domingo, maio 03, 2009


O DESCALABRO DO DESEMPREGO


È o próprio Ministério do Trabalho que divulga este números:
O número de trabalhadores afectados por despedimentos colectivos multiplicou-se por quatro no primeiro trimestre deste ano.

De Janeiro a Março foram oficialmente abertos processos em 258 empresas, com o objectivo de dispensar 3481 trabalhadores, valor que compara com os 67 despedimentos colectivos que ameaçaram 834 pessoas no mesmo período de 2008. As pequenas empresas estão a ganhar peso e o Norte do País continua a ser a região mais afectada, seguida de Lisboa e Vale do Tejo.
Os postos de trabalho ameaçados em processos abertos neste primeiro trimestre equivalem a quase metade (47%) do que foi registado ao longo de todo o ano passado. Em termos de processos concluídos, este é o pior trimestre desde, pelo menos, o início de 2004.

Uma situação que espelha, claramente, uma subida vertiginosa do número de desempregados.
Está aberto um ciclo vicioso: quanto maior é o número de desempregados, menor o número de contribuintes pagantes. Isto quer dizer que, com um aumento nos subsídios de desemprego, vai recair tudo encima dos que pagam.
Escusado será dizer que, com esta situação, os que pagam não vão aguentar a carga e, assim, aumentar ainda mais o número dos que não pagam.
O descalabro está aí.
Continuando a aumentar o número dos que recebem subsidio de desemprego não vai haver verbas para todos. Ao governo só lhe resta uma saída: - Ter de reduzir o número dos que recebem subsídios.
Não há outro caminho.

È necessário que os governos futuros tenham em atenção aos que se vão habituando a viver do subsidio e que nem sequer se preocupam em arranjar trabalho legal. Preferem uns arranjinhos clandestinos que, juntando ao subsidio de desemprego, dá para viver.
Isto, já não contando com esse tal “rendimento mínimo” que, em muitos casos, é uma forma de viver às custas dos dinheiros públicos.
Deixem-se de politiquices eleitoralistas e ataquem o problema de frente. È um conselho de alguém que já viveu uns anitos.
Manuel Abrantes

Comentários:
Depois de um mes de ausencia devido a um "crash" do meu PC e com enorme prazer que leio de novo o ESTADO NOVO e colaborar nele com um comentario ou outro de vez em quando.
Tenho agora um novo PC que felizmente e mais rapido e eficiente e que, assim espero, nao me vai deixar ficar mal novamente.
Assim sendo, aqui vai uma opioniao pessoal.

E facto incontroverso que o desemprego esta subindo em todo o lado. Tudo indica que por mais um ano continuara a piorar o que ainda mais agravara a situacao economica de cada pais ao reduzir a criacao de riqueza e consequentemente de empregos produtivos.

No caso de Portugal e confrangedor o que esta acontecendo mas nao e caso unico.
Nem vejo que seja necessario baixar os subsidios de desemprego por possivel falta ou reducao de receitas.
O Estado pode ir a mesma "caixa' de onde retirou milhares de milhoes para safar a Banca dos problemas que criou a si propria, e pagar subsidios aos desempregados.

Ao contrario de muitos outros paises , em Portugal, quase 9% da populacao trabalha por conta do Estado.
Temos um sector de "Funcionalismo Publico" que e ENORME e pouco productivo, e que de certo modo "chula' o pais.
Tem ha muito estado isolado e protegido das repercussoes da crise pelo proprio Governo que usa os seus funcionarios como base fiel onde vai apanhra os votos que
garantem a reeleicao de politicos bem conhecidos.
Dai que esse funcionalismo ate receba aumentos em epoca de crise e nunca lhes falte o receber a tempo e horas o salario e os beneficios, ao contrario do que sucede as massas trabalhadoras --tambem sao Portugueses ! -- no sector privado.

Nao seria esta a ocasiao propicia para ALIVIAR Portugal de um vasto sector publico com excesso de gente ?
Gente relativamente pouco productiva e cuja dispensa iria aliviar ou reduzir os custos que tal gigantesco sector representa para o Estado?
Mesmo que todos esse funcionarios dispensados tivessem tambem de receber subsidio de desemprego ao menos saia-se da crise com um sector publico reformado, a funcionar mais eficientemente e mais productivo que antes.

A reducao do tamanho do Estado Portugues libertaria verbas enormes que poderiam servir para suportar um periodo longo de desemprego em todos os sectores e retreinar as massas trabalhadoras.
Alem disso o Funcionalismo Publico ate agora nao partilhou em em quaisquer sacrificios nacionais.

Mas que estou eu a dizer?!
Como pode um Partido -- e um Povo que aceita como rebanho tudo o que lhe atirarem em cima -- que adora criar um Estado intrusivo, controlador e forte abdicar de tal golo e mutilar-0se asi prorio em favor de qualidasde e productividade?
Que descansem pois os Funcionarios Publicos que que tal nao vai suceder. Ate se forem seguidas as doutrina e solucoes arcaicas do P.C., o melhor seria que TODOS os portugueses fossem empregados publicos. Nao haveria desemprego, teoricamente claro !

Renato Nunes
 
No Jornal de Notícias de Hoje, na primeira página podemos ler a seguinte notícia:

QUATRO MIL PROFESSORES EM RISCO DE DESEMPREGO:
sindicatos afirmam que são docentes dos politécnicos com vínculo precário.
Mariano Gago, volta hoje a reunir-se com os sindicatos por causa do Estatuto da Carreira docente.

Muitos dos professores, dizem que mais vale emigrarem, mas para onde?

A COISA ESTÁ PRETA, LÁ
ISSO ESTÁ...........

PNP

www.p-n-p.forumeiros.com
 
..."È necessário que os governos futuros tenham em atenção aos que se vão habituando a viver do subsidio e que nem sequer se preocupam em arranjar trabalho legal. Preferem uns arranjinhos clandestinos que, juntando ao subsidio de desemprego, dá para viver."...
Caro
Amigo Abrantes, não te preocupes muito com isso, agora e até ao fim das eleições, vai ser um fartote, eles são computadores Magalhães, eles são cheques dentista par os miúdos, eles são remédios gratuitos para reformados, eles são entregas miais céleres de reembolso do IVA para empresas, enfim, eles são subsídios para tudo e todos, e pergunta-se: então porque não empreenderam estas "ofertas" mais cedo???
Responderão, pois só foi possível porque se andou a combater o défice, quis-se "endireitar" as finanças, mas, então, agora não vamos novamente fazer subir o défice, não vamos novamente perturbar o tal equilíbrio das finanças, tanto mais, que, para além da habitual crise interna, ainda temos que enfrentar uma crise externa, com abaixamentos quer no investimento externo, quer nas exportações?
Claro que o forrobodó está a chegar ao fim, deixem passar as eleições e vamos ver como é que "elas mordem", porque não é possível continuar nesta festança, mas preparem-se os mesmos de sempre, pois vão ser a eles que vão apresentar a factura, ou seja, com se vai ter novamente de deduzir o défice - possivelmente nus 6 ou 7% - lá vamos voltar ao mesmo, apertar, apertar, apertar o cinto de tal modo, que já não fica nada dentro dele, tanto mais - E ABRAM OS OLHOS, SE FAZEM O FAVOR - agora ainda estamos pior do que quando este governo (?) entrou em 2005, com muitos mais desempregados, com um mercado externo muito mais comprimido, certamente com menos receitas de emigrantes portugueses, mas certamente com as mesmas ou até mais exportações de divisas por parte dos imigrantes estrangeiros, de forma que não estou a ver como é que vais ser.
Claro que só há as duas saídas habituais, ou desata tudo à estalada e depois logo se vê, ou vais ser colocada uma canga em cima dos pescoços dos portugueses, e vão pagar estes 35 anos de desmandos, de incompetências, de erros gravíssimos, de destruição do tecido produtivo português em favor do aumento absurdo de comércio, principalmente de grande dimensão, com as consequentes razias nos pequenos e médios comerciantes e seus fornecedores, por conseguinte, NÃO HÁ SAÍDA SE NÃO COM UMA DITADURA, possam ou não dar-lhe outro nome, POIS SE TEMOS VIVIDO À MALUCA, ESTOIRANDO OS RECURSOS VINDOS DA CEE/UE, se esses mesmo recursos agora são menores, DONDE É QUE VAI APARECER O DINHEIRO PARA CONTINUAR A SUSTENTAR ESTA ESTROINICE???????
Meu Caro Abrantes, estamos mesmo a bater no fundo, com políticos incompetentes, com a falta de alternativas, pois gente séria não se quer meter no atoleiro a que chegou a política em Portugal, bem ao jeito do 3º Mundo ou mesmo tipo Centro-Africano (acho que estes, até já são mais competentes), com a desidentificação cada vez maior dos portugueses em relação à coisa pública - o que talvez tenha sido o pretendido por esta cáfila de políticos idiotas - com meia dúzia de grandes banqueiros e empresários a tomarem conta do tecido económico/financeiro, destruindo tudo o que é pequeno, abocanhando tudo o que conseguem, ao abrigo deste regime capitalista selvagem de extrema-direita - o quê? julgavam que os "nacionalistas" é que eram a extrema-direita? Esses são meninos de coro - deixando cada vez menos alternativas à maioria dos portugueses, inclusive, os jovens licenciados que, quando muito, vão ter um lugar de caixa de supermercado à sua espera - talvez daí, o imenso números de desistências no Ensino Superior - por exemplo, li há dias, a propósito da abertura de mais um mega-centro comercial na zona de Lisboa, que havia mais de setenta unidades de média e grande dimensão a abrir dentro deste ou até ao próximo ano, pode-se perguntar o que é que está por detrás destas grandes investimentos, porque não investem em fábricas ou na agricultura, ou nas pescas, uma vez, que estamos cada vez mais dependentes do estrangeiro???
ou sabem, QUE, QUEM CONTROLAR A MAIORIA DO COMÉRCIO;, CONTROLA A PRODUÇÃO, CONTROLA O EMPREGO E CONTROLA O GOVERNO.
Logo, podem utilizar, se quiserem, a sua importância económica e força de trabalho, como modo de chantagem, e manipulação dos governos, MAS SERÁ QUE NINGUÉM VÊ ISTO, OU COMEM TODOS DA MESMA GAMELA, E ANDAM A ENGANAR OS ESTÚPIDOS DOS PORTUGUESES???
Não escapa nada, até dois dos lóbis mais fortes estão a levar na corneta, refiro-me às farmácias e à revenda de combustíveis, não faltando muito, para que estes estejam com a língua de fora.
Ora, não nos tem andado a dizer que vivemos numa democracia, que é "o governo do povo, para o povo, pelo povo"???
Ou será antes: "O GOVERNO DO POVO, PELO POLVO"???
Não corresponderá isso mesmo, à ideia que se está a fazer passar, da necessidade dum "BLOCO CENTRAL"???
POR QUANTO MAIS TEMPO AINDA, PODERÃO OS PORTUGUESES SEREM MINIMAMENTE LIVRES???
Por muito pouco, venham com as tretas que vierem, o que se constata é que os portugueses estão cada vez mais presos a créditos a juros usurários e abomináveis, que os arruínam até ao fim das suas vidas, que estão cada vez mais sujeitos a trabalhos precários ou a recibos verdes - mesmo que algumas criaturas digam ou queiram fazer passar o contrário - que, quem levanta a voz, está cada vez mais condenado à excomunhão do trabalho, quiçá, da própria sobrevivência, que, cada vez mais, se incita à eutanásia, mesmo de forma mais ou menos discreta - isto, enquanto não for imposta OBRIGATORIAMENTE - pois quem já nada produz é um estorvo e um consumidor de produtos cada vez mais escassos, de forma, que estamos à beira, não dum ataque de nervos, mas à beira do domínio e controlo da população, por uma elite de meia dúzia de Senhores, que vão ter o condão da vida e da morte sobre os restantes.
Claro, que alguns se estarão a rir e a dizer que sou um pateta, pois sou, então digam-me com que intuito foi criada esta "crise internacional", que criou milhões de desempregados e falências de milhares de empresas, não foi uma forma "natural" de os grandes interesses abocanharem ainda mais os mais pequenos, ao mesmo tempo, que passaram a ter maior controle sobre os que dependem dum trabalho, ou terá sido por obra e graça do "Espírito Santo"???
Também, a nível interno, porque é que não despegamos dos últimos lugares, seremos assim tão maus trabalhadores, quando lá fora até somos considerados o contrário???
É tempo das pessoas começarem a pensar com as suas cabeças, deixar as políticas e as ideologias na gaveta, largar as telenovelas, o futebol, e outras motivações alienantes e estupidificadoras, pensarem em si, mas principalmente nos seus filhos, pensarem naquilo que vão deixar para os vindouros, deixar de ser tão egoístas e passarem a ser mais solidários, e claro, nas suas derradeiras oportunidades de votar - ou pensam, que estas pseudo-democracias os vão deixar continuar a colocar o vosso papelinho? - votarem em partidos fora do quadro habitual, com pouca expressão, sejam lá eles quais forem, pois é a única maneira dos pseudo-políticos perceberem, que o "POVO NÃO ESTÁ COM ELES", que se sente enganado, que está farto de ser martirizado em nome duma séria de patranhas, ficando cada vez pior, enquanto uma pequena corja se enche à grande e à francesa sempre à custa dos mesmos.
PENSEM, PENSEM E VOLTEM A PENSAR, e não se esqueçam, que, quem vos avisa, vosso amigo é.
Caso queiram continuar a levar na cabeça, com tendências a piorar, então façam o favor, votem nos mesmos, pois cada um tem o direito de ser masoquista e bater com a cabeça na parede.
Veremos daqui a uns tempos, quem tem razão.
Um abraço e cumprimentos.

LUSITANO
 
Que o Sr. Sócrates é perito em malabarismos e relações públicas, náo tenhamos dúvidas e nos canais televisivos ele aparece várias vezes por dia, ora a dar um diploma por alguem que fez o 12º ano, ora a dar um "magalháes", ora a inaugurar um pequeno troço de uma autoestrada, tudo jogo de uma campanha para convencer os pobres dos portugueses que na sua ignorãncia política, irão votar no PS e dar-lhe maioria absoluta, como aparceu há dias numa sondagem num dos jornais......(também não se sabe se é verdadeira ou não)

Ora se isso acontecer, entáo estamos mesmo mal, pois vai ser um descalabro total..........náo se prevendo as consequências graves que daí poderão advir, conforme nos advertiu o General Loureiro há dias para que os militares se preparem para a possibilidade de uma levantamento geral,,,,,,,,,,,,

o Sr. Mário soares também já advirtiu......

Não é admiração nenhuma, nós que andamos nas ruas a distribuir literatura, sabemos bem o que as pessoas dizem......


PNP

www.p-n-p.forumeiros.com
 
QUE NUNCA NINGUEM EM PORTUGAL SE ESQUECA QUE JOSE SOCRATES E UM ARTISTA E UM MALABARISTA DE PRIMEIRA QUALIDADE!

Ele ja ganhou eleicoes uma vez com promessas que nem sequer tentou cumprir e ja viu que e facil iludir e levar um Povo que na sua maioria sao uns parolos e actua qual rebanho; um povo sem olhos nem miolos, que fica grato e embevecido se cairem umas migalhas ( e sempre assim antes de eleicoes, nao importa que haja crise !) das fartas mesas onde o Grande Lider e seus capangas dividem o bolo da governacao.

Embora lamente que tal venha a contecer estou certo de que Jose Socrates e o P.S. ganham as eleicoes, se nao por maioria esmagadora, ganham por maioria suficiente continuar a ser ele o "manda chuva" # 1 em Portugal.
E que num pais de cegos quem tem olho e Rei!

O pais e o povo podem muito bem ir ao fundo como diz e bem LUSITANO na sua cronica acima. E westou certo que o pior ainda esta para vir; a seguir as eleicoes veremos !
Mas as elites que governam Portugal nada tem a perder com a crise ou com os problemas graves que afligem o pais.
Eles cada vez tem maiores salarios, beneficios e reformas cumulativas recebidas pelas funcoes que com tanto "sacrificio e competencia" desempenham como gestores nas grandes empresas semi-estatais ou nas que vivem a conta das benesses concedidas pelo Estado atraves dos Grandes Projectos que depauperam e endividam o pais mas que enriquecem alguns.

Para essa gente sim que ha um verdadeiro Socialismo que ate e aceite com benvolencia pelos seus patroes do Grande Capital Internacional e Globalista Euro-Americano, na sede em Washington e na filial de Bruxelas.

Tais benesses que enchem os bolsos as elites dirigentes -- sera que ainda ha anginhos que acreditam que a corrupcao vai ser punida? --e o preco que os baroes do dinheiro aceitam pagar aqueles que os servem bem e os ajudam a maximizar seus LUCROS fabulosos . Em termos contabilisticos tal e o custo de fazer negocio. Ate pode ser deduzido das taxas das corporacoes na direccao das quais aklguns deste fieis swervidores sao convidados a fazer parte quando saem do Govwerno. Ou nas grandes corporacoes ou nos Organismos Internacionais influenciadoS pelo Grande Capital e sua subsidiaria a Internacional Socialista.

O P.S. vai ganhar porque em Portugal nao existem Partidos que oferecam uma melhor alternativa e porque estao todos comprometidos com suas quaotas-partes na desgovernacao que dura ha decadas mas que tem piorado assutadoramente nos ultimos 4 anos.

E os Partidos que podiam apresentar alternativas , os Partidos Nacionalsitas, nao tem ainda implantacao suficiente nem estao representados na A.R.
Ainda por cima degladiam-se e alguns nao sao mais que fotocopias baratas de um neo-Nazismo que falhou estrondosamente e foi bem derrotado.

Ninguem sabe ao certo aquilo que tais Partidos se propoem fazer pois a verdasde e que existe um verdadeiro 'muro de Berlin' criado pelos media a mandado dos Partidos do 'Status Quo' que impede a divulgacao de alternativas ( sao todas consideradas Fascista para, debaixo de uma Constituicao feita pelo P.C.P. e nunca alterada -- nem sequer quando o PSD/CDS tiveram maioria-- poderem swer consideradas ilegais) que o Povo poderia escolher e aos poucos comeccar o processo longo e lento dealterar o "Status Quo" democraticamente.

A alternativa rapida para a situacao vigente e a REVOLUCAO !!!
Mas de quem? E liderada por quem?
Nao ha ja hoje muitos Ramalhos Eanes com a coragem e a energia para actuar resolutamente de modo a alterar o curso que vai levar a Nau Lusitana a auto-destrui-se nos escolhos do Adamastor.

Renato Nunes
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]