domingo, maio 10, 2009


A ARRUAÇA, MAIS UMA VEZ, ESTÁ NA RUA

Estamos a assistir ao descalabro das arruaças de rua. No Bairro da Bela Vista, em Setúbal, a violência é a palavra de ordem. E, o pior de tudo isto, é que não sabemos onde a situação irá parar nem como vai parar.
Não sou filho de Setúbal mas vivo bem perto e vivi na cidade durante, cerca, de vinte anos.. Setúbal, para mim, não é a minha terra-mãe, mas é como se o fosse.

Após os últimos actos de violência com petardos contra a polícia e pedradas aos Bombeiros apenas, e até ao momento, houveram três elementos detidos e dez identificados.
Bem! Estão á espera do que? De que isto se transforme numa batalha campal ?
Estamos com medo do quê?
Não me venham dizer que a policia não sabe quem está a provocar todos os actos terroristas.
Sabe! Claro que sabe.
Mas, não pode actuar. As Leis não o permitem.
È o politicamente correcto.

Quando ouço um politico de um partido com responsabilidades na cidade: o PCP e o seu secretário-geral Jerónimo de Sousa , a dizer que o problema não passa de um “problema social”, só posso dizer: - “Santa” ignorância.
O bairro da Bela Vista já existia quando esta cidade foi vítima da fome, nos anos oitenta, com os despedimentos na Setenave.
Lembremo-nos das posições do então Bispo de Setúbal, D. Manuel da Silva Martins. Era então primeiro-ministro –coincidência …- outro socialista : Mário Soares.
A fome era a palavra de ordem nesta cidade operária.
O bairro da Bela Vista já existia e nele residiam a grande maioria dos despedidos e sem dinheiro para sustentarem as famílias.
E então ? Que eu saiba, nunca a violência foi palavra de ordem. A fome remoía nos estômagos mas manifestações de violência nunca – NUNCA !!! – existiram..
Então o que é que mudou ?

Chamem-me o que quiserem, mas não foi o bairro. São as pessoas que, agora, o habitam.
São os bandos organizados e mafiosos. E, esses bandos, são constituídos com tipo de gente? Nacionais ? (acredito que, também, os existam). Mas, - não é segredo para ninguém desta área onde resido ( Pinhal Novo) e da própria cidade de Setúbal - os bandos são organizados por gente estrangeira.
È MENTIRA ?
Vamos lá começar a falar sem medo. Vamos lá a começar o dizer o que nos vai “na alma”.
Nem todos os estrangeiros são gente má. Não!!!! Vamos separar o trigo do joio.

Dou-vos um “pequeno” exemplo.
Vivo no Pinhal Novo, no concelho de Palmela, vizinho do Concelho de Setúbal.

Pinhal Novo é uma vila que – pensamos – já tem, quase, 30 mil habitantes.
Pelo Plano Director da Freguesia e do Concelho, não é, nem nunca foi, permitida habitações com mais de três andares. Isto, tornou o preço das habitações não muito acessíveis. Eu, como ex-autarca, fui um dos responsáveis por isso.

Há bairros sociais cridos nos anos 80 ( no qual vivo) onde se pode circular a qualquer hora da noite.
Temos criminalidade. Temos sim! Não muito relevante e sempre provocada por prevaricadores vindos de fora.
Também temos imigrantes. Temos! Mas inseridos na comunidade. Gente boa e respeitável. Às vezes mais respeitáveis do que os nacionais.
Estão a ver um exemplo ?

Contudo, já existem vozes políticas (maioria absoluta comunista) a gritar pela criação de bairros sociais para os “pobrezinhos”, profissionais de Rendimento Mínimo Garantido..
Lá se vai o Pinhal Novo da vida pacata e, aí, vêm as máfias violentas.
È este o País que querem ?
Então, se é, não se queixem.
Manuel Abrantes

Comentários:
vive mesmo num bairro social?
 
O bairro onde vivo (Urb. Posser de Andrade) foi construído na mesma altura do bairo da Bela Vista em Setúbal.
Foram bairros onde as casas eram mais baratas. Sempre foram por compra e não por arrendamento.
O bairro Posser de Andrade (mais conhecido por bairro dos Mochos-empresa construtora)foi criado para aliciar familias a viverem na então aldeia do Pinhal Novo (ainda não era vila).
No caso da Bela Vista, foi construído para fixar as familias na cidade de Setúbal.
Entendeu ?
MA
 
entender entendi, mas como se intitula de empresãrio.....ok, tudo bem.
E já não está cá quem falou, neste caso quem escreveu. E acho muito bem que a classe média e média/alta também coabite nos bairros sociais......

um forte abraço
 
O "Politicamente Correcto", seguido religiosamente por TODOS os Governos Ocidentais que se prezam de ser democraticos (especialmente aqueles onde imperam as tendencias Esquerdistas "modernas" ), manda que se trate com luvas de veludo e muita paciencia casos como o passado em Setubal.

Recorde-se como a Franca tratou casos muito mais graves de desobediencia civil e vandalismo, em que a policia demonstrou enorme civismo e cobriu-se de gloria nao interferindo para evitar que centenas de carros ardessem.
Nao foi disparado um tiro ou morto ao menos 1 dos arruaceiros para exemplo. Isso nao se faz a minorias frageis e as quais a sociedade deve tanto em termos economicos e culturais.

Assim e que se actua neste Ocidente magnifico e com grande futuro face aos desejos dos seus bem intencionados dirigentes de ter uma diversidade multirracial dentro de seus paises.
Diversidade essa que tanto enriquece cultural e economicamente o pais anfitriao. Claro, muito especialmente quando tais minorias nao sao brancas mas sim Africanas e Islamicas e nem sequer tem qualquer desejo de integrar-se exigindo a aceitacao pura e simples das suas leis e costumes ....feudais e barbaros !

No caso de Setubal tera de haver uma investigacao a serio.
O Primeiro Ministro, coadjuvado por todos os lideres Partidarios de Esquerda -- a presenca de Geronimo e de extrema importancia pois Setubal e do P.C.P. -- tera de mandar formar uma comissao de Doutorados que se debruce a fundo sobre a raizes dos problemas, os estude e proponha solucoes agradaveis .
A policia nao pode simplesmente punir a balda e manter a ordem pela forca antes de serem apuradas as razoes que levaram tao pacata populacao a actuar de modo menos civilizado.
De certo que foram provocados pelos esbirros da PSP.
Nao se pode punir a balda, nem se quer em auto-defesa.

Ha primeiro que analizar se os "amotinados" foram transtornados psicologicamente durante sua juventude. Se passaram fome e sofreram em bairros degradados. Se lhes foi dificultada em demasia a viagem para o destino Portugal onde sonhavam vir a ter o direito de serem prosperos e felizes.
Se foram tratados com civilidade pelas autoridades ao passarem a fronteia -- legal ou ilegalmente -- do pais pois podem ter sido traumatizados por tratos abrutalhados as maos de alguns trogloditas que ainda hoje existem dentro da Policia lusitana e que nao partilham do modernismo e humanismo do "Politicamente Correcto" pois tentam aplicar as leis a risca!

Depois ha que ver se a Sociedade Portuguesa se tem comportado bem em relacao a tais grupos, facilitando-lhes tudo o que precisam para poderem prosseguir uma vida minimamente decente.
So depois de tudo bem analizado entao se poder actuar a serio.

Ai a primeira coisa a fazer e satisfazer as condicoes minimas de Insercao Social elevando os subsidios e indexando-os ao nivel da inflacao. Depois e aumentar substancialmente a presenca de Assistentes sociais...que podem passar a actuar mais fortemente, ajudando nos trabalhos caseiros (lavar loica, limpar o po, lavar roupa, cuidar dos filhos, etc...etc...) de modo a aligeirar o trabalho arduo que recai sobre as donas de casa e maes que vivem nesses bairros .
So depois de tudo isto implementado e certos de que tudo foi aceite, entao sim, pode-se tentar impor Lei & Ordem no local, mas sempre sem violencia mesmo que confrontadios por indivuduos ( foram traumatizado durante a suqa vida !) que nao hesitam em usa-la.

Sendo as populacoes desses bairros essencialemtne minoritaria, entao ainda mais importante e trata-los com a devida venia, tendo em mente as culpas que o Portugal colonialista do passado tem .
Durante seculos umn pais de gente insensivel abafou as aspiracoes legitimas das populacaoes nativas destruindo-lhe a cultura e civilizacao brilhante encontradas pelos primeiros colonialistas lusitanos.

Portanto todo o pais, e seus brilhantes dirigentes tem que penitenciar-se -- embora a culpa seja eterna ! -- dos erros monstruosos cometidos no passado antes de poder exigir que as populacoes actuem dentro da lei e pacificamente.

O facto de que em condicoes economicas e sociais identicas os Portugueses nativos nunca se comportaram assim e irrelevante.
O facto demonstra que -- e o que muitos dizem sobre os portugueses de hoje -- as minorias que vieram para Portugal em busca de uma nova vida nao perderam ainda sua virilidade. Ate se reproduzem muito bem tendo numerosas proles que um dia, pelos numeros, terao controle de muitas das autarquias das areas urbanas. Tudio dentro de um sistema perfeito chamado democracia.

A sua actuacao recente parece confirmar que, afinal, os portugueses nao passam de uns carneiros que aceitam tudo sem balir e que eles, os amotinados, tem entre as pernas algo que muitos Lusitanos parecem ter perdido apos 3 decadas de Paz & Democracia.

E bom que o Governo decrete ja um aumento dos subsidios dados as classes e grupos de individuos que protestam pois fica mais barato mante-los satisfeitos e calados do que te-los por ai a causar motins num pais de habitos brandos.
Ainda poderia acontecer o pior...
que e que fossem inspirar a maioria silenciosa, os portugueses, e entao seria um problema muito mais serio !

Alem disso, talvez que, se os subsidios subirem o consumo da droga venha a aumentar par a par com a subida do poder de compra e assim se consiga manter toda essa populacoa "hospede" em situacao semelhante a dos portugueses, isto e, anestesiados e sem chatear ninguem

Renato Nunes
 
Arruaça? Infelizmente não estamos perante arruaceiros mas, e isto segundo o Bispo da diocese de Leiria e Fátima, que alertou ontem para o facto de que HÁ UM RISCO MUITO REAL DE UMA EXPLOSÃO SOCIAL GENERALISADA.


PNP
www.p-n-p.forumeiros.com
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]