não tivessem atrasado irremedialvemente o País, e a Pide fosse uma qualquer organização sociocultural!(...) Mas será qie esta gente não se lembra do que acontecia no tempo do pseudo-estadista? A colagem ao facismo, as repressões políticas e públicas com vergonhosa conivência da igreja Católica, a censura literária, a educação baseada num nacionalismo bafiento, da Interminável guerra do Ultramar e do obsessivo colonianismo.

Actualmente parece que entramos num processo de regressão pois inauguram-se ruelas com nomes de ditadores existindo também regiões que ignoram a data gloriosa do 25 de Abril...........

Convém explicar ás gerações futuras que a História náo pode voltar a repetir-se e que o assassinato de Delgado por Salazar não pode ter sido em vão.

José dos Santos Viriato

viriato.viriato38@gmail.com
 
Sr Viriato
Saudosistas do Estado Novo?
-Onde é que leu isso ?
Respeito o EStado Novo como nutro respeito por todos - todos!!! - os momentos Históricos.
Respeito a figura de Salazar mas não faço dele nenhum santo.
Não o faço agora como nunca o fiz.
Deixe-se da "caça às bruxas".~Manuel Abrantes
 
Sr Viriato
Saudosistas do Estado Novo?
-Onde é que leu isso ?
Respeito o EStado Novo como nutro respeito por todos - todos!!! - os momentos Históricos.
Respeito a figura de Salazar mas não faço dele nenhum santo.
Não o faço agora como nunca o fiz.
Deixe-se da "caça às bruxas".~Manuel Abrantes
 
Por favor não se faça de inocente. E o nome que o senhor usa para o seu blog?

Só o nome é uma afronta para a liberdade dos portugueses e de Portugal. O senhor vive do passado, mude e passe a enfrentar a realidade. Faça esse favor ao povo português e use antes outro nome pois não gosto do mesmo e não comprendo como alguém pode dar esse nome a um blog?

Jose´dos Santos Viriato
 
..."Um novo Salazar ?
Não!!!"...

Caro Abrantes,
claro que não um Salazar, mas sim alguém muito pior.
Os portugueses dada a sua fé, acreditam que ainda pode aí vir um Salazar, pois enganam-se, quem aí vier, vai fazer ter saudades do velho ditador. Hoje, tendo em atenção a real e calamitosa situação económica e financeira de Portugal, se realmente quiser fechar o buraco negro em que nos encontramos, vai ter se de ser de um rigor e exigência tal, que, Salazar ainda vai ser colocado nalgum altar e venerado como santo, não perceber isso, ou revela extrema ingenuidade ou pior, extrema estupidez.
Com uma dívida externa brutal, ainda por cima galopante, como os primeiros sinais da "crise internacional" aí a chegarem, reflectindo-se no abaixamento brutal do investimento estrangeiro, das exportações, com uma cada vez maior dependência, quer de bens do estrangeiro, quer de dinheiro emprestado para substituir a falta da criação de riqueza que não produzimos, com um aumento brutal do desemprego, com as consequentes atribuições de subsídios ao mesmo tempo que deixam de entrar as contribuições desses novos desempregados, com a falta de ânimo e auto-estima, que nunca devem ter estado tão baixas como agora, com a quase ausência de resposta em termos de emprego - minimamente estável - principalmente para os recém-formados de todos os graus de ensino, o que é que não se tem de fazer, para superar este estado de degradação, ou mesmo decomposição, deste país???
Ora, tudo o que acabei de apontar (e muito mais que não falei), é pura realidade, não é nenhum chavão político ou arma de arremesso contra ninguém, então como é que vamos encontrar saída para este caos???
Pessoalmente, não acreditando em nenhum bloco central, ou mesmo bloco alargado, incluindo todos os partidos dentro do actual semi-círculo da AR, só pode haver resposta se esta vier de fora e for feita de forma muito vigorosa, direi mesmo, muito musculada.
A situação é tal, que é completamente insustentável por muito mais tempo, pois corremos o risco de deixarmos de oferecer um mínimo de segurança a quem nos empresta o dinheiro, e aí, corremos o forte risco de morrermos de fome ou haver um desenvolvimento com tal violência, que pode descambar para situações muitíssimo graves.
Assim, tendo em atenção que nestes últimos 35 anos devido a todo o tipo de desmandos, a situação de fragilidade económica da Nação, tem vindo a piorar - excepção para alguns oportunistas, que, nunca tiveram tão cheios como hoje - não consigo vislumbrar outra solução do que uma ditadura - certamente com outro nome, para continuar a enganar os papalvos - mas, igualmente dura e disciplinada, isto, caso se consiga arranjar alguém com tomates - não tenhamos medo de usar termos vernáculos - para controlar a rebaldaria em que Portugal tem vivido, pois, a continuação da bandalheira e deste forrobodó não pode continuar, ou então, vamos ter o caldo entornado.
Por isso, tanto faz que ganhe o bloco central, ou o "Jaquim das Couves", que não há outra solução.
Anos e anos de malfeitorias, de corrupção, de irresponsabilidade, de incompetência, foi no que deu, um país completamente endividado, totalmente dependente do estrangeiro, quer em produtos manufacturados, quer em matérias primas, quer ainda em alimentação, o que é pior, para já não falar no dinheiro, pois caso não nos seja emprestado, paramos em meia dúzia de dias.
Se olharmos para o país o que é que vemos???
Grande parte da população do Interior a fugir para o Litoral, Interior esse, que, desde sempre, tinha assegurado, quer boa parte do trabalho, quer a maioria da alimentação, mas, claro, vamos culpar as pessoas quando tomam essa decisão?
Claro que não, ou foram eles que fecharam maternidades, postos de saúde, urgências de hospitais, caminhos de ferros, e outros meios de apoio social???
Quem é que quer viver num local em que se tiver uma "simples" dor de dentes , não se tem ninguém que lhe acuda???
Quem quer viver num local, em que, para se ter um filho, tem de ir parir a Espanha???
Quem quer viver no Interior do país, em aldeias em que o único meio de transporte era o caminho de ferro, mas, que, até isso lhe tiraram???
Aliás, neste aspecto, Portugal ,ou melhor os seus desgovernantes, até poderiam ser nomeados os "anedotas do século", caso não fosse dramático o que querem fazer, ou seja, ter um TGV de última geração, o mais rápido do Mundo (tipo 350 Kms/h), enquanto vão dando machadadas nos caminhos de ferro convencionais, fechando hoje aqui, amanhã ali, sempre com a desculpa esfarrapada e já gasta de que se fecha por questões de segurança, muitas vezes com uma falta de dignidade como foram os últimos casos, em que só depois de fecharem as linhas é que avisaram as populações, o que demonstra a "democracia" destes cavalheiros, Chegando ao cúmulo de uma província como Trás-os Montes, que nos anos 80 tinha mais de 400 Kms de via férrea, hoje estar tudo fechado à excepção - graças também aos esforços dos autarcas locais, neste caso de Mirandela, releve-se o facto - de um pequeno troço explorado pelo Metro dessa bonita cidade, os Alentejos, tirando Évora e Beja, ficaram também sem comboios, por todo o país muitas outras linhas foram também desactivadas ou passaram apenas a servir comboios de mercadorias e mesmo assim em poucos casos, por exemplo, agora querem-se ver livres do ramal de Serpins, tudo em nome do "progresso", ou seja, substituírem os comboios tradicionais por "metros de superfície", como se um zona - que por acaso até conheço bem - com baixa densidade populacional justificasse tal opção, tanto mais, que, dessa forma, deixa de ter possibilidades de haver transporte de mercadorias, o que poderia ter interesse, caso essa linha fosse prolongada até Arganil, conforme o projecto original - não esquecendo que é uma zona rica de florestas, logo, de madeiras - indo criar economicamente mais um buraco negro, pois, a quantidade a pessoas que eventualmente possa ser transportada é muito inferior ao que justifica um metro de superfície, mas claro, há sempre alguém que vai encher o bolso à custa disso, portanto, que se lixem as dívidas contraídas.
Assim, não chegavam dez páginas para descrever os disparates, quer os que se tem feito, quer os que se prevêem no horizonte - se bem, que a situação financeira, porventura não vai permitir muitos deles, mas, nos "entretantos", muitos vão ganhando com os salários que recebem à custa disso e com os projectos feitos às "3 pancadas" -
por isso meu caro Abrantes, volto ao teu tema, como é que um possível "bloco central" vai resolver esta embrulhada em que estamos metidos???
Há tantos problemas internos (já nem falo dos externos), resultantes das consecutivas más governações - não esqueçamos, que há 10 anos, já estávamos metidos no "pântano" - e daí para cá, tem sido sempre a piorar, que o melhor talvez seja pôr o país em saldo e vender os portugueses para escravos dum qualquer sultão das Arábias, pois doutro modo, não vejo como, tanto mais, que os novos partidos, ou pseudo-partidos, de uma maneira geral, não tem ninguém capaz de dar sequer uma opinião válida com pés e cabeça, quanto mais serem opção de governo.
Também os blogueres (não te incluo a ti, até porque sempre tens diversificado os temas que apresentas), de um modo geral, também tem a sua parte de culpas no cartório, assim, em vez de andarem apenas e só a "desancar" Sócrates pela sua alegada intervenção no caso Freeport, antes deveriam denunciar o estado desastroso da Nação, a sua perda de soberania, a situação económica gravíssima, etc., mas não, andam sempre a bater no mesmo, e, caso não se venha provar nada - o mais provável - perderam tempo precioso, que deveria ser dedicado ao esclarecimento e apresentação de ideias novas, a favor de uma telenovela que parece nunca mais ter fim, não defendo a corrupção, seja de quem for, mas não se resolve nada atacando apenas um apêndice do "sistema", tem de se atacar é o sistema em si.
Meu Amigo, estamos numa encruzilhada, ou melhor, estamos metidos (meteram-nos), numa camisa de onze varas, da qual que não sei como sair, prevejo tempos muito difíceis, tempos em que mesmo pessoas da nossa idade, nunca passámos, tempos em que a ideia romântica da democracia, vai voltar para o baú da saudade, pois, se nem mesmo até agora ela foi praticada na realidade, quanto mais daqui para a frente.
O lema futuro, vai ser - não duvidemos, "A Cenoura e o Chicote" - quem mijar fora do penico, vai levar na cabeça.
Muito mais haveria para dizer, tantos são os problemas cá do quintal, mas fica para a próxima.
Um abraço.
Cumprimentos.

LUSITANO
 
Em algumas esferas já se fala em Portugal ser anexado por Espanha, tipo, com uma autonomia á Madeirense ou ás outras províncias de lá, e com a capital em Madrid, e o chefe de Estado o Rei de Espanha.........

Fala-se em "altas esferas"cá e fora de Portugal, desta possibilidade,pois a CE, está cansada de mandar para cá dinheiros e o país não saber aproveitar.

"A CENOURA E O CHICOTE" a que LUSITANO se refere, serão os Espanhois, pois eles saberão impor a ordem, alias,já o fizeram em 1540 em que reinaram em Portugal a ferro e fogo, e nunca perderam o apetite e o desejo de o tornarem a fazer, desde 1143...logo os tempos. nunca se mostraram tão propícios para que isto venha a acontecer, e os portugueses na sua maioria, não se importariam nada,desde que haja dinheiro para comer, além disso, o verdadeiro nacionlismo evapora-se a cada dia que passa.

Por outro lado repara-se que quando os nossos governantes se encontram com os governantes Espanhois, desde o 1º Ministro ao Presidente, falam corretamente o Espanhol, e os Espnhois como o Rei de Espanhaque até sabe falar bem o Portugues...............não acham estranho este cirvilismo por parte dos nossos governantes?

Que Portugal deixou de ser um país viável, lá isso deixou.

É inviável e ingovernável, pois só nos aparecem pela frente governantes de uma incompetência alarmante.........
Antes havia tostões, hoje só há ladrões...........


PNP

www.p-n-p.forumeiros.com


P.S.

Hoje no forum do PNP uma das intervinientes diz que a única maneira de se salvar Portugal seria voltar a ter uma Monarquia, de resto temos os dias contados.........
 
Na grande preocupação em que muitos do PNP e não só, se encontram, enviámos o seguinte e-mail tanto para o PCP, como para o BE, para a própria Assembleia da Republica, pois estamos convictos de que muitos dos males deste país têm sido perpretados por estas gentes e pela maneira como eles pensam e agem:

"AFINAL QUEM SÃO O PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS E O BLOCO DE ESQUERDA?


Os portugueses cada vez mais se interrogam, sobre estes dois partidos políticos que se auto nomeando como de esquerdas, têm um comportamento um tanto ou quanto duvidoso naquilo que diz e da maneira como o diz. Por exemplo, eles afirmam vezes sem conta que são democratas, e até usam esta palavra para se defenderem, mas ao se olhar para os seus irmãos e primos igualmente comunistas por esse mundo fora (agora são só meia dúzia deles) notamos que os mesmos são ditaduras ferozes com governos vitalícios, como é o caso de Cuba e o da Coreia do Norte. (E era assim nos outros todos que já não existem).

Por outro lado o PCP e o BE defendem a não interferência nos assuntos internos dos outros países, no entanto vão atacando e correctamente os EUA por estarem no Iraque, no Afeganistão, Israel na Palestina, e por aí fora, mas não falam e mudam de conversa quando alguém lhes pergunta sobre o genocídio perpetrado pelo Regime comunista de Pequim contra o povo do Tibete, que aos poucos está a ser dizimado por este regime “democrático”. como o PCP lhes chama, e se auto proclama.

Também adoram Fidel Castro reconhecendo nele um grande libertador e democrático, no entanto que se perceba,em Cuba proíbem outros partidos políticos e nunca se ouviu falar em eleições democráticas e livres naquele país. Fidel Castro tomou conta de Cuba pela força e a partir daí governa aquele país como bem quer e lhe apetece, parecendo mais o dono de uma grande quinta do que outra coisa. Adoeceu recentemente, e para assegurar a “galinha dos ovos de ouro”, pôs lá o irmão dele. Ora que grande democracia “á lá comunista”já para não se falar quando este grande "democrata" chamado de Fidel Castro mandou fuzilar alguns desgraçados de cubanos que tentaram emigrar para outras paragenss em pequenas embarcações á procura de melhor vida…

Mas isto é noutros países,não devemos intererir nos assuntos internos deles, agora a grande PERGUNTA dos portugueses é sempre a mesma: MAS AFINAL QUEM É ESTA GENTE? Que usa dois pesos e duas medidas para quem é comunista e para quem o não é?

Quando foi de uma qualquer votação na RTP, em que Salazar foi votado como o maior português de todos os tempos foi vergonhosa a conduta e comportamento de Odete Santos. Agora no que se refere ao nome de uma rua, com o nome de Marcelo Caetano, ui …..foi uma indignação total e para não falar na reparação do largo com o nome de Salazar em Santa Combadão. Caiu o “Carmo e a Trindade” e esta gente teve o desplante de levar este problema para a Assembleia da Republica, com tantos problemas que Portugal enfrenta, eles perdem tempo com coisas triviais??????????

A grande pergunta é: GANHASSEM ELES AS ELEIÇÕES COMO SERIA?

A resposta foi dada por um jovem de 18 anos que para aqui escreveu:

PORTUGAL SERIA GOVERNADO POR UM GOVERNO FACISTA RADIAL COMUNISTA COM TAL REPRESSÃO QUE O ESTADO NOVO MAIS ERA UM PICNICK. "

Aguardamos agora uma respsota que nunca vai vir, já sabemos......

Será que vai ser esta uma outra alternativa para Portugal? a tal Cenoura e Chicote?

PNP
 
Caro Abrantes,
Tendo enviado um comentário posterior ao aqui já colocado, a propósito do comentário do Sr. J. Viriato, não vi o mesmo publicado.
Claro que tens todo o direito e reconheço isso, de publicar aquilo que entenderes, até porque o blogue é teu e tornas-te co-responsável pelos comentários publicados, daí, não levar a mal a sua não publicação, mas como tenho sempre alguma dificuldade em os fazer seguir - possivelmente devido à sua extensão - vou reenviá-lo ficando ao teu critério a sua publicação ao não, podes também sempre que entenderes, cortar partes que eventualmente possam ser melindrosas, apesar de ter imenso cuidado em não as escrever, por isso, não tenhas problemas, a decisão final é sempre tua e eu não levo a mal.
Um destes dias temos de falar.

PS-O meu email, se quiseres escrever-me pessoalmente:

audion@clix.pt

Logicamente, este é um comentário particular, não é para ser publicado, mas como não sei o teu endereço electrónico, tive que utilizar este meio.
De seguida envio o tal comentário.
Obrigado.
Um abraço

LUSITANO
 
Caro Abrantes,
Já depois de te ter enviado o meu comentário anterior, li o comentário do Sr. Viriato, deu-me tal volta ao estômago que não posso deixar de comentar o que aí escreveu, apesar de não ser directamente comigo, mas como costumo aí fazer comentários, também me sinto atingido.
Disse esse Sr.:

..."(deparei-me com este blog e fiquei chocado, e nos tempos que decorrem nem quero acreditar)
Nesta altura do ano surgem sempre os detractores da Revolução de Abril- espécie de saudosistas do Estado Novo- pois "antigamente é que era bom", assim dizem.
Realmente não tenho visto comentários a dizer que "antigamente é que era bom", haverá por vezes, algumas formas de comparação, mas isso não é fazer a apologia do Estado Novo, não é defender as políticas de Salazar, mas, mesmo assim, e curiosamente, continuam a existir algumas Instituições do Estado Novo e não vejo os defensores de políticas de Esquerda virem atacar as mesmas, refiro-me concretamente, por exemplo às diversas Ordens, que são instituições inteiramente corporativas, logo, se quisermos, poderemos ser um pouco mordazes e dizer que são "Instituições fascistas", mas aí, não vejo ninguém apontar um dedo sequer, porquê???
Porque dão jeito???
Porque boa parte dos políticos são advogados, engenheiros, médicos ou economistas, logo "beneficiários" dessas Ordens???
"Quanto a esta altura do ano é que surgem saudosistas do Estado Novo", bom, desculpa-se - aceitando que nos está a chamar "saudosistas - porque aqui veio pela primeira vez, mas, se assim não fosse, percebia que somos "saudosistas" o ano inteiro.
"40 anos de obscurantismo". já agora acrescente-lhe mais 8, 7 do período da Ditadura, de 1926 até 1933e mais 41 do Estado Novo, de 1933 até 1974.
Realmente, também acho que foi um "período de obscurantismo", de tal forma, que, caso o odiado Salazar não tivesse conseguido constituir uma reserva apreciável de ouro, hoje, o Sr. Viriato, andava aí pelos campos a comer erva, isto, se tivesse conseguido sobreviver a estes 35 anos de regabofe e destruição.
Quanto ao "pseudo-Estadista", devo dizer-lhe que nunca tendo sido Salazarista, no entanto, como Estadista Salazar teve muito mais mérito do que qualquer um após o 25/4, ou acha que é mérito termos chegado ao ponto em que chegámos, com o País praticamente na bancarrota, com um desemprego em barda e sempre a subir, com as fábricas a fecharem umas atrás umas das outras, com uma Educação cada vez mais rasca, que antes merece o nome de "Deseducação", com a brutalização e estupidificação dos Portugueses, quer através das televisões, quer através dos chamados "órgãos de informação", que melhor ficariam se fossem chamados de "órgãos de desinformação e manipulação", da situação de pobreza e miséria de vários milhões de portugueses, cada vez mais, na contingência de não terem dinheiro para comprarem uma carcaça sequer, ao mesmo tempo, que uns tantos "democratas" se encheram, e enchem, como nababos, com uma Saúde, que, cada vez mais só é dispensada aos que tem dinheiro, ficando os "pobres no pau da roupa", com um País, que tendo já uma longa idade e tendo tido um papel relevante da História, hoje, é o escárnio de muita gente por essa Europa fora, que nos trata como mendigos e indigentes - o que realmente somos - que um destes dias, coloca cá um Regedor na cadeira do poder, tal os desmandos e disparates de toda a ordem que tem sido cometidos ao longo dos últimos 35 anos, ou pior, metem-nos na rua e fecham a torneira dos empréstimos, com uma Nação que já não o é, pois, aquilo que caracteriza uma Nação, a Identidade Nacional, foi quase proibida, com os portugueses agora a já nem quererem ser ser portugueses, antes espanhóis ou quiçá, até obterem a nacionalidade do Burkina-Faso, com uma corrupção, que até já chega ao estrangeiro, mas sem resultados práticos no seu combate, mercê duma Justiça que não ata nem desata, com uma destruição da Juventude, quer por via das drogas, do álcool ou de desvios comportamentais, logo da sua neutralização enquanto cidadãos exigentes e conscientes, e por aí fora, que a lista é longa.
Está também muito preocupado com as "ruelas" com nomes de ditadores, mas será que Salazar é o único ditador que deu o nome a "ruelas"?
Não está preocupado, por exemplo, que os "democratas" de Esquerda se passeiem em carros de 150.000 Euros, caso do Presidente da AR ou de 75.000 Euros, caso dos vice-Presidentes da AR, aonde se encontram "destacadas figuras da Esquerda" como Manuel Alegre ou António Filipe, ou será que dispensaram o popó pago pela maralha, a mesma que paga sempre as mordomias de Suas Exas.???
É esse o "Esquerdismo" que este Sr. Viriato defende???
Também defende o "Esquerdismo" que fez com que muitos milhares de portugueses andem aos caixotes em pleno século XXI, ou desconhece "por acaso" essas situações???
Afinal pergunto eu: o que é que a Esquerda, a "campeã" da defesa da democracia fez em defesa da mesma???
Por acaso, quem manda cá no quintal, não é o grande capital nacional e internacional?
Não se destruíram milhares de pequenas e médias empresas comerciais e outras, tudo pela glória das grandes superfícies, pertença de grandes empresários que pagam ordenados "fabulosos" aos seus empregados e sempre com contrato sem termo, como se vê???
E os contratos leoninos que os bancos celebram com os seus clientes - melhor seriam designados de "escravos" - com juros e despesas que chegam aos 30%, casos dos cartões de crédito, etc., quando o BCE empresta a esses mesmos bancos a 1%, será também essa a "democracia" que o Sr. Viriato defende???
E quanto ao aumento das "oferendas" em dinheiro vivo, "apenas" mais de 50 vezes o que se praticava actualmente, também acha bem? Será, que, quem pode dar uma simples" oferta de mais de um milhão de Euros o faz por acreditar nalguma ideologia, seja ela qual for, à excepção claro, de que dá um milhão para ganhar dez ou vinte milhões???
O Sr., desculpe dizê-lo, mas é o que penso, corresponde ao "protótipo de democrata esquerdista" intelectualmente bem pensante, mas sem grande traquejo nos seus argumentos, repete sempre o mesmo, sem se questionar se o que diz, condiz realmente com a verdade.
Hoje em dia, após todos os desastres cometidos neste país, da Esquerda à Direita, quem se assumir, quem ainda defender a Esquerda - os da Direita já não enganam ninguém - só pode pertencer a um dos seguintes grupos:

-Ingénuo: ainda acredita no Pai Natal.
Anda atrás duma utopia que nunca conseguirá agarrar, pois anda mais depressa do que ele.
O eterno vencido mas que nunca desiste.

-Apanhado: levou uma lavagem cerebral de tal modo, que já não consegue distinguir nada por si próprio.
Este já não tem cura, é um autómato diz ou faz o que lhe mandam.

-Hipócrita: faz-se de grande "esquerdista" para se locupletar com tudo o que pode, fazendo dos outros parvos, mas, que na verdade, segue tanto uma ideologia de Esquerda como o elefante do Jardim Zoológico.
A esta categoria, pertencem a maioria dos políticos "profissionais" de Esquerda. Entre eles, muitos, mudam de cor conforme as "ofertas de emprego".

Assim, Sr. Viriato., defender esta "democracia" imposta pelo golpe militar de Abril de 74, só se for um dos seus imensos beneficiários, mas vá perguntar isso aos que já não tem esperança, aos pequenos e médios comerciantes e empresários atirados para a miséria por não serem potenciais ofertantes de emprego a políticos recém-saídos do poleiro, fale com aqueles que entretanto se vão suicidando, tal o desespero em que se encontram - parece que isso agora é tabu em Portugal pois, sobre essas tragédias, nickes! - fale com os velhos, que nem para os remédios tem dinheiro, fale com os jovens a quem foi dito, que, caso tivessem habilitações superiores teriam maiores vantagens de emprego, mas, que acabam invariavelmente em caixas de supermercado - se calhar por isso é que estes abrem aos magotes - fale com quem desespera meses, quando não anos, por uma consulta ou uma operação, enfim, tem muito com quem falar.
Sinceramente, já não tenho pachorra!
Cumprimentos.

LUSITANO

PS-Ah! Esqueci-me de dizer, que também fui um daqueles jovens iluminados pelo fascínio da Esquerda, muito antes de 74, mas, que, quando constatou que afinal o que lá se dizia não era o que se praticava na realidade, bem ao estilo do Frei Tomaz, resolveu mandar essas teorias bafientas para o caixote do lixo e viver desligado dos partidos.
Por isso meu Caro Senhor, a sua cartilha já eu a aprendi há muitos anos, e, caso eu fosse um dos muitos oportunistas que por aí babujam, hoje teria um bom tacho, mas, se calhar sou parvo...sabe-se lá.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]