domingo, agosto 23, 2009



VAMO LÁ A VOTOS



Há pouco tempo escrevi, aqui no Blogue, o seguinte:

“sempre que concorramos neste sistema a actos eleitorais, nunca passaremos de uma percentagem irrisória. O que nos desacredita, ainda mais, perante o eleitorado.
Será um ciclo vicioso do qual nunca iremos sair.
As eleições e a opinião publica são dominados pelos órgãos de comunicação social. Por sua vez, estes, são geridos e dominados por um tipo de gente que não nos deixa crescer.
Assim, nem um “milagre” nos poderá tirar desta situação.”

Isto é, no meu ponto de vista, um dos grandes entraves ao crescimento eleitoral – digo: eleitoral – para qualquer partido que se assuma de princípios Nacionalistas.
Mas, também não é só…
Nós, Nacionalistas, criticamos este sistema eleitoral por não representar os verdadeiros anseios do Povo. Esse mesmo Povo que, cada vez, acredita menos nos partidos e nos políticos. E não acredita porque não se vê representado por nenhum deles. Nem nos partidos nem nos políticos que os compõem.
E tem razão!
Os políticos (neste caso, deputados) limitam-se a defender os pontos de vista e os interesses dos partidos em detrimento dos verdadeiros anseios das populações que os elegeram.
A esmagadora maioria dos deputados desconhece o círculo eleitoral por onde foram eleitos e, em muitos casos, nem sequer alguma vez lá colocaram os pés. Aliás, desconhecem por completo os problemas do seu círculo eleitoral.

Tudo isto vem a propósito do PNR ter já apresentado as suas listas em, praticamente, todos os círculos eleitorais.
Mostra dinâmica partidária. Isto mostra!
Mas será que todos conhecem os anseios das populações a que se submetem a sufrágio ?
Conhecem os problemas e estão dispostos a apresentar e a discutir soluções ?
Têm projectos para as respectivas regiões ?

Não estou a afirmar que não os têm.
Eu e a população gostaríamos de os conhecer.
Isto porque, para mim, os Nacionalistas devem – têm a obrigação – de se pautar pela diferença em relação ao actual espectro politico/partidário.

Aqui vai a lista dos “cabeças” aos respectivos círculos eleitorais.



- Aveiro - Maria Marques;
- Beja - Simão Varandas;
- Braga - Pedro Frade;
- Bragança - Carlos Marques;
- Castelo Branco - João Vaz;
- Coimbra - Vítor Ramalho;
- Évora - João Coutinho;
- Faro - Rui Roque;
- Leiria - João Amaral;
- Lisboa - Pinto Coelho;
- Portalegre - Caetano Ferreira;
- Porto - Alberto Lima;
- Santarém - Humberto Oliveira;
- Setúbal - Duarte Branquinho;
- Viana do Castelo - André Leite;
- Viseu - Teresa Póvoas;
- Madeira - Vasco Leitão;
- Fora da Europa - Luís Fernandes.

Comentários:
Falo como nacionalista esperancado em que o P.N.R., depois das mudancas internas que sofreu --tinha de faze-las ou desapareceria do mapa em pouco tempo -- possa actuar de um modo que contribua para alterar a ma imagem que propositadamente criou junto do eleitorado.

A mudanca que se der no P.N.R. nao pode porem implicar o moldar-se a tudo e a aceitacao de fazer um 'jogo' identico ao dos outros partidos.

Isto e, O P.N.R. tem de ter um programa e aderir a principios, alguns inviolaveis,

E nao se pode desviar deles ou simplesmente mete-los debaixo do tapete para conseguir colocar Pinto Coelho ou qualquer outro na Assembleia da Republica, por muita falta que la faca alguem afecto ao P.N.R.

E que ha coisas que nao se podem considerar. E uma delas e o ceder nos principios a troco de obter um lugar junto do "establishment". Entao estaria o P.N.R. a comportar-se tal e qual aqueles que ha muito vem criticando.
 
Ora aqui está uma ideia construtiva que poderá servir para estabelecer caminhos.
MA
 
MAS QUE PENA................

Todos esperávamos por uma remodelação e um NOVO PNR e ao vermos a listas deparamo-nos com pessoas que não se enquadram de todo no verdadeiro espírito nacionalista português.

Eu e tantos outros que já nos estavamos a preparar para nos tornarmos militantes do PNR, ficamos novamente, total e completamente de fora do mesmo.
Virou o disco, mas tocou o mesmo

Sim não vemos futuro para este partido.
 
"Eu e tantos outros que já nos estavamos a preparar para nos tornarmos militantes do PNR, ficamos novamente, total e completamente de fora do mesmo."

Olha que pena...
 
Na minha opinião, não é este o momento -provávelmente em momento nenhum - para divisionismos ou atitudes e comentários que promovam, ainda mais, o afastamento de muita gente que milita na esfera Nacionalista.
Se houve ou não - não sei - reviravolta no PNR, é de louvar e, até, em ter alguma satisfação por isso.
O Nacionalismo merece um partido com gente capaz - E Á ALTURA - de enfrentar novos desafios.

O PNR merece uma nova imagem. E, essa imagem, vai-se construindo com o tempo e com posições, e acções, condignas com o caracter que deve pautar o seio Nacionalista.

Só com gente honesta e de respeito se pode construir um verdadeiro partido Nacionalista. E, para isso, temos de saber respeitar toda a gente, para que nos respeitem também.

Respeito, Disciplina, Tolerância e Trabalho Honesto, são factores que levarão o Nacionalismo para a ribalta politica.

Manuel Abrantes
 
Sim e isso foi ventilado e mesmo assegurado e tudo acertado, agora ve-se um indivíduo, que além de ser criminoso é um perigo, nas listas do PNR, isso foi o fim.............


foi o golpe de morte no PNR......
 
Não me parece grande a mudança.
Pelo contrário ,o PNR surge a copiar alguns dos piores vicios do sistema,com candidatos completamente alheios aos circulos que dizem representar.
Carlos Marques em Bragança?!Vasco Leitão na Madeira?!
Bem sei que não há muitos candidatos...
Sardoal
 
"Sim e isso foi ventilado e mesmo assegurado e tudo acertado, agora ve-se um indivíduo, que além de ser criminoso é um perigo, nas listas do PNR, isso foi o fim............."

Convém traduzir para todos percebermos do que está a falar, para mim isso é atirar barro à parede a ver se cola.
 
..."As eleições e a opinião publica são dominados pelos órgãos de comunicação social. Por sua vez, estes, são geridos e dominados por um tipo de gente que não nos deixa crescer.
Assim, nem um “milagre” nos poderá tirar desta situação.
Isto é, no meu ponto de vista, um dos grandes entraves ao crescimento eleitoral – digo: eleitoral – para qualquer partido que se assuma de princípios Nacionalistas."...

Meu
Caro Manuel Abrantes,
Será só esse o entrave para o partido nacionalista poder crescer???
Não é esse, no meu entender, o principal entrave, o principal entrave ao desenvolvimento do Nacionalismo, são os próprios "nacionalistas" que não perceberam que há vários nacionalismos, não perceberam que o nacionalismo é a defesa dos valores de cada país em particular, não é uma ideologia como o comunismo, por exemplo, é um conjunto de regras e valores morais, que servem essencialmente à preservação da tradição e dos valores históricos e culturais de cada Povo ou Nação incluindo toda a zona de ocupação desse Povo.
Ora, assim sendo e partindo desta premissa, nunca o nacionalismo pode ser visto como uma ideologia, será então um conjunto de valores culturais exclusivos desse povo, como se quer então adoptar nacionalismos estrangeiros???
Como é que um português, por exemplo, pode dizer que perfilha a ideologia nazi???
O Nazismo tinha a ver com características muito específicas do pangermanismo, com a defesa do grande capital alemão, com revanchismos derivados da humilhação sofrida pela Alemanha após a I G.M., tinha a ver também com a sua atitude perante os interesses judaicos instalados nalguns pontos chave da Economia e da Cultura alemãs, entre outros, e tinha também a ver com a ideia que os alemães tem de si próprios como uma elite superior em relação a outros povos, que é aliás intrínseca com a sua mentalidade. Tem assim, poucos pontos que nos são comuns, como seguir então um "nacionalismo" destes???
Pois a mistura e indefinição das ideias do PNR, são as principais causas do seu afastamento dos cidadãos comuns, que, fartos de propaganda anti-fascista, são levados a crer que o PNR é um partido dessa esfera, nunca se tendo libertado desse estigma, muito por culpa dos seus militantes e dirigentes, que não sabem colocar as coisas no seu devido lugar, uma coisa é ser-se estudioso e conhecedor de certas doutrinas, outra, é querer-se ser seu seguidor sem se saber ao certo do que se trata e da referência histórica que deu origem a essa ideologia.
Aliás, isso passa-se exactamente com os "adeptos" do comunismo, muitos deles nem sabem o que é o comunismo, entraram naquela dança, sem terem bases profundas sobre o assunto, ouviram uns tantos vendedores de banha-da-cobra cantar hossanas ao comunismo julgam que este está contra o capitalismo e na defesa dos desfavorecidos, e aí embarcam eles, não percebendo aonde se metem.
O facto, quer queiram ou não os adeptos dessa ideologia, o comunismo foi apoiado e financiado por grandes banqueiros, quer europeus, quer americanos, seriam eles comunistas???
Com outras ideologias passa-se o mesmo, daí, eu defender que os verdadeiros defensores do Nacionalismo não devem colocar este na Esquerda ou na Direita e muito menos nos extremos, isso só convém à propaganda contrária ao nacionalismo.
Nacionalismo é a defesa dos valores duma Nação, da família tradicional, do direito à vida, da sua História, digam-me então, se isto pertence a qualquer das partes, ou se por outro lado , não corresponde às regras sãs da convivência e continuidade duma Nação enquanto unidade orgânica dum Povo???
Comece-se por se perceber o que é que defende e depois pode ser que, com inteligência e força de vontade se lá se consiga ir.
Deixem os "folclores" para os ranchos típicos, dispam-se dessas roupagens estranhas, dessa imitação barata daquilo que vêem nos filmes e terão dado uma boa contribuição para a divulgação e dinamização do Nacionalismo.
Um abraço.

LUSITANO
 
Muito bem Lusitano!
Apoiado.
Sardoal
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]