terça-feira, dezembro 30, 2008

AS PALAVRAS DO PRESIDENTE
FIZERAM ENGOLIR MUITOS SAPOS


Não tinha pensado em escrever mais nada até ao primeiro dia do ano, mas a comunicação do Presidente da República foi importante demais para não a comentar.

Na mensagem ao País, o Chefe do Estado afirmou que a reconfirmação do Estatuto dos Açores afecta o funcionamento das instituições e a qualidade da democracia.
Cavaco Silva não se ficou por aqui. Foi mais longe ao acusar o Parlamento de “falta de lealdade”.
Para o Presidente o Estatuto dos Açores "abala o equilíbrio de poderes e afecta o normal funcionamento das instituições".
Segundo Cavaco Silva, "está em causa uma questão de lealdade no relacionamento entre órgãos de soberania".
"A qualidade da nossa democracia sofreu um sério revés", concluiu o Presidente.

Cavaco tem razão!
Quando constitucionalistas entendem que o Estatuto do Açores contem inconstitucionalidades bem vincadas e os senhores deputados – mesmo sabendo disso – a aprovam. Então, é porque estão-se borrifando para a Constituição que assumiram defender.
Neste caso, tenha coragem e criem outra Constituição.
Nós Nacionalistas, pelo menos, assumimos e defendemos uma nova Constituição. Contudo, não deixamos de respeitar e cumprir com a actual. Isto, mesmo não concordando com ela.
O grande problema reside, entre os outros, no aspecto de que o Presidente da República para destituir qualquer Governo Regional dos Açores terá de ouvir o Conselho de Estado, a Assembleia Regional e o Governo Regional que vigorar.
Ora, o memo não se passa, numa mesma situação, com o Governo da Nação.
O socialista Jorge Sampaio dissolveu um Governo ( Santana Lopes) mesmo tendo, este, o apoio de uma maioria absoluta no Parlamento.
Mas há mais: esta norma regional segundo os Estatutos, agora reconfirmados, jamais poderá ser alterada seja por maioria que for. É eterna.
Bem! Que grande democracia esta.

Isto pode abrir procedentes que colocam em risco a própria Democracia.
Sim a Democracia. È que nós, Nacionalistas, defendemos uma verdadeira Democracia e não o festival de vaidades, de oportunismos e de compadrio.

Sócrates e os socialistas o que pretendem é o confronto com a Presidência da República para que, esta, destitua o actual governo para assim poderem apresentarem-se ao eleitorado como uns coitadinhos que não fizeram mais porque o Presidente não deixou.
È uma “boa manobra” para tentar reconquistar a maioria absoluta.

Não há dúvidas nenhumas que o senhor Sócrates anda a aprender umas coisas com o seu amigo Hugo Chavez.
Manuel Abrantes


Comentários:
Caro
Abrantes,
O Presidente da República, se não concordava como Estatuto dos Açores tal como está, deveria tê-lo mandado para o Tribunal Constitucional, não o fazendo, ficou tudo entre ele e o PS/Governo, o que fez foi um voto político pessoal e nada mais, agora não se pode queixar.
Pessoalmente penso que o PR tem medo de enfrentar o PS/Governo, talvez prevendo que a Oposição (?), principalmente do seu partido, o PSD que já está extinto e enterrado, não tenha pedalada para concorrer numas eleições antecipadas (nem em nenhumas, acrescento eu), mais a mais com a "bronca" do Dias Loureiro, ficou sem espaço de manobra para tomar uma atitude mais drástica.
Mas, que havemos de esperar desta "democracia" de polichinelo???
Um Bom Ano para ti e para a tua família.
Um abraço.

LUSITANO
 
Lusitano
Talvez por isso o Presidente se referiu a "falta de lealdade entre as Instituições".
Isto só demonstra que houve um acordo entre Cavaco e Sócrates para se alterar alguns pontos dos Estatutos.
ESpecialmente aqueles que o Presidente apontava como inconstitucionais.
Tudo foi aprovado sem qualquer alteração.
Eu vejo e analiso a situação desta forma.
Manuel Abrantes
 
Ah. Bom Ano para ti, amigo Lusitano
MA
 
E que mais se pode esperar de um Presidente que ocupa um lugar que nao serve para nada excepto para gastar dinheiro do erario publico?
Mais valia abolir a posicao e dar as verbas a orfanatos e instituicoes de caridade. Os resultados seriam decerto mais positivos.
As pessoas parecem ainda nao ter compreendido bem ou aceite o facto de que Cavaco Silva nao foi para Presidente para actuar fosse no que fosse.
Cavaco Silva foi para Presidente para mitigar o seu enorme EGO que nao comportava que Mario Soares tivesse sido P.M. & President.
Ah...e tambem para que a Primeira Dama se sentisse ainda mais vaidosa, mais importante !
E gozavamos nos de Americo Tomas nao passar de ser um corta fitas?
Esse ao menos era teimoso e fez a vida negra a Marcello Caetano.
Renato Nunes
Carolina do Sul, EUA
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Subscrever Mensagens [Atom]